segunda-feira, 22 de maio de 2017

NASCER 7 MORRER


Só a eternidade
Nos dará a imortalidade!
Se nasce para morrer!
Um dia de vida é um dia de morte!
O que nos tornará imortais
É o trabalho que deixaremos,
Para a eternidade!


UMA ROSA NASCEU


Uma rosa nasceu.
Bela, perfumada e triste
Se deixou abater pela melancolia
Da vida que leva.
Mesmo assim, na primeira chuva no seu deserto,
Voltou a exalar seu perfume,
 Com sabor adocicado

E gostoso de se cheira (e ver!) 

sexta-feira, 19 de maio de 2017

COMUNICADO

COMUNICO A TODOS QUE PERDI TOTALMENTE A CAPACIDADE DE ESCREVER NOVAS CRÔNICAS PORQUE SOFRI UM ACIDENTE DOMÉSTICO E SÓ CONSIGO DIGITAR COM UM DEDO.
JÁ MARQUEI NEUROLOGISTA PARA O DIA 17 PELA MANHÃ E ESPERO DESCOBRIR O QUE ACONTECEU. NO CELULAR, CONSIGO DIGITAR APENAS COM UM DEDO.

MANAUS, 19 de junho de 2017

Carlos Costa

quarta-feira, 10 de maio de 2017

LABIRINTOS, GOZAÇÕES DE IRONIAS



«O poeta é um fingidor. Finge tão completamente que chega a fingir que é dor a dor que deveras sente”.  (“LABITINTO”,  DE FERNANDO PESSOA)


Parafraseando o poeta português Fernando Pessoa:
Afirmo que o brasileiro é um povo irônico e gozador:


(Consegue ionizar e gozar a dor que ele próprio sente!

segunda-feira, 8 de maio de 2017

RATOS, GUABIRUS E CATITAS!



Quanto se puxa a descarga
Do setor Estruturado de Propinas da Odebrech
(E da OAS, também?)
Travestidos de “representantes do povo”
(Mas de qual povo?)
Com seus paletós e gravatas impecáveis
Com os bolsos cheios de propinas,
Ratos, guabirus e catitas!






sexta-feira, 5 de maio de 2017

AS LISTAS DA ODEBRETH E DA OAS ,




Como canta Oswaldo Montenegro “Faça uma lista de seus grandes amigos”, hoje presos por corrupção na “Lava Jato”, que você os via desfilando nos corredores da Câmara dos Deputados e do Senado hoje você os vê mais; “faça uma lista dos grandes corruptos” que usam roupa cor de presidiários


Só falta sair a lista da OAS que confessou que paga propinas também à políticos.

quinta-feira, 4 de maio de 2017

UM PEITO QUE CHORA?




 Não sei se é um peito,
Ou um coração que choram juntos 
Um lamento de dor.
Igual ou mais doido que ouço do tucano
Na floresta primária (no Mundi).
Por não se sentir amada, rejeitada e, também, desejada
É de uma dor terrível,
(Que não gostaria de sentir)
Soluça e incomoda
No meio da noite,
Na solidão de seu casebre triste igual à noite