sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

UM BELO ANO DE 2012 DIFERENTE DO ANO DE 2012!



No décimo segundo andar do prédio que se convencionou chamar de ano, mora a esperança. E é essa esperança é o que desejo a todos meus leitores. É a esperança que nos faz acreditar e andar para frente, todos os dias a um passo por vez.  Podem perder tudo, mas nunca percam a esperança e sempre sonhem como eu sonho com um Brasil próspero, honesto, isento de corruptos e corruptores em suas pontas, com as políticas públicas implementadas depois de anunciadas e, em cujo país, as verbas públicas sejam verdadeiramente retribuídas ao povo em forma de serviços de saúde, habitação, cumprindo fiel de tudo o que está disposto no Artigo 5 da Constituição do Brasil.

Um ano de 2013 totalmente diferente do ano que passou é o que desejo a todos os meus leitores, em que as coisas aconteçam antes de seus anúncios com pompas, alardes e depois sejam esquecidas, sem serem implantadas e que tudo seja e tenha um toque de realidade palpável e não de ilusão seguida de desesperança. É assim que vive o Brasil, hoje!

O Brasil é o país do faz de conta, das bolsas que nunca enchem a barriga dos pobres, só os bolsos de muitos políticos, das políticas públicas anunciadas com muito alarde, mas que quase nunca alcançam seus reais objetivos porque os orçamentos que nunca são distribuídos; das estradas esburacadas por falta de verbas e orçamentos (ou incompetência mesmo?), dos adolescentes se prostituindo, roubando e matando para conseguir dinheiro para comprar oxi, crack, maconha ou cocaína...Esse é o Brasil real e não o de fantasia, quando tudo pode acontecer!

Em uma série que está sendo exibida pela Rede Amazônica, em matéria produzida pela jornalista Daniele Assayag ouvi de um seringueiro uma sentença terrível: “eu preferia ter ido para a guerra, lutar com os aliados, que ficar explorando borracha para os americanos, porque no Amazonas morreram mais “soldados da borracha” do que soldados que foram para a guerra na Itália!”.

Desejo a todos um Brasil real e não um país mascarado de ilusões, bolsas, pacotes e truques que não levam a qualquer caminho. Desejo um Brasil com menos impostos, com conta de luz mais barato aos consumidores, sem tantos miseráveis andando pelas ruas...um Brasil que possamos nos orgulhar dele aqui dentro e não só quando estamos viajando, enfim, um Brasil verdadeiro e não vivendo de ilusões, mentiras e promessas...que nunca vão ser efetivadas. Um Brasil que libere ao seu povo em forma de serviços, os impostos que são pagos pelos contribuintes...

Um Brasil brasileiro e não um Brasil que se americanizou e se internacionalizou, mas que não teve competência política para reduzir seus impostos internos e vive à sombra à dependência da economia de outros países; um Brasil que descubra  outras riquezas além do anunciado e propalado “pré-sal”. Um Brasil, enfim, no qual os políticos eleitos trabalhem pelo Brasil que os elegeu e não pelo dinheiro que poderão ganhar depois de eleitos...

Sendo isso uma verdade, desejo que essas coisas não se repitam mais e que tenhamos todo um ano novo próspero, cheio de amor, carinho, abraços verdadeiros, políticas públicas que melhorem a vida do povo que, enfim, o novo ano seja melhor do que o ano que passou. São meus votos. Ah, havia esquecido: que eu passei mais um ano sem sofrer novas convulsões! Amem!

sábado, 22 de dezembro de 2012

MEU PRESENTE DE NATAL...!




Não é o mais caro diamante exposto na vitrine da loja ou o mais belo e possante carro conversível Ferrari ou quaisquer outros tipos de presentes não me deixarão satisfeito nesse Natal! Só preciso de coisas simples, mas sinceras...!

...um abraço verdadeiro, um sorriso sincero, um aperto de mão desinteressado recheado com princípios morais, éticos verdadeiros e sem falsidade... é isso e só isso que me deixarão feliz!

Se puder, embrulhem  tudo em papel de presente, colocando uma rosa vermelha em cima e mandem me entregar em meu endereço,  na Rua da Felicidade, número da Amizade, bairro da Esperança. Não sabem onde fica?

Fica bem próxima à Justiça Social, ao lado do Beco da Cidadania, no bairro onde mora a Felicidade plena, com casas belas e não caixotes do programa “Minha Casa Minha Vida”. 

É fácil de acertar, desde que queiram vir comemorar o Natal em meu “apertamento” de 96 m2, comendo de minha comida, bebendo água apenas...junto comigo!

Se me enviarem, ficarei mais feliz ainda, pois não posso ir buscá-los pessoalmente! Gostaria de buscá-los, mas não posso porque todos que me acompanham por anos a fio, sabem que não dirijo mais, vendi meu carro e sou sequelado por onze cirurgias no cérebro...só isso!

Ainda não sabem onde fica meu endereço?

Darei uma última dica: fica localizado do lado esquerdo do peito ou dentro dele: é só ouvi-lo em total silêncio que saberão onde moro. O coração irá lhes dizer e explicar como vocês podem chegar até mim!

Se mesmo assim não souberem, não haverá problemas. Eu mesmo lhes darei como presente meus escritos em forma de ternas suaves ou de protestos. Isso depende de meu humor no momento que escrevo! Foi nisso que a Ditadura Militar dos últimos 18 anos no Brasil me transformou! Sou cronista e matou e mataram junto com outros companheiros, meus sonhos de poeta que jamais seria com perfeição!

Aliás, confesso: não sei escrever poesias, exceto quando a poesia me procura e eu apenas a transmito para o computador, esse meu “vermelinho” da Toshiba que não me abandona e, quando sinto que “ele” está querendo ir morrer antes de mim, os amigos da UTI do Nobebook o recuperam para mim e eu continuo escrevendo minhas crônicas! Pagando a conta, claro! E o faço com pena por eu não ter dinheiro e prazer por ser hoje meu único instrumento de comunicação com o mundo!

Desculpem-me, amigos, porque passei os últimos anos de minha vida que se finda, afirmando que não desejaria Feliz Natal e “próspero” Ano Novo a nenhum de meus amigos, mas mudei de opinião e agora decidi inverter meu papel: não desejarei novamente, apenas lhes darei a mim, em forma de rosa, amor, sinceridade, amizade, honestidade – princípios que faltam hoje a muitos administradores públicos.

Se puder, envie-me os presentes, em forma de carinho, amizade, sorriso, abraço, por Sedex, mesmo que não cheguem antes da festa que minha família fará para mim, porque não sei se haverá sobras de dinheiro para promovê-la, pois nunca me sobra nada da aposentadoria, embora seja econômico e o Governo anuncie que os “aposentados” estão recuperando seus ganhos. Como? Em já sou econômico fixo, sobretudo na conta de energia quando o Governo promete reduzir em até 20% em 2013. Ah, que alívio! Faltam baixar mais impostos e os juros escorchantes cobrados no Brasil! Sempre que meu dinheiro acaba antes do fim do mês, minha esposa me ajuda a pagar o resto.

