sábado, 7 de julho de 2018

...LANÇO FLORES (OBERDAN BARROS)

"Aos que me lançam espinhos, devolvo flores. Não tenho espinhos, para lhes devolver"(Menina Má)  (https://frases-indiretas-status.tumblr.com/)

Postada por Oberdan Barros em minha rede social de zap, fez me refletir na realidade da vida. Ela é frase do blog, que possui outras frases interessantes e que fazem pensar

Se não jardim de minha vida não possuo mais flores, prefiro não lançar espinhos contra ninguém, mesmo que seja para machucar de leve.

Admito que desde 86, perdi a paciência para muitas coisas, mas não atiro espinhos contra ninguém. No máximo, distribuo-lhes carinho, mas às vezes perco a paciência também.
.
Concluirei com uma frase do apresentador de TV Jô Soares, pelo artista plástico Max Pinturas, no grupo de Zap do Conjunto Poranga do Município amazonense de Itacaoatiara/Am que garante que a melhor forma de ser feliz com os outros "é aprender a ser feliz sozinho". O resto seria só uma questão de escolha.

Como não tenho espinhos, lanço flores sobre as pessoas....

sexta-feira, 6 de julho de 2018

ENGANADO...(JOÃO BATISTA REINALDO)



"É mais fácil enganar as pessoas do que convencê-las que foram enganadas" (Mark Twain)


Esse pensamento foi compartilhado pelo leitor José Batista Reinaldo na rede social no zap.

Ela produziu-me uma reflexão, uma pergunta, um questionamento e uma certeza:

- Como o ex-presidente Lula teria conseguido enganar tanta os eleitores por 8 anos seguidos, sem que ninguém desconfiasse? Seria mais fácil enganar um cego do que uma população inteira! Só encontro resposta na Lei 8666/83!

Estava certo o Joseph Goebbels, pai do marketing político"uma mentira dita uma vez e repetida várias vezes, torna-se uma verdade" ou como afirmou o teórico do blog do PT Pedro Maciel (http://www.pt.org.br/uma-mentira-dita-mil-vezes/), com o título: “Uma mentira dita mil vezes…” e repete a frase ministro da Propaganda de Adolf Hitler na Alemanha Nazista, que exercia um severo controle sobre as instituições  


quarta-feira, 4 de julho de 2018

ESCOLHA A MELHOR SEMENTE (SÉRGIO FONSECA)



Tudo o que você semeia...
cedo ou tarde terá que colher...
A vida é um plantio.
Escolha as sementes (e plante-as) com sabedoria...."

Esse pensamento postado pelo fotografo Sérgio Fonseca Jr, na minha rede social de zap. Ele é filho do também fotógrafo do Diário do Amazonas da década de 80, Sergio Fonseca, quando era Editor Geral, tendo como diretor comercial Cassiano Filho, que nunca interferiu na linha editorial que levemente adotava nos dois jornais em exerci essa função, assumida pela primeira vez aos 26 anos de idade.

Como escolhi boas sementes de rosa e as plantei, hoje colho os seus perfumes em forma de pétalas. Ao colhê-las, sinto nos dedos os pequenos leves doe espinhos. Como escrevi no O HOMEM DA ROSA (http://carloscostajornalismo.blogspot.com/2017/03/livro-o-homem-da-rosa-em-pdf.html), os espinhos servem para nos defender das dores que a vida sempre nos proporciona.

Prefiro a dor da vida, mesmo que vermelhos de sangue. Ao contrário seria o mesmo que passar pela vida e não a tê-la vivido intensamente por medo de ter experimentado um dia sequer amor sem dor!

Impossível na análise prática da vida!




quarta-feira, 27 de junho de 2018

QUITÉRIA EDILEUZA, "HAPVIDA" CHAMA PACIENTES DE "FAVELADOS" (EDUARDO)



Somos todos favelados dra. Quitéria Edileuza. Mas, todos somos favelados de políticas púbicas, educacionais e culturais...Embora não vivamos todos em favelados.. Somos sim, todos favelados pela falta de educação de quem deveria ter e não a tem... Dra. Quitéria Edileuza, infelizmente a senhora tem razão: somos favelados, sim!

