sábado, 19 de maio de 2018

FRANCISCO BEZERRA, O EMPRESÁRIO!

O caboclo Francisco Saldanha Bezerra, nasceu em um seringal Vista Alegre, no Município de Canutama, nas barrancas do Rio Purus, em 1944. Foi cartorário em seu município, veio para Manaus, novo, casado para criar seus filhos na capital do Estado em busca de melhorias e conseguiu ingressar na área de transporte coletivos, sendo proprietário de duas empresas, a Santa Luzia e Santa Lucia, ambas cassadas. O ex-deputado federal e empresário de transportes coletivos no Pará Mário Martins, veio a Manaus para prestar-lhe solidariedade pessoalmente. Trabalhamos e sonhamos juntos de 1979 a 2006. Muitos sonhos os tornamos realidade, como escreveu pela primeira vez o poeta Miguel de Cervantes e depois outros foram adaptando-o para cada realidade analisada.

Substitui Jerson Aranha, de “A NOTÍCIA”, que fazia a assessoria na APETRAM, (Associação) com o falecido empresário de transportes Manoel Vieira da Costa. Ao substituí-lo, Francisco Bezerra o transformou em SindicatoSINETRAM e chegou à Federação FETRANORTE. Depois de criado o SEST/SENAT pelo ex-presidente Itamar Franco, virei técnico no Conselho Regional Norte por algum tempo e, em 1977 inauguramos a Unidade SEST/ SENAT 12 em Manaus, que mais tarde, passou a se chama apenas “Unidade Francisco Saldanha Bezerra”, onde fui diretor por 12 anos até ser aposentado por invalidez. O trabalho da fundação dos sindicatos necessários à criação daFETRANORTE foi desenvolvido pelo falecido Aviz do Amaral Valente, que viajou e os fundou na Região Norte.


Vibrou ao saber que o SESI por questões econômicas não aceitou e o SEST tinha sido convidado pela então Secretária do Trabalho e Bem-Estar Social, Marise Mendes aceitou realizar o Projeto Social Serviço Civil Voluntário,destinado a jovens de 18 a 21 anos, em risco social. Ao convidar o SEST, avisou que “tinha pouco dinheiro. Mas, tinha uma bolsa para ser paga aos alunos que cumprissem algumas obrigações, como voltar à sala de aula e comprovar.  O projeto SCV foi criado no Governo do sociólogo Fernando Henrique Cardoso. O SEST permaneceu realizando o projeto SCV até final de dois mandados do Governo FHC. Sonhamos e vivemos e realizamos juntos muitos projetos sociais em benefício do povo carente. Do ser humano Francisco Bezerra, nunca esquecerei do dia em que demitido da função deSuperintendente do Sinetram e sem receber a indenização, o procurarei para pedir algum dinheiro emprestado. Era para comemora o Natal.  Pediu-me para entrasse em seu carro. Trocaria em posto os CR$ 50,00 reais que tinha na carteira e me daria CR$ 25.00. "Isso resolve?"


Bezerra sonhou governar o Amazonas e trabalhar pelo social. Acreditava e acredita no ser humano e por isso viu no Projeto SCV, a oportunidade ideal de começar a fazer algo em prol dos carentes. Pensávamos juntos e elaborava e executava o projeto social de intervenção. Ah, presidente Bezerra, de todos os projetos iniciados, talvez o único que talvez, não conseguirá realiza-lo será o de governar o seu Estado. Mas, já entrou para a história do Amazonas.  Depois da mudança de nome Unidade 12 da Unidade SEST/SENAT para “Unidade Francisco Saldanha Bezerra”, todas Unidades inauguradas na Região Norte, depois, receberam nomes de empresários dos modais de transportes.




quinta-feira, 17 de maio de 2018

A POLITICA NO AMAZONAS! (Paulo Batista)


O grupo político que Governa Manaus e o Amazonas está a 36 anos no Poder no Amazonas e a capital Manaus, mas todos são crias deixados pelo mestre e "professor" GM que, ao substituir José Lindoso garantiu que governaria por mais de 20 anos...Mas não previa que o grupo político que deixara ultrapassaria a previsão do criador. Estranhamente, nenhuma nova liderança política foi criada no Amazonas!