Não quero dinheiro – embora precise dele para viver. Vivendo sempre com pouco, descobri ao longo dos anos que não sou escravo do dinheiro: posso viver com tudo ou com quase nada. É só uma questão de inverter os valores.

Ah, não se esqueçam de embrulhar junto com meus presentes um pouco de justiça social, junto com política pública nas áreas de habitação, saneamento, segurança e, sobretudo educação e honestidade pública – o que está faltando muito nos últimos anos. Ah, também não se esqueçam de me mandar um pedaço de amor em forma de bolo, mesmo que confeitado ou recheado, porque adoro essa guloseima!

Essa será minha ceia natalina! Nada mais quero e nem desejo, a não ser abraçar a todos e desejar-lhes um FELIZ NATAL E UM PRÓSPERO 2013! É meu desejo a todos os meus leitores!


quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

O CANTO TRISTE DOS PASSARINHOS...!



Cantos tristes, quase em desespero, se houve em meu condomínio. São pássaros desesperados;
Perderam seu habitat natural e não podem mais construir seus ninhos e procriar livremente como é de sua natureza.
Hoje, pousam  e canto em cima dos prédios aonde antes eram seus lugares.
O desespero foi tanto que um ninho foi construído no alto da cobertura de uma churrasqueira,
(Um a um, transportaram gravetos nos bicos para perpetuarem suas raças)
Nada, além disso, consigo ver quando ando pelo meu condomínio,
(belo por certo, mas a custa de um progresso bobo, infantil e burro que destrói floresta em nome de lucro imobiliário)
Toda uma floresta primária foi destruída para dar lugar a onze torres
(com minúsculos apartamentos, pouco maiores que um ninho de passarinho)
É o progresso imobiliário invadindo Manaus pedindo “licença” ambiental pela força do dinheiro que a muitos corrompe
Destruindo sonhos infantis de menino do interior,
Criado como as aves; e, árvores: livre, leve e solto,
Apreciando o canto dos pássaros, sem gaiolas,
(às vezes usava um estilingue no pescoço para tentar ceifar a vida de alguns - o que nunca aconteceu - porque prefiro ter vivos todos os passarinhos de minha infância, do que presos em gaiolas ou comercializados em feiras livres pelo Brasil, com a conivência e o beneplácito de autoridades corruptas de fiscalização).
O desenvolvimento imobiliário pode ser feito junto com a preservação ambiental! Pelo menos, ainda é minha utopia! E continuarei acreditando nela, até que eu morra!
Hoje, tenho que conviver com um grande impacto ambiental autorizado e licenciado pela força do dinheiro!

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

QUEM ESTARIA POR TRÁS DOS VANDALISMOS EM ÔNIBUS?




Uma reação burra e covarde, comandado por presos de dentro das cadeias com liberdade para usar aparelho de celular livremente, repassando ordens para outros marginais que ainda estão livres, está causando prejuízos imensos aos empresários proprietários de transportes coletivos de vários Estados do Brasil!

A revolta da população, tocando fogo em ônibus, é um tiro no próprio pé de quem incendeia ônibus porque sem coletivos nas ruas, como o povo será transportado para o trabalho diariamente?

É, portanto, uma ação burra engendrada pelas “comunidades” com interesses inconfessáveis, assessorada por marginais e apoiada financeiramente pelo poder e a força financeira do tráfico. Esses atos de selvageria sempre ocorrem depois de confronto com a polícia e a morte de algum bandido. Quem estaria por trás dessas ações? O crime organizado, certamente!

Tenho dúvidas se as “comunidades” teriam um poder tão grande de organização ao ponto de promover revoltas, parar coletivo cheio de passageiros, ordenarem a descida de todos, derramarem gasolina e atear fogo no coletivo, colocando em risco a vida de milhares de usuários.  

Alguém está financiando essas ações contra empresas de transportes coletivos.  Ouso dizer que o crime organizado quem comanda esses atos de covardia contra uma população que quer só saber de ir e vir em paz, em medo, susto, balas perdidas, fogo em coletivos. Quem mais poderia estar por trás de todo esse vandalismo? Com certeza são os presos que comandam tudo de dentro das cadeias porque até hoje não existe em funcionamento bloqueador de celular que não bloqueiem também os sinais de outros usuários. Alguma coisa está errada! Quem ganha com isso é o crime organizado!

A comunidade, por mais organizada que venha a ser, não teria tanto poder assim! Com certeza são bandidos presos que ordenam essas ações porque elas sempre ocorrem depois de um confronto entre policiais e marginais com longas fichas policiais. Até mesmo quando a polícia mata um inocente (os policiais são imediatamente punidos quando resta a autoria), coisa rara, a comunidade também se mobiliza e atira no próprio pé, queimando ônibus e causando prejuízos aos empresários!

Até quando teremos que aguentar esse estado de coisa que está beirando ao ridículo?! O fogo em ônibus começou em São Paulo, depois passou para Santa Catarina e ainda continua na capital paulista, sem que quase ninguém tenha sido punido por isso, até hoje! Quando alguém é preso, logo vai solto por força de ação de advogados pagos por bandidos presos. Isso é um absurdo!

Será que vamos voltar a viver em estado de barbárie? E o Estado Social, onde fica nesse caso? É bom as autoridades tomarem uma providência urgente porque por trás de todas essas ações está presente o crime organizado, com poder maior do que a da própria polícia. É lamentável!


sábado, 15 de dezembro de 2012

ATÉ QUANDO...?



Quantas pessoas mais terão que ser assassinadas no Brasil para que as autoridades tomem providências definitivas contra os bandidos presos, que comandam o terror de dentro das cadeias ainda sem bloqueadores de sinal de celular, com a liberdade para mandar matar, sequestrar, estuprar e até traficar como se presos pudessem montar, operar e ordenar ações em seus “escritórios particulares do crime” dentro das celas?

Quantos adolescentes mais precisarão morrer de overdose para que o Governo Federal crie, implante e desenvolva um programa de tratamento aos dependentes químicos e combata o tráfico de drogas e armas nas fronteiras? Esse é um problema de saúde pública social e não policial! Mas não é assim que as autoridades do Brasil encaram o problema, afinal, drogadito não vota; portanto, não tem direito a tratamento de graça, custeado pelo Estado brasileiro, infelizmente!

Quantas balas perdidas continuarão perdidas, matando vítimas inocentes que saem para o trabalho, escolas e outros locais, até que se tomem medidas e se implante uma verdadeira política de segurança pública, para controlar esse caos social no Brasil?

Quantas prisões, condenação e assassinatos de inocentes terão que ser registrados no Brasil para que a Justiça se mova rumo à execução verdadeira da Lei, sem que, em algumas vezes, se curve aos poderosos pelo do econômico?

Quantos impostos mais precisarão ser recolhidos pelos contribuintes, até que o Governo Federal os devolva à sociedade em forma de bons serviços, honestos e que os membros da sociedade possam bater no peito sentindo orgulho de dizer que “eu sou brasileiro”?

Até quando os brasileiros ficarão calados, aceitando todos os atos de corrupção denunciados em diversos escalões do Governo, atingindo os mais graduados funcionários públicos e também muitos de “cargos de confiança”?

Até quando os brasileiros aceitarão calada a pesada carga tributária que lhes pesa às costas, em troca de péssimos serviços públicos, reclamações, filas intermináveis, falta de médicos, hospitais, remédios e muita corrupção?

Não sei; não sei, mas ainda desejo estar vivo para comemorar o dia em que os brasileiros passarão a sentir orgulho de se dizer originários de um país chamado Brasil sem sentir vergonha de seu ato!

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

DA VARANDA DE MEU APARTAMENTO...!



Minha visão,  cansada de ver concreto armado, onde antes se podia olhar e apreciar muito verde com agradáveis e sonoros cantos de pássaros, agora só vê concreto!

Da varanda de meu apartamento no primeiro andar, só consigo avistar uma bonita piscina enfeitada em uma de suas partes, com flores amarelas que refletem na água azul cheia de cloro, barrilha e sulfato, além e apenas uma solitária pomba rola se banhando na água  e se aquecendo no sol da manhã, além de muitos passarinhos de vários tipos também procurando suas antigas árvores que eram  seus ninhos.

Logo cedo, ainda consigo ouvir desesperados cantos de pássaros em busca de seus antigos locais de cantorias e diversão em uma nesga de floresta às margens de um riacho! No horário da tarde, mais periquitos verdes invadem outro condomínio de casas, roubando seus lares. Ou seria delírio meu?

Também, da varanda em que estou sentado agora, sentindo a leve brisa do vento que entra pela janela da cozinha e foge pela porta de vidro da sala, só visualizo 11 torres de concreto de 18 andares, com quatro apartamentos em cada, construídos em um local de mata preservada, habitada por muitos pássaros migratórios! Em vez de aves, mais de três mil e quinhentas pessoas ocuparão apartamentos!


No local onde frequentavam as araras, papagaios, periquitos, macacos, preguiças, pacas, tatus, cutias e muitas outras espécies, hoje existem uma grande piscina que, por baixo dela, permitiu-se à construção de garagens de carros, cinema, salão de festas, salão de beleza e outras comodidades que nos trazem conforto, mas também preocupação pelo desprezo do homem com as florestas e os bichos que nela habitavam. Para que local foram “banidos” os animais de suas antigas propriedades? Não sei, mas me preocupo porque estou morando no lugar dos bichos, talvez como um bicho pensante também! Isso é a única coisa que me diferencia de todos os outros animais!

Mas, um alívio para mim e os animais: uma pequena nesga de floresta foi preservada no condomínio, insuficiente para continuar vendo e ouvindo o canto alegre e feliz dos pássaros que me acordavam com seus alegres cantos, o barulho estridente das araras vermelhas, o alegre pular de galho em galho de macacos da noite,o preguiçoso esforço do “bicho preguiça” para escalar as árvores e se alimentar de folhas! Tudo isso era lindo!

Para onde se deslocavam araras vermelhas, macacos da noite, e o bicho preguiça, que desfilava preguiçosamente seu andar lento, em busca de folhas verdes e frescas? Visualizava no final de todas as tardes e no início de todas as manhãs quentes de Manaus, pacas e outros animais de quatro patas. Para onde todos eles foram? Será que me restou apenas a indefesa pomba rola e os passarinhos apressados para me faz lembrar a grande quantidade de aves que existia no local. Aonde foram morar, agora?  

Hoje, no total silêncio em que me encontro, ouço poucos cantos de pássaros teimosos que ainda frequentam as árvores que restaram na margem de um igarapé, por força de obrigação legal! É o local aonde ainda se escutam cantos dos pássaros, ou seria seu canto, apenas um lamento pela perda da floresta que havia antes? Não sei dizer! 


Era uma festa para meus ouvidos, o barulho que faziam as araras, por vezes papagaios também se aventuravam a cantar no local. O espetáculo era lindo e eu graciosamente, filmava macacos da noite e araras da janela de meu antigo apartamento no condomínio ao lado! Hoje, tudo mudou. Só não mudaram as idéias que defendo, os sentimentos que tenho e minha grande tristeza por ver mais um espaço de área verde ser transformado em selva de concreto!


quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

CONVULSÃO!

Estou ausente de minhas publicações porque sofri uma nova convulsão no último sábado e ainda me recupero de seus efeitos devastadores, mas estou bem, em casa, em repouso total, tomando remédios que me deixam entorpecidos e com muito sono.
Mas voltarei, assim que me sentir bem!
Um abraço a todos!

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

SOLIDÃO DE MIM...!




Abraçado com a tristeza da lua,
Coberto pelo manto negro da noite,
Dormi protegido pelas estrelas.
Acordei com o canto dos pássaros,
Na solidão de uma noite de sono intercalado
Para rever a vida multifacetada construída pelo tempo
(Impiedoso! que a tudo destrói e reconstrói em nossos sonhos infantis de menino que tinha esperança no amanhã que nunca chegou como eu desejava que fosse: lindo, perfeito e suave como a brisa das manhãs ou com cantos de pássaros!)
Com todas suas inquietudes e complexas relações
Humanas nem sempre tão humanas assim!
Era um sonho ou um pesadelo?
Não sei dizer, pois poderia ser meu sonho delirante
Ou meu pesadelo dilacerante ao acordar
Ao perceber que o mundo continua o mesmo!

domingo, 18 de novembro de 2012

CALLs CENTERs CONTINUAM ENGANANDO CONSUMIDORES!





Para fugir das pesadas multas impostas pela portaria que disciplinou o tempo máximo de atendimento aos consumidores, os Call Center criarem uma nova modalidade para continuar enganando os consumidores: o atendimento imediato e eletrônico das ligações ao primeiro chamado, informando que “Sua ligação é muito importante para nós. Por favor, aguarde. Estamos transferindo sua ligação para um de nossos  atendentes”, o que leva até 30 minutos de espera, principalmente no telefone  0800 de contato da empresa Amazonas Energia. E, ao final, geralmente, o cliente interessado não recebe uma resposta satisfatória, muito menos a solução de seu problema, mas fica sabendo tudo sobre a “Eletrobrás” e seus serviços.

Essa nova maneira de burlar a portaria do Ministério da Justiça, implantada pelas operadoras de Call Center, está irritando ainda mais os usuários dos serviços de energia elétrica, telefonia, TV por assinatura, planos de saúde, aviação civil, empresas de ônibus, bancos e cartões de crédito fiscalizados pelo Banco Central, mas evitam a multa porque provam que o atendimento está sendo feito até em menos tempo do que o determinado.  

Uma coisa é o atendimento no tempo exigido, outra coisa é a solução do problema em um tempo no mínimo razoável de 10, 15 ou 20 minutos, mas isso a portaria do Ministério da Justiça não previu e o abuso recomeçou. Depois da transferência eletrônica para o “atendente”, é feito o pedido, o nome e o assunto que deseja resolver e depois dizer que “lamenta”,porque geralmente, a informação pedida “não consta no meu sistema e nada posso fazer.”

Essa é uma forma velada de enganar os órgãos de fiscalização ligados ao Ministério da Justiça.  Com a falha na portaria, por não ter estabelecido um tempo entre o atendimento eletrônico e “um de nossos atendentes”, para uma resposta, mesmo que negativa, os Call Centers continuarão burlando a portaria, enganando os órgãos de fiscalização e não poderão ser multados.

A portaria do Ministério da Justiça precisa urgentemente ser revista, reformulada e estabelecido tempo entre o atendimento eletrônico imediato e o “atendente” conversar com o interessado. Se isso não for feito, os abusos continuarão sendo praticados pelos Call Centers, infelizmente.

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

A ESPERANÇA!



(em uma estação de trem abandonada em uma cidade de MG)

Depois daquele morro que se avista à frente, cercado de verde por todos os lados, e que ao fundo possui um lago tranquilo, existe uma cidadezinha, construída há muitos anos, mas que insiste em permanecer no mapa.

Dela, poucos se recordam com precisão e são raros os que dela sabem o nome – Esperança. Esse nome tem uma origem curiosa e ninguém afirma ao certo se o nome nasceu com a cidade se se passou existir desde que descobriram uma antiga moradora, talvez a última que insistia em permanecer no local.

Durante muitos anos aquela cidade viveu da esperança de um trem maria-fumaça que teimosamente passava por lá. Trazia notícias da cidade grande, gente curiosa e visitantes também. Levava de cá gente triste com a partida e deixava, na estação, além do barulho ensurdecedor da fricção das rodas do trem com os trilhos e do seu apito estridente, lágrimas teimosas dos que ficavam e dos que partiam. Também levava acenos de braços cansados e de mãos que abanavam chapéus e de braços longos que seguravam os lanços brancos.

Tudo era motivo de tristeza: a chegada de alguém para aquele fim de mundo e a partida de outrem em busca de melhorias na capital. A chegada era triste para os que chegavam da cidade grande e se deparavam com uma cidade calma, pequena, onde o tempo não passava e onde as coisas pareciam se repetir sempre.

Com a desativação da linha de trem, a cidade foi perdendo a razão de existir e as pessoas  começaram a ir embora. A rua principal estava deserta, o cemitério estava abandonado e a igreja não abria mais. Era uma cidade quase fantasma, não fosse a existência de uma moradora que ainda restava em Esperança – se é que ele era o verdadeiro nome da cidade.

Na antiga estação de trem em ruínas, uma senhora de grande idade olhava  todos os dias para o relógio que ainda marcava a hora da chegada do trem e, talvez, a hora que marcou a sua última viagem.

- A senhora mora sozinha aqui? – perguntei, sem esperar uma resposta convincente.
- Não, eu não moro sozinha. Você mora aqui também, ou não mora.
- Não, eu não moro aqui – respondi.
- Você também veio esperar o trem?
- Que trem?
- O trem que todos os dias vem aqui me trazer notícias da cidade, ora!
- Não há mais trem aqui. Ele deixou de vir há muito tempo!
- Como não há mais trem? Todos os dias eu o vejo chegar, sempre na mesma hora que o relógio ali – e apontou para o relógio, está marcando. Ele traz e leva pessoas daqui.
- A senhora espera alguém em especial?
- Sim. Eu espero a esperança?
- Quem é a esperança?
- Esperança, você não conhece a esperança? De onde  veio que não conhece a esperança?
- Desculpe-me, senhora, mas  não sei quem é essa esperança!
- Aqui todos conhecem a esperança. Ela é quem nos mantém vivos.
- Ela é o médica do lugar?
- Ela é mais que a médica do lugar. Ela é a vida desse lugar. Se não fosse a esperança nós não poderíamos viver!
- Afinal senhora, quem é essa esperança?
- Ela é quem nos guia, nos dá rumos, nos orienta, nos faz acreditar no futuro, nos faz acreditar que Deus existe e é poderoso, nos faz pensar em dias melhores...
- Continuo não entendendo quem é essa esperança que a senhora tanto espera.
- Desculpe-me moço, mas agora tenho que ir...
- O que aconteceu? O trem já chegou ou a esperança não veio?
- Ora, moço, como você é estúpido! O trem passou mas não parou porque enquanto eu conversava, você me fez perder a esperança e é sempre assim.  Se a gente esquece a esperança, as coisas passam em nossa vida e nós nem as sentimos!
A senhora idosa virou-se de costas, caminhou rápido e desapareceu  rápido naquela cidade quase fantasma.
Eu fiquei parado sem conhecer a esperança, ou melhor, eu também perdi a esperança! Mas DEUS ainda de me mostrar a verdadeira esperança!

terça-feira, 13 de novembro de 2012

TRANSPOSIÇÃO DAS ÁGUAS E A SECA NO NORDESTE! (LAMENTO DE UM RETIRANTE)




Ah, irmão nordestino, por que será que sua sina é viver na eterna seca,  eleger políticos que prometem em campanha a solução para o problema, presenciar seu gado também morrer por falta de água e sede  e, ainda,  morrer na cheia, ao primeiro sinal de chuva forte?

Não sei responder, mas devido ao descaso do Governo Federal e a irresponsabilidade do Ministério da Integração Nacional em não fiscalizar e acompanhar de forma competente e séria as obras fantasmagóricas da transposição do Rio São Francisco, com a construção de 600 quilômetros de concreto, cortando os Estados de Pernambuco, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte, os nordestinos continuam vivendo na miséria extrema, isso vem ocorrendo.  Mas só a seca, porque a cheia controlada por canais e adutoras, que ficou de chegar ao sertão, até agora continua sendo só uma promessa, mas você ainda espera!

Antiga e polêmica obra, o projeto de levar água do Rio São Francisco aos nordestinos, alcançando os municípios mais pobres de quatro Estados que seriam beneficiados no chamado pomposamente pelo Governo Federal de “Projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional”, está provocando desespero a todos os sertanejos que enfrentam o fenômeno da seca desde os tempos do Império quando Dom Pedro II determinou a construção de açudes durante a primeira grande seca até então registrada na região, que durou de 1877 a 1879.

De 1877 para cá, de acordo com dados do Ministério da Integração Nacional, do Governo Federal, existem 70 mil represas construídas no nordeste, acumulando 37 bilhões de metros cúbicos de água. Com essa água toda, por que o nordestino reclama tanto da seca? Por que o gado morre de sede e fome por falta de pasto? Por que por dentro do canal bilionário da transposição jorra tanto escândalo? Por que a obra iniciada em 1977 encontra-se parada? São tantos os porquês que não sei a razão de estar perguntando novamente por que isso e por que aquilo! Se tantos açudes já foram construídos e tanta água pode ser acumulada em seus reservatórios, a região nordeste poderia ser hoje o maior detentor de volume de água represada do Brasil, e não ver sertanejos com lata de água na cabeça em cima de burros, rumando léguas e léguas para apanhar uma água ruim, cheia de lama, imprópria para o consumo humano!  Mas é isso o que ocorre, em vez de ser o contrário.  Se todas as verbas disponibilizadas para resolver a questão da seca cíclica e conhecida no nordeste tivessem sido aplicadas verdadeiramente em um objetivo fim, os bravos nordestinos teriam do que se orgulhar. Mas sentem vergonha! Ah, meu irmão nordestino, juro que eu também não entendo isso!

Dos bilhões de reais “investidos” ao longo dos anos na região, outros bilhões mais foram desviados para eleger políticos inescrupulosos e manter o “status quo” da dependência desnecessária aos que prometem  “resolver e lutar” da seca que se repete, mas nada fazem. E o sertanejo renova esperança todos os anos em santos, com rezas mansas ou brabas e só que só esperam cair uma gota de chuva para molhar a terra seca para iniciar o plantio de feijão, capim e manter sua subsistência. Hoje, os nordestinos poderiam ser exportadores de água para o resto do mundo e não ficar lamentando por continuar na miséria!

Dados do próprio Ministério da Integração Nacional confirmam que 525 municípios decretaram ao longo dos últimos anos, estado de emergência e sempre esperam por avaliação da Secretaria Nacional de Defesa Civil. Diante dessa verdade, a pergunta que se faz é: se existe tanta água acumulada em barragens, por que a seca atinge tão fortemente a população mais pobre?  O bravo homem nordestino é um herói que trabalha a terra ao primeiro sinal de chuva, que planta e colhe seu feijão, que cria cabeças de gado para sustentar sua família e que morre de fome pela miséria extrema, de sede mais um pouco e que olha desolado suas poucas cabeças de gado também morrendo de fome por falta de capim e de sede por falta de água,  

Diante da burocracia governamental, populações de áreas pobres continuam convivendo com a seca extrema, enquanto assistem gado morrendo  de fome por falta de pasto e  de sede, por falta de água, enquanto milhões e milhões de reais continuam jogados dentro do canal que deveria levar água para ser bombeada em nove estações que também seriam construídas ao longo dos 600 quilômetros de desperdícios de dinheiro público. Diante do fiasco e incompetência gerencial do Ministério da Integral Nacional no processo gerencial de fiscalização das obras com o dinheiro público, muitos trechos prontos e abandonados terão que ser refeitos porque não servem mais para nada.

Depois que findar o coronelismo e o jugo do “status quo” da dependência política aos que prometem água para o povo, talvez os pobres sertanejos possam sorrir felizes pela sua liberdade total, sem depender de chuvas e de falsas promessas que duram desde da época do império, no ano de 1877.

sábado, 10 de novembro de 2012

YARA, A ROSA DA MINHA VIDA!



                        (pelo seu aniversário em 10.11)

Hoje, é o aniversário de minha esposa Yara, a rosa da minha vida!

Como uma rosa, ela também precisa receber água em forma de amor para não secar;

Como uma rosa, me fere com seus espinhos, mas logo a ferida sara porque ferida de amor não dói;

Também como uma rosa, me protege ao seu centro como a um recém-nascido deve ser protegido;

Ela é meu centro de tudo, mesmo quando não deseja ser!

Depois de minha precoce aposentadoria, Yara passou a ser meu dia, minha noite, meus olhos e meu consolo.

Durante meu sono que está ficando cada vez mais curto devido ao tempo que corre rápido e não perdoa ninguém, em minhas noites com problemas de sono e nas manhãs sem canto de pássaros, o perfume de Yara está sempre presente e me consola!

Minha falta de dinheiro foi suprida por Yara com amor, carinho e me presenteou com nosso filho – que eu também queria;

Yara, em forma de rosa, também passou a ser minha lembrança, meus olhos, dedos, guia e minha vida toda!

Como uma rosa, perfuma minha vida;

Como uma rosa precisa de água para não secar, às vezes você seca pela falta de água em forma de amor, que não lhe dou com a frequência que você merece! Mesmo assim, eu a amo muito, Yara, perfume de rosa em meu jardim de ilusão, mas sem a ilusão que me ama em forma de Yara, sei que não viveria mais!



domingo, 4 de novembro de 2012

A VINGANÇA DA NATUREZA E DESCASO EM MANAUS!




Mais de vinte árvores arrancadas pela raiz, retorcidas ou tombadas pela fúria dos fortes ventos, permanecem inertes no Passeio do Mindu, como um protesto não mudo, surdo ou cego contra o descaso do setor de limpeza pública da Prefeitura Municipal, que não recolheu e as sepultou até hoje em local adequado, sem choros, missa ou velas. Enquanto caminhava com minha esposa Yara pelo local, em meio aos passos e o silêncio sepulcral dos pássaros, que não cantam mais, dava para ouvir o soluço das árvores desprezadas, tombadas para o meio do igarapé, arrancadas pela raiz e uma, de forma teimosa, toda verde, se recusando a morrer!

Todas as árvores que agora continuam chorando também contra o homem que destrói a natureza, foram arrancadas pela raiz, tombadas ou retorcidas pelo vendaval que ocorreu em Manaus, no último dia 30, causando a interrupção do fornecimento de luz por até três dias em algumas áreas da cidade, devido a queda de árvores em cima dos fios de energia, além de outros prejuízos, como o destelhamento e tombamento de casas, perdas de alimentos, prejuízos financeiros, coisas impensáveis para a capital até poucos anos passados.

Com certeza, foi à vingança da natureza agindo na forma que consegue e pode para se defender das agressões dos homens, pela destruição da floresta amazônica. Sinais de vingança já tinham sido dados ao Amazonas, com as fortes cheias que alagaram parte das ruas de Manaus, seguida da forte seca nos Rios Negro e Solimões, com o surgimento de bancos de areias e “ilhas” em meio aos dois grandes rios, que parecem mar, principalmente o Solimões, que chega a ter mais de cinco quilômetros de distância de margem a margem, em alguns locais.

Também tombada, permanece a grade da quadra de esportes construída no Mindu pelas empresas que projetam edifícios em uma rua estreita, destinada aos pedestres, mas que foi invadida por construtoras, inclusive com a demarcação de vagas de garagens dos prédios em local público, em total desrespeito a Lei, por não ser área privada, possível de qualquer uso!


Felizmente, o pé de manga rosa plantado no local pela jornalista Terezinha Soares, prêmio Esse de Jornalismo em 1978, com seu fantástico protesto “Estão matando a floresta (os homens morrerão depois com o título, “Estão matando a floresta (os homens morrerão depois) publicada em A NOTÍCIA, no final da década de 70, permaneceu intacta, com várias mangas no pé, talvez protegida pelas mãos de Deus, contra a fúria da natureza!

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

A CONSTITUIÇÃO DO BRASIL MORREU; OS DIREITOS SOCIAIS, TAMBÉM!




A Constituição do Brasil, no campo dos direitos sociais, morreu.  Mas precisa ser sepultada, com a presença solene da presidente da República, dos deputados federais, senadores, governadores,  prefeitos das capitais e dos municípios porque, para serem cumpridos, necessitarão de projetos de leis complementares a serem sancionados pela presidente Dilma Rousseff, regulamentando a Constituição!

A primeira certeza nesse caminho foi à aprovação pelo Senado da República, de um projeto de Lei que estabelece prazo de 60 dias para o início do tratamento de pacientes com câncer pelo Sistema Único de Saúde. Isso foi só o início da precarização dos direitos sociais. Dentro em breve, outros também poderão vir e será o fim de todos!

Com esse estranho decreto, o Governo Federal rasgou e jogou no lixo o texto constitucional que determina que “a saúde é um direito da sociedade e um dever do Estado”. O pior é que a senadora Ana Amélia (PPS-RS), relatora do Projeto, ainda o elogiou porque  encerraria o “Outubro Rosa”, movimento das mulheres pela prevenção e tratamento do câncer de mama, com “chave de ouro”. Na opinião da senadora, a Lei irá beneficiar as mulheres que sofrem da doença, mas a que custo? O da morte dos portadores de câncer? Talvez!

Discutível em todos os aspectos a declaração da relatora da Lei porque o que seria maior, em termos de força jurídica legal, a Lei ou a Constituição que determina que a saúde “é um direito de todos e um dever do Estado”? Seria mesmo necessária uma Lei para dizer isso? Enfim, rasgaram o texto constitucional e o substituíram por uma Lei! Inacreditável!

Será que a Lei paralisará a evolução do câncer por 60 dias, também? Seria mesmo necessária uma Lei para fazer cumprir a Constituição em um direito inalienável da população, que é a saúde? Ou não li e nem ouvi direito sobre esse assunto? Não seria melhor definir a morte da Constituição do Brasil também através de um projeto de Lei porque os direitos sociais à saúde, educação, moradia, segurança e todos os outros, sempre precisarão de Leis complementares para ser cumpridos, porque nunca o foram na prática, até hoje?

O Portal da Saúde do Ministério da Saúde divulgou um levantamento e avaliação da situação do câncer no Brasil informando que “pela primeira vez, (...) mostra o panorama geral do câncer no Brasil e aponta os principais desafios para controlar, combater e tratar a doença. Lançada no dia 27 de novembro pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca), a publicação Situação do Câncer no Brasil analisa as causas, a incidência e os tipos predominantes de câncer no país. Segundo o Inca, cerca de 140 mil pessoas morrem todos os anos no Brasil vítimas da doença.”

Esclarecendo que o trabalho teve o objetivo de analisar o problema do câncer no Brasil, de acordo com a política de Câncer do Ministério da Saúde, para servir como apoio para as Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde do Brasil, planejar medidas de controle à doença para “que cada Estado saiba mais sobre suas prioridades e quanto poderá investir para atender as demandas da população e a realidade local” como afirmou o diretor geral do Incor, Luiz Antônio Santini.

Em seu trabalho, o INCOR dividiu a situação do Câncer no Brasil em três partes: Casualidade, Ocorrência e Controle.  Na categoria de “casualidade”, a pesquisa revelou que de 1979 a 2004 houve um aumento de 95,48% de aumento de mortes entre os homens por câncer de próstata e de 54,24% de aumento de mortes por câncer de cólon e reto. Nas mulheres, os dados revelaram que houve um aumento de 96,95% de mortes por câncer de pulmão e de 38,65% de mortes por câncer de mama.

Leia e conheça mais sobre a realidade do câncer no Brasil no Portal da Saúde (www.saúde.gov.br). Como agora, o Congresso aprova um projeto definindo prazo para o atendimento dos portadores de câncer? O projeto, elogiado pela relatora, prevê prazos para tratamento pelo SUS para os casos de necessidade de quimioterapia, radioterapia ou cirurgia. O projeto é a própria admissibilidade ao direito à saúde, que há muito tempo a Constituição do Brasil é só o conjunto de letras mortas e que há muito tempo já deveria  ter sido sepultada!

A culpa do aumento de mortes por câncer não é dos oncologistas! Ah, isso não! A culpa é da má distribuição de mamógrafos pelas várias Regiões do Brasil, outros equipamentos necessários sucateados e sem funcionamento para diagnosticar o câncer com antecedência. A doença tem cura se tratada logo em seu início. Mas não é o que pensam ou querem os senadores. Foi imposto um prazo mínimo para o início do tratamento, como se a doença soubesse disso e esperasse para consumir todo o organismo da pessoa.

Depois que recebi de um laboratório especializado de São Paulo, diagnóstico de doença câncer em metástase, segui para aquele Estado e, durante meu tratamento no Hospital São Joaquim, enquanto aguardava a revisão do material coletado durante a cirurgia, permaneci 17 dias internado no setor de oncologia, para ser constatado que minha doença não era câncer, mas, sim,   empiema cerebral subdural crônico. Depois dos resultados negativos, fui transferido de ala.

Só que durante esses dias de internação, constatei a angústia e apreensão de pacientes e familiares desesperados com a morte eminente dos internados na Ala.

E ainda assim, querem impor prazo por lei para o início de tratamento de uma doença tão traiçoeira e fatal?

Ah, talvez o Congresso tenha que criar um Projeto de Lei também para a missa de sétimo dia do falecimento da Constituição e os direitos sociais duramente conquistados pela sociedade.

É demais para um portador de câncer aguentar! Ou não? Talvez sim, talvez não!

terça-feira, 30 de outubro de 2012

FRALDAS DE PANO, UM LINDO BALÉ AO SOL!




Um lindo e perfeito balé de fraldas de pano dançando ao sol e conversando com o vento!

Era assim que eu via as fraldas brancas de algodão, lavadas com sabão Cutia, e lançadas ao sol para secar em varais, com pregadores de roupa que pareciam cabeças de pessoas presas às cordas!

Como não é possível atribuir a uma só pessoa o invento da fralda descartável, pois foi resultado de um somatório de pequenas melhorias e, como isso também não é relevante na crônica, deixarei de informar que nos anos 40 nos Estados Unidos ocorreu uma escassez de algodão devido à guerra.

Também nada escreverei que foi na Suécia que surgiu a primeira fralda descartável no mundo, e que também na mesma década e semana, nos Estados Unidos, Marion Donovan inventou uma capa impermeável para proteger a fralda da saída de líquidos, resultado de urina e fezes feitas pelas crianças, porque isso também não relevante.

Como também nada direi que as primeiras fraldas foram produzidas com restos de cortinas de banho e, que em seu interior, eram colocados panos convencionais de algodão que, se tornavam lindas e colocadas para “quarar” ao sol, produziam efeito de bandeirolas brancas com um efeito de paz, balançando ao sol! Achava lindo aquele balé frenético de panos dançando ao sol e ao vento.


Via aquilo com olhos arregalados de menino que tinha pressa em crescer para frequentar filmes impróprios para menores de 12, 14, 16 e de 18 anos, e quando passei a frequentá-los, eram apenas filmes de violência e não tinham nada demais! Os impróprios para menores de 18 anos, também não tinham nada demais!

Havia os chamados “ladrões de roupas” ou de “galinhas”, que entravam nos quintais das casas sem muro e levavam tudo o que podiam roubar. Mas para quê os ladrões levavam as fraldas de pano, que mais pareciam bandeiras brancas, em minha imaginação de adolescente sonhador? Será que os ladrões as levavam para colocá-las em suas crianças? Nunca haverei de saber! Ah!

Ah, mas como era lindo ver um balé de fraldas brancas balançando ao vento, pedindo paz para não morrerem tão rapidamente com o advento das fraudas descartáveis, que tiraram toda essa beleza e romantismo no balé que existia nas fraldas de pano!

Ah, isso era lindo demais!


segunda-feira, 29 de outubro de 2012

NA"DEMOCRACIA DO VOTO IMPOSTO", MUITOS NÃO VOTAM!




Seis milhões dos 31,7 milhões de eleitores aptos a votar no segundo turno das eleições municipais faltaram às urnas, o que representou mais de 19% dos eleitores. Com 100% das urnas apuradas, o número de abstenção no segundo turno ultrapassou três pontos percentuais a mais que o índice do primeiro turno. Esse aumento preocupou o Tribunal Superior Eleitoral e será avaliado pela Justiça Eleitoral, mas pode ser explicado, talvez, pela democracia do voto obrigatório que o Brasil resiste em modificar.

A ministra do TSE, Cármem Lucia, disse “agora cabe aos órgãos tanto da Justiça Eleitoral quanto aos especialistas e cientistas políticos, fazermos essa avaliação porque qualquer aumento é preocupante. Toda abstenção não é boa”, concluiu a ministra. E ela tem razão. Seria talvez porque os eleitores já se cansaram da mesmice de sempre, as mesmas promessas de sempre que quase nunca são cumpridas? Ou seria porque existe uma distância quilométrica entre o que prometem os candidatos e o que deseja o eleitor? Poderia ser, ainda, a falta de candidatos a cargos eletivos, com nomes de qualidade moral nas disputas eleitorais, que estaria afastando os eleitores das urnas?

Como não sou da justiça eleitoral, muito menos especialista e tão pouco me encontro entre os cientistas políticos, como eleitor me arrisco a supor que o problema se encontra no sistema democrático do “voto obrigatório”, mas também podem existir outras explicações para a mesma desmotivação dos eleitores e, exercer seus direitos de votar em bons políticos e mandar para o lugar que merecem os maus políticos que enriquecem a custa dos eleitores com poucos esclarecimentos, objetivos e desejos de participar da vida democrática, mesmo com o voto ainda imposto!

Uma ampla reforma política precisará ser feita para que o voto se transforme em uma decisão consciente do eleitor e não à continuidade da imposição dos partidos. Os partidos indicarão os candidatos e estes terão que convencer ao eleitor que são os merecedores de sua confiança e voto.

No Brasil, os “donos dos votos” dos eleitores continuam manobrando em bastidores e impondo suas vontades ao povo. Em vários Estados, o ex-presidente Lula da Silva e a presidente Dilma Rousseff se prestaram a um papel de cabos eleitorais de vários candidatos a prefeitos de capitais. No caso de Manaus, o presidente Lula chegou a dizer em palanque que preferia votar em qualquer outro “mequetrefe”, menos no seu adversário pessoal, Arthur Virgílio Neto, que venceu as eleições. Na Bahia, ACM Neto também derrotou pelo voto os apelos do ex-presidente Lula, da presidente Dilma e de todos os aliados que apoiaram o candidato do PT à Prefeitura. O eleitor, felizmente, está ficando mais consciente do que no passado e não vota mais pela emoção, mas pela razão, felizmente.  
.

O grande índice de abstenção de mais de seis milhões de eleitores, no segundo turno das eleições para prefeito, ainda é preocupante e o TSE reconheceu que alguma medida precisará ser tomada. Talvez seja a reforma eleitoral que sempre é defendida em épocas eleitorais, mas depois todos se acomodam em seus lugares e esquecem que algo precisa ser modificado, com urgência, para qualificar mais ainda o voto. Talvez, assim, muitos políticos que usam rádios, TVs e outros meios de comunicação percam seus mandatos porque muitos só falam e nada fazem! Vamos esperar!

domingo, 28 de outubro de 2012

YES, MANAUS TEM PREFEITO, PARABÉNS!




Com euforia – foguetório e buzinaço de carros pelas ruas – Manaus deu 65,95% dos votos para Arthur Neto, contra 34,05 para a adversária Vanessa Graziottin, derrotada pela segunda vez. Foram apurados 964.892 votos, dos quais somente 914.839 (94,81%) considerados válidos (94,81), 27.810 em branco (2,88), 22.243 brancos (2,31) e 212.880 abstenções (18,07%).

Em um verdadeiro stryke de boliche foram derrotados, de uma só vez, além da candidata “goela abaixo” Vanessa Grazziotin, também o senador Eduardo Braga, o governador Omar Aziz, o ex-presidente Lula e a presidente Dilma Rousseff, forças políticas do Estado e de além de Lula e Dilma que vieram a Manaus fazer coro em favor da campanha da comunista convertida em evangélica, pedindo voto pelo “amor de Deus” em quem a candidata não acredita por questões ideológicas do partido PC do B, oriundo do PCB.

Não foi uma derrota humilhante e nem derrota. Manaus venceu e não existiu derrotado e nem eleito, mas quem ganhou mesmo foi a população da capital que rejeitou manobras escusas de bastidores com imposição de candidatura que o eleitor não engoliu, aliado ao “mequetrefe de Lula” em favor da candidata derrotada, a bi-prorrogação novamente da ZFM anunciada no final do ano passado durante a inauguração da Ponte Rio Negro por mais 50 anos, enfim.

Os eleitores de Manaus se redimiram na pessoa do prefeito eleito que, agora, terá que se esforçar muito para justificar os votos que recebeu do eleitorado, os foguetórios e os buzinços porque os verdadeiros problemas deverão ser enfrentados a partir do dia primeiro de janeiro de 2013. E não serão poucas as soluções prometidas em campanha: para a falta de água, o transporte coletivo complicado, as ruas que faltam ser construídas, as obras do mercado Adolpho Lisboa e do Paço Municipal, paralisadas e  que já arrastam por anos, o caos total no trânsito da área das Feiras do Peixe e da Banana e a regulamentação dos estacionamentos para idosos, grávidas, portadores de necessidades e cadeirantes, que disputam vagas com caminhões estacionados em filas duplas, moto-taxistas, táxi e táxi-cargas...

O ex-senador Arthur Neto vem de uma linhagem de políticos coerentes e respeitados pelo Amazonas, também ex-senadores pelo Estado. Filho e neto de políticos, Arthur Virgílio do Carmo Ribeiro Neto, seguiu a carreira política do pai e do avô.  O prefeito eleito pela segunda vez para administrar a cidade  em que nasceu, “banhada pelas águas negras do rio”, militou em sua juventude pelo PCB, posteriormente filiou-se ao PMDB, do qual foi um dos fundadores.

Segundo consta em sua biografia política, Arthur Neto é formado em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade Nacional de Direito, da UFRJ, tendo sido orador do Centro Acadêmico Cândido de Oliveira. É também diplomata de carreira, formado pelo Instituto Rio Branco.

Com o apoio do Jornal A Notícia, do empresário e também político Andrade Netto, Arthur Neto aos 33 anos disputou pela primeira vez um cargo político e ficou com a primeira suplência de deputado federal, elegendo-se ao cargo quatro anos mais tarde, aos 37 anos, sendo reeleito em 94 e 98 e foi um dos líderes do Governo FHC. Depois, foi nomeado Secretário-Geral da Presidência da República e é ex-senador pelo Amazonas. Aos 67 anos, assume pela segunda vez a Prefeitura de Manaus. Em 1988, já tinha sido prefeito de Manaus pelo PSB, aos 43 anos. 

O BRASIL JOGA NO LIXO PARTE DE SUA PRODUÇÃO NO CAMPO!




Dados estatísticos não oficiais realizados por ONGs, garantem que em torno de 30% de toda a produção nacional no campo se perde em transportes inadequados. As razões são várias, e vão desde à falta de embalagens adequadas até à péssima situação da malha viária brasileira. Esse desperdício de alimentos, porém, é o que alimenta parte da população ainda socialmente miserável do país,  uma grande população socialmente carente do país que sobrevive do desperdício, catando frutas, verduras e legumes e descartados e jogados fora nas Centrais de Abastecimentos.  

É lamentável que ainda seja assim no Brasil de tanta produção e exportação de produtos no campo, mas com um meio para transporte e estradas péssimas, estragando os produtos por acondicionamentos em embalagens inadequados, gerando desperdício de milhões de reais todos os anos nas zonas rural e urbana, sempre cada vez mais numerosas e pagando caro pelos alimentos que consome.  Os produtos em grãos, ou derramam das carrocerias de caminhões na margem das rodovias, sempre péssimas e esburacadas, como também pela não cobertura e amarração correta das lonas que deveriam protegê-los.

Além desse precário e sofrível meio de transporte rodoviário, não por culpa dos empresários, mas por culpa do Ministério dos Transportes, que não investe em recuperação da malha viária nacional, temos ainda a certeza de que existem poucas pesquisas para o desenvolvimento de equipamentos próprios e adequados para o transporte adequado da produção do campo.

Nas centrais de abastecimento do Brasil, populações carentes vivem da coleta do que é desperdiçado no lixo pelos feirantes, em uma triste realidade que não deveria mais existir em um país de tantas bolsas e, que, se sente orgulhoso pela sua política social e pelo volume de exportação de frutas, verduras, carnes, mas que também alimenta parte de sua população com restos que são descartados no lixo.

Algumas medidas isoladas de reaproveitamento do que era jogado no lixo, por serem considerados impróprios para o consumo humano, deram certo como a “Cozinha Brasil”, que transforma em sopa produtos coletados, analisados e processados por nutricionistas, dando para alimentar muitas famílias.

Milhares de toneladas de alimentos prontos, também sobram nos restaurantes em todo o Brasil, mas são descartados e jogados no lixo quando poderiam alimentar condenados, hospitais, idosos, creches, Escolas de Tempo Integral e outras instituições sociais, tudo porque não existe um programa consistente de recolhimento dessas sobras e a distribuição direta a esses locais.

Se houvesse confiabilidade, planejamento e seriedade nesse processo de coleta e distribuição dos desperdiçados e descartados no lixo seria uma forma sábia de os Governos não desperdiçarem tanto dinheiro na compra de alimentos. Bastaria que recolhesse os desperdícios em feiras, mercados, supermercados e restaurantes e destinasse-os às áreas necessitadas

sábado, 27 de outubro de 2012

CARLOS GARCIA VÁ EM PAZ COM DEUS, COMPANHEIRO!




O jornalismo da antiga está de luto!

É da antiga. Hoje tem muito jornalista novo e empolgado nas redações, o que é ótimo.

 Mas os da “antiga” sempre me causam muitas saudades e gostosas lembranças.

Faleceu o companheiro CARLOS GARCIA, vítima de doença no coração, o meu “Cagá”, como o chamava carinhosamente e ele me chamava só de “CC”, como fiquei conhecido em A NOTÍCIA! Siga em paz, amigo e que Deus o acompanhe e o abrace em sua nova morada!

Sempre ria quando lhe chamava de “Cagá” e me abraçava. Estava obeso meu amigo, com uma proeminente barriga e já tinha se submetido a vários tratamentos cardíacos,  mas faleceu!

Seu coração, de tão grande que era com seus amigos, ficou maior ainda depois com a doença e o Carlos Garcia não aguentou. Deixou de fumar e de beber. Bebeu muito meu companheiro