Ao saber que estava sendo filmada e que ela postaria em social, a medica da Hipvida se irritou, bateu no celular que a filmava e disse "podia postar. Eu não tenho medo" Todos nós somos favelados políticos, reféns de nossa própria estupide. Somos uns favelados pela falta de educação por pessoas que deveriam tê-la, mas não as possuem...como a médica por exemplo. Também somos reféns da corrupção que nos obriga a pagar um plano privado embora tenhamos a obrigação legal ao SUS -Sistema Único de Saúde de contribuir com uma previdência publica obrigatória.

Mas com o precaríssimo Sistema Único de Saúde funcionando a é uma medica, talvez tenha viralizado pelas redes sociais, mas o primeiro que vi foi do leitor Eduardo. É....dra...somos carentes de falta de respeito; falta de educação...e somos todos uns favelados sociais....pela roubalheira que alguns congressistas fazem. O IBGE, fundado em.1934 pela obstinação do matemático. Mário Augusto Teixeira de Fretas, implantado em 1938 e funcionado até hoje no RJ, dine favela como sendo "um aglomerado do urbano com vida própria, independente”. Por isso, somos todos favelados, porque a única que temos é vida própria e muito menos independente! Tenho orgulho e não vergonha de ser um favelado político, obrigado a ter um plano de previdência público e outro privado.

Não sei onde foi filmado e nem veiculado ou postada o vídeonem rede social, mas pelo nome a médica Quitéria Edileuza, o CRM a identificará e saberá onde foi feita e saber o que possa ter acontecido e postagem e porque agiu   de forma tão ternária, colando tantos anos de estudos de medicina. 

domingo, 24 de junho de 2018

AZEVEDO, DUAS PESSOAS, EM UMA SÓ!


Como enquanto empresário era arrojado em tudo o que se propunha fazer. Contudo era muito divertido quando viajava, com amigos ou sozinho. Fiz algumas viagens com ele e posso atestar que o proprietário do Grupo TV LAR, assumia outra postura avessa a sua sisudez empresarial. Diziam que quando viajava à Portugal, sua terra que nunca esqueceu, era só para zerar seu “QI”, recarregar as pilhas e voltar a Manaus com mais sede de tocar seus negócios. Se era verdade ou não o que diziam, não sei. Nunca o acompanhei em suas viagens à Portugal. Mas quando viajava José dos Santos Azevedo, posso garantir que uma pessoa superdivertida.  Era duas pessoas em uma só!

Em 1892, viajando de Manaus à capital potiguar para participar de um Congresso de Lojistas, ele estava tomando whisky, na parte dos fundos de um moderníssimo Transbrasil, cujos aviões viraram sucatas nos Aeroportos do Brasil, junto com outras aeronaves da Varig, Vasp e Cruzeiro do Sul. No momento, serviam o jantar. Contudo o moderno avião pegou um vácuo e desceu uns 400 metros de uma vez e estabilizou em seguida. Azevedo, que estava em pé e sem sinto de segurança. Ele bateu no a cabeça no teto e a cortou. Pediram curativo para estancarem o sangue e viagem prosseguiu, sem mais incidentes. Era a primeira vez que viajava a Natal e me apaixonei pela cidade e tomei a decisão de residir na capital dos índios potiguar.

O dono da joalharia Ouro & Ora, Novelino Meneguine,(in memoriam)  que existia em Manaus despachou dois vídeos cassetes além da cota permitida como bagagem de mão com outros empresários que nada levavam. O Congresso inauguraria, o Centro de Convenções de Natal, na orla do costeira. Azevedo era o presidente do CDL/Manaus. Chegando do dono da Ouro & Ora, os deixou no Hotel, mas em seguida teve que os deixa por falta de vaga, mas o empresário e dono de uma loja na Avenida Eduardo Ribeiro, havia "escondido".  O dono da Joalheria Ouro & Ora, teve que se hospedar no Motel Taity e o Azevedo foi deixa-lo, com outro empresário. Ao chegar, o outro empresário se levantou do banco de trás e disse que só dormia no motel se tivesse “coxão d’água”, para a gargalhada do Azevedo. Ele, como presidente do CDL/Manaus, tinha feito reserva no Hotel, mas na hora da chegada do voo de madrugada, a vaga não existia mais. Fomos recebidos em Natal com outdoors engraçados do Motel Taity, junto com faixas “Bem-Vindo à Terra que Nunca Chove” com a foto do potiguar Gilliard. Ele foi o cantor de maior sucesso Nacional com Álbum “Aquela Nuvem”, lançado em 1979, mas que ainda fazia sucesso em 82. Durante a ida ao Centro de Convenções, das propagandas que li lembro-me de uma do Motel: "Filho, peça ao seu pai para levar sua mãe ao Motel". Todos usando paletó e gravata entramos juntos ao lado do baixo José Azevedo e demos um susto no gerente da Lobras potiguar. Dissemos ao gerente que tínhamos ido visitar a Loja e que éramos os seguranças de um dos donos da Lobras. O gerente que tinha ficado de concluir uma mudança da lanchonete do segundo para o primeiro andar bateu palma e anunciou pelo microfone “Vocês acabaram de receber a visita de um dos donos da Lobras quer veio ver se a mudança já tinha sido concluída”. E pediu pressa a todos e disse que ficaria tudo pronto à tarde. Dissemos que voltaríamos, mas, extenuados do Encontro de Empresários, voltamos para o hotel pelo outro lado da rua, aos risos.

Em outro momento, em viagem à Manacapuru, em sua Belina Marrom, Azevedo ficou hospedado em seu apartamento no alto de sua loja e visitou uma pessoa que tinha financiamento que o extinto BEA -Banco do Estado do Amazonas para comprar gado e comprou tartaruga. Sei agora que foi à Fazenda do empresário D"Angelo (hoje dono do Paraiso D'Angelo). Como não se encontrava, deixou um "recado abusado”: "diga ao seu patrão, que um fiscal do BEA esteve aqui para fiscalizar a aplicação do financiamento". Azevedo na época pertencia ao Conselho de Administração do BEA e sabia sobre todos os financiamentos feitos pelo Banco e para que se destinavam. Como comecei escrevendo nessa crônica, José dos Santos Azevedo era duas pessoas em uma só: como empresário era durão, competente e educado. Quando viajava sozinho ou acompanhado de amigos, era muito divertido, talvez porque estivesse longe das atribulações do dia-a-dia empresarial de quem começou consertando e vendedor de rádios e criou um império econômico, era muito divertido e divertia aos seus amigos.

Azevedo faleceu em SP, enfisema pulmonar, aos 84 anos. Ele fora do mundo seu mundo empresarial era totalmente diferente e muito divertido! 


quinta-feira, 21 de junho de 2018

A VOLTA DA BARBÁRIE (Wilson Lalor)



Dois vídeos em sequência, postados pelo leitor Wilson Lalor, mostrando uma pessoa, dentro um carro em movimento, provavelmente um policial civil já espancado, humilhado e filmado e sendo ameaçado por bandidos armados dizendo que ele e dizendo que seria “morto” e, depois, a mesma pessoa já agonizante no chão com camisa amarela sendo metralhada. Esses dois vídeos analisados juntos ou separados, me passaram a certeza que retornamos à Barbárie, abolida no século XIX e retornando em pleno século XXI, quando as maiores atrocidades são filmadas, postadas e compartilhadas em rede sociais.  

Não consegui saber em qual Estado teria sido feito a filmagem. Talvez, tenha ocorrido no Acre, no qual está ocorrendo uma disputa pelos pontos de tráfico no Estado.  Recentemente uma namorada de um traficante que teria dado ordens de dentro da prisão para executá-la usando o celular. A filmagem seria a “prova” da execução da inocente moça embora que o único crime que cometera foi ter se envolvido com um traficante preso.

O compartilhamento deixou-me chocado com tamanha brutalidade e deu-me a certeza que estamos retornando à Barbárie, dessa vez porém a “Tecnológica”. Seria a prova mais evidente do retorno ao Estado de Natureza, abolido do mundo no século XIX e substituído pelo Estado Social? Quando é que os congressistas acordarão para toda essa brutalidade e apresentarão um projeto de Lei propondo uma Pena Social de pelo menos três anos de internação obrigatória para tratamento da Dependência Química. Talvez se o deputado estadual Luiz Castro, candidato ao senado pela Rede Solidariedade, espero e aguardo que seja apresentado, mesmo que seja rejeitado em plenário.

No século XXI em plena era da tecnologia não esperava assistir o retorno rápido época da bestialidade social, às execuções filmadas e postadas em redes sociais, mesmo que venha servir de prova contra os criminosos. Ninguém tem o direito de executar ninguém sumariamente, sem direito a um julgamento justo.

"Não defendo o crime, mas o direito de o criminoso ter direito a um julgamento justo" como me ensinou em.1982 o jurista amazonense residente no RJ, Carlos de Araújo Lima, autor de dois volumes também lançados em Manaus que defendeu famosos crimes no Tribunal do Júri da capital carioca, como “O Crime da Toneleira”, como ficou conhecido o atentado contra o Jornalista, político, Carlos Lacerda na Rua Toneleiro, que levou ao suicídio do presidente Getúlio Vargas, dezenove dias depois do atentado. Vargas, historicamente é conhecido como “O pai dos pobres”.

terça-feira, 19 de junho de 2018

DESCULPAS....(Artur Benayon/Robson Roberto)


O Servidor Estadual e leitor Arthur Benayon compartilhou um pedido de desculpas "por não pintar a minha rua e colocar bandeirinhas" e "por não fazer um churrasco nos seus jogos". Mas tem a apatia de outros componentes emocionais também, como o foram abordadas pelo leitor pre-candidato do   estadual pelo PDT, o leitor Robson Roberto, como os 7 X 1 para Alemanha, na copa de 2014, por exemplo e outros eventos correlatos.


Diz o compartilhamento de Arthur Benayon, explicando porque não estar empolgado com a COPA DO MUNDO/2018 na Rússia e porque não teria decorado "jingles" das TVS e nem mesmo saber a “escalação do time". Explica porque não “esgotou a camisa da CBF nas lojas esportivas." E pergunta: Sabe o que acontece? Explica as possíveis razões que transcenderiam trauma dos 7 x1 da Alemanha:

"Estamos desempregados, sem hospitais, sem escolas decentes, com gasolina a mais de R$ 5,00 por litro, com a bannidagem tomando conta da nação, com ameaças de mais greves. com políticos nos roubando 24 horas por dia, com um STF comprometido com a sujeira de outros poderes...Seria esquizofrênico esquecer tudo isso por causa de uma copa do mundo de futebol. Desculpa. Foi mal, mas não vai dar não!" Tudo isso é verdade. Mas a culpa é de todos nós eleitores.
A Seleção brasileira, que é convocada a cada 4 anos, como os políticos também o são. A diferença entre os dois é enquanto os jogos empolgam um país inteiro, alguns congressistas fazem “maracutaias” e desviam recursos públicos de um país inteiro também. Em campanha prometem o céu às "bases eleitorais”. Depois de eleitos, entregam o inferno a eles!

Mas Seleção brasileira é a única que não tem culpa de nada!