O que GM não poderia prever porque não era pitonisa, pandora e nem reputim, este que fazia previsões para a família do russa, deposta pela revolução, é que seu grupo político se esfacelaria e que criariam outros partidos e apresentar-se-iam nos debates de TVs como "oposição, ” se agrediriam, se xingariam, revelariam seus poderes aos eleitores, mas tudo fazendo parte de uma peça de teatro pessimamente ensaiada, mas continuam sendo os mesmos sem qualquer novidade, para o azar dos eleitores e a regressão do Estado e da Capital, em várias áreas.

Eles só mudam e criam seus próprios ou trocaram de partidos, mas continuam "os mesmos" alunos desde 1982, quando o hábil “professor”   GM assumiu o Governo do Estado do Amazonas para um novo mandato, o primeiro depois que a Revolução de 64 o proibiu de voltar ao Estado. 

Há controvérsias críticas de corrupção ao governo dele, mas quando voltou ao Amazonas, trouxe com ele o SUPERMERCADO CB com dona Maria Emília para o Estado. Nos debates, os mesmos "lideres salvadores da pátria se digladiam, se ofendem, se agridem e depois se unem em torno de um projeto de poder.


Muitos já tentaram, inclusive o dono do da rede de lojas shop 759, funcionava em várias partes da capital, que compôs a chapa como vice de Eduardo Braga. Falido, vendeu suas lojas e voltou para o ACRE, sua terra natal e também.

Mistérios do Amazonas, que, talvez nem o grupo político deixado pelo Governador Gilberto Mestrinho, saberá explicar!

quarta-feira, 16 de maio de 2018

FALÊNCIA DO ESTADO EM PROTEGER QUEM LHE PAGA IMPOSTOS! (LUIZ CELSO SANTOS DE OLIVEIRA)



...48 PMS já foram assassinados no RJ, mesmo com a intervenção militar na segurança do Estado. Também faltam atendimentos médicos em vários municípios do Brasil. Enterraram só mais uma vítima da guerra que se trava entre quem tem o dever de proteger: um cabo da PM que, reconhecido em assalto, foi metralhado por ser defensor da Ordem e. ter a missão de cumprir da Lei em nome do Estado. O policial deixou uma filha órfã e a esposa em prantos.. e, talvez vire só mais uma estatística triste barulhento no conflito de troca de tiros e mais tiros entre policiais e milicianos.  


Duas coisas ou mais coisas podem ter se imbricado, ou a vereadora do PSOL, Mariele Franco estava certa em ser contra a intervenção militar na segurança pública, ou o Estado de Bem-Estar-Social não tenha acompanhado a intervenção os seus serviços. Ou as duas coisas se fundiram e se transformaram uma só: a total falência da segurança pública no Estado RJ.

Também outras coisas podem deduzidas da intervenção militar na segurança do Estado: 1. Não tenha dado certo; 2. o Estado Social não tenha acompanhado e cumprido sua função: levar serviços que são seu dever os quais foram relegadas e ocupadas pelas milicianos. Não se quer um policial protegendo cada morador do RJ, mas! No mínimo, uma segurança pública mais inteligente, com os serviços do Estado acompanhando à intervenção militar!

Sociologicamente, a vereadora do PSOL/R também assassinada pudesse ter morrido à toa, mas só parece. A coisa parece ser mais complicada: É a confissão da incompetência e falência geral de todos, com função social do Estado do RJ, ocupada pelo Estado paralelo do crime. Contudo, sem oferecer o mínimo que os milicianos oferecem de serviços â comunidade, todos continuarão reféns dos milicianos e a intervenção militara não dará certo como dissera a vereadora metralhada nas ruas do RJ, provavelmente por ordem da milícia, a quem combatia. O caso continua, ainda sem solução, sendo investigado pelos órgãos da segurança pública!

Recebi do policial rodoviário aposentado, o leitor Luiz Celso Santos morando em Brasília, vi e ouvi três vídeos, enviados de pessoas achando um absurdo terem prestado homenagem à PM de SP, que matou com três tiros um ladrão que iria assaltar pessoas em uma parada de ônibus e matéria com a manchete “Direitos Humanos pede prisão da mãe PM”que matou ladrão na porta da Escola e um texto explicando que a família do morto tinha entrado com pedido de prisão ao Ministério Público contra a mãe PM  e  mais enfaticamente Yara Magslhães dizendo que a PM poderia ter atirado e contido o assaltante.  

Em montagem de vários assaltos seguidos de assassinatos (filmados em câmeras públicas), pessoas comentando a ação da PM de SP, que foi homenageada pela corporação. No final a procuradora de Foz do Iguaçu, no Paraná, informando aos policiais militares em palestra dos Direitos Humanos, que “só poderiam atirar depois que fossem alvejados”.

Sobre esse vídeo que recebi, escrevi irônica crônica com policial militar perguntando: “Voce sabe quem me Matou”?

terça-feira, 15 de maio de 2018

EM QUESTÃO DE POLÍTICA... (no Amazonas) (Adelson Santos)

Para Adelson Santos 

(https://www.youtube.com/watch?v=YzcX6OpiAlM)


s==-feira, 3 de outubro de 2016


Ao contrário do que canta o amazonense Adelson Santos, em seu excelente LP “Não Mate a Mata”, de 1989, afirmando que em “questão de Solimões, o fundamental é saber que o Negro não se mistura com o Amarelo”, em questão de política, nunca será muito fácil entender a vontade dos eleitores: tudo se mistura, se complementa, se funde e se corrompe no final, voltando às práticas antigas dos substituídos. Não houve candidatos perdedores na disputa: só a democracia venceu!

No Amazonas, o poder político está nas mãos do mesmo grupo político, criado em 1982 pelo político Gilberto Mestrinho. Só criam e mudam de partido para continuar enganando os eleitores. Todos eles desfilavam em campanha eleitoral, em um carro aberto, dando um péssimo exemplo ao povo, descumprindo o Código de Trânsito Brasileiro. Desesperados, muitos candidatos em todo o Brasil descumpriram a legislação eleitoral e derramaram santinhos em frente aos locais de votação.

Quando o motorista que dirigia o veículo foi atingido de raspão e freou bruscamente a pick-up, várias caíram de dentro de sua carroceria e, como se fosse um voto de revolta contra o assassinato do prefeito José Gomes da Rocha, (PTB). O prefeito de 58 [anos à época foi assassinado em setembro de 2026, em Goiás durante uma carreta para as eleições municipais a Prefeitura em Itumbiara   em 20. Os eleitores elegeram com 36.143 votos, o seu o seu substituto Zé Antônio (PTB). Vá entender...!
Mas voltemos à realidade política no Amazonas. Durante festa de aniversário de Belmiro Vianez Filho, recebi e li um desejo dele dizendo que “seria o Governador do Amazonas”. Mas o filho do empresário português nunca chegou a concretizar seu sonho, embora fosse ainda jovem e dirigisse a rede de lojas de seu pai, a "Belmiro´s Modas", mas desconheço as razões.

(Livre adaptação de crônica que publicada em homenagem ao cantor Adelson Santos, publicada no blog em 3 de outubro de 2016 com mais de 670 visualizações).


segunda-feira, 14 de maio de 2018

JOÃO FURTADO, O PREFEITO!



Na década de 80 fui um fui dos assessores de imprensa com a CTPS assinada (ainda estava em criação na ALE/AM a nova Constituição do Estado), do ex-prefeito João de Mendonça Furtado (PDS) e despachava com ele em dois lugares: de manhã na sede da Prefeitura e à tarde em seu gabinete na Federação das Indústrias do Estado do Amazonas.  Era um homem trabalhador, de poucas vaidades, mas, com pouco dinheiro nos cofres da Prefeitura.  Era criticado pela imprensa por causa de lixo nas ruas da capital. Decidiu encomendar uma campanha de publicidade.

Depois da campanha pronta, o empresário Alberto Castelo Branco, diretor da SAGA PUBLICIDADE decidiu apresenta-la ao prefeito. Ela tinha por título "LUGAR DE LIXO É NO LIXO". Enquanto o dono da Saga se distraia olhando os diversos e belíssimos quadros na parede, o prefeito de Manaus comentou comigo:

"Está ótima a companha "LUGAR DE LIXO É NO LIXO" (Ela se destinava as emissoras de rádio com spots (cartuchos) de 15" segundos, jornais e Tvs), bem desenvolvida e atende ao que pretende ser alcançado pela Prefeitura de Manaus. Porém, está muito cara e o Município não tem todo esse valor". Todo o trabalho custaria aos cofres da Prefeitura pouco mais de 3 milhões de cruzeiros.

Aproveitando a distração do diretor da SAGA que continuava admirando os quadros que decoravam as paredes da sala na FIEAM, puxou debaixo de sua mesa um deposito de lixo e jogou tudo no lixo todo o material da campanha dento dele.

Ao se voltar ao prefeito, com paletó e gravata - que raramente o prefeito os usava - não vendo nada em cima da mesa em que deixara pastas com toda a campanha feita -  na época tudo desenhado e pintado à mão livre -  perguntou:

- Cadê todo o material da campanha que deixei aqui em sua mesa?!  Ele respondeu elogiou o trabalho desenvolvido pela SAGA e respondeu

- Onde ela deveria estar: "no lixo"! E começou a rir, balançando a mão deixando brilhar um anel com uma pedra de diamante, no seu dedo mindinho, uma das poucas vaidades que ostentava!


domingo, 13 de maio de 2018

AS DUAS MÃES,,,(JOSEFA COSTA/DULCE COSTA)





Difícil é retratar as duas mães que ainda tenho: a biológica e a que adotei para ser a "mãe do coração".  Retrato-as sempre em seus ambientes profissionais.  De ambas, herdei boas coisas e coisas boas. 

A biológica, semianalfabeta funcional por falta de opção, vejo-a em sua máquina de costura Singer, costurando roupas e meu caráter. A "mãe do coração" ainda a vejo usando peruca e atravessando e entrando no Hospital Infantil Dr. Fajardo, onde era Diretora. Contudo, da forma da biológica, herdei o caráter e da do coração herdei o prazer pelo estudo. Ambas me tratam até hoje por "Carlinhos" e me chamam "de meu filho", mas têm ciúmes uma da outra.

Um dia, devido à cirurgia no Hospital Santa Julia., foram no apartamento me visitar ao mesmo tempo. Deixei o coma de 10 dias e mais 45 memoria e outros 15 sem fala -contou-me a esposa-as duas se encontrara.  Foram me visitar. Ambas me trataram de "meu filho".  Discutiram

"A senhora não o carregou por 9 vezes na barriga.". Não lembro o que a "mãe do coração" respondeu. Ela ê muito educada! O certo é difícil para mim falar ou escrever sobre mãe.  Das herdei coisas positivas e a ambos amo igualmente, por razões diferentes que nem o coração ou a filosofia é capaz de entender ou explicar. Das duas recebi ensinamentos que e tornaram o que sou hoje!

A também me vejo subindo a escada e entrando no quarto de minha dona "ZIZI", “avó do coração”. Ela pedia sempre para ler as tarefas do Grupo Escolar Adalberto Vale para fazer em casa como “tarefa para casa”. Levava bronca dela por não ter tirado 10 em alguma das que lhe mostrava! 


"Está precisando estudar mais" incentiva-me dona “Zizi”!

sábado, 12 de maio de 2018

MOMENTO DELICADO..(VANESSA DE OLIVEIRA)




Nossa!! Que apelo à um novo golpe militar!!!! Isso é tão fascista.... Foi assim que a leitora Vanessa de Oliveira reagiu as ameaças de um novo Golpe Militar no Brasil, feito pelo coronel Carlos Alvesmais uma das muitas bazófias destemperadas em momentos de crises institucionais no país.   Mas o momento é delicado, sim! Em áudio dirigido grupo “Hepp Haour & Reacionários” o coronel, depois de ter falado em particular com a querida amiga Monserrat, convocava os brasileiros patriotas para cercar o STF, caso fosse verdade que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, chamado por ele de “bandido comum” deixaria a prisão por força do artigo Art. 142, que permitiria, segundo as palavras do coronel, que qualquer um dos “11 canalhas, vagabundos” o soltasse. Mas o ministro Gilmar Mendes negou um pedido da defesa e o ex-presidente Lula que usa um direito do “jus sperniendi”.

No áudio ameaçador de Golpe, ele dizia que não se subordinaria ao comandado de um “bandido comum, perigoso para a sociedade, comparava-o à Hitler, na Alemanha.  E anunciava que se Lula fosse solto, iria “ombrear” à Brasília,“cercar o STF e  prender os 11 canalhas e vagabundos da mais alta corte do país, instaurar um Tribunal Militar” . O raivoso e golpista coronel de infantaria Carlos Alves, usara de bravata para expor seu desejo radical em favor da ditadura e se expor também só para ganhar seus 5 minutos de fama nas redes sociais.

No Artigo 142, deixa claro, porém, que todas que as instituições organizadas com base na hierarquia e disciplina militar eram subordinadas ao comandante máximo do país, no caso, de Michel Temer. Por que o destemido, corajoso, destemido e fanfarrão, coronel Carlos Alves, faltou com a hierarquia à autoridade suprema do presidente da República Michel, não sei?

Durante o processo de cassação do ex-presidente Dilma Rousseff, as redes sociais também “descobriram” que as melhores fazendas de gado do Pará estavam em nome da única filha. Também descobriram contas secretas na Suíça, originárias de propinas da Petrobras em nome de Dilma Rousseff e disseram que onze navios já tinham partido do Afeganistão rumo ao Brasil com mais de 3 mil islâmicos para invadirem-no e que imporiam a crença islâmica ao país. Vi também em rede social a filmagem preconceituosa contra os venezuelanos, mostrando a estrutura para recebê-los e dizendo que enquanto isso faltavam escolas, hospitais etc. no Brasil.  Das mentiras que li na rede social, uma que anunciava que o Banco Central já teria autorizado reajuste valor de 37% de reajuste na conta de Energia Elétrica, como se o BC tivesse alguma coisa com isso. - Eu como brasileiro, patriota, pagador de seus impostos, dizia a mensagem do coronel que ameaçava golpista contra a ainda frágil democracia. Dizia que “não tenho medo”.

Com a continuação da prisão do ex-presidente Lula da Silva e candidatura do deputado federal e ex-capitão do Exército, Jair Bolsonaro, cada vez crescendo mais entre as fileiras mais radicais dos militares, fica complicado, delicado e perigoso o momento político do Brasil para as eleições presidenciais de 2018. Além de expor se expor com o radical desejo de golpe, expôs também a sua “querida amiga Monserat”, com quem teria falado em particular antes de gravar o áudio, cheio de ódio, desejo de impor o Regime Militar e indisciplina contra o chefe da nação.

Combinar democracia e com intervenção militar parece uma conversa mesmo de um sanguinário sem noção que tem sede de sangueCerto que o militar é treinado para identificar é ABATER um alvo... ainda nem terminamos de juntar os cacos da última ditadura. Santa ignorância”, conclui a leitora Vanessa Oliveira.

O coronel Feres acusa a Rede Globo em outro áudio enviado pelo leitor paraibano George Marques, de manipular a população só porque cumpriu seu dever informativo e divulgou que o general Ernesto Geisel teria ordenado execução de presos políticos contrários ao Golpe Militar de 64! Como também não quero causar pavor à população que acompanha as crônicas que escrevo com responsabilidade, não o repassei a ninguém. Com isso a Rede Globo teria associado o militar a “torturador, canalha e escroque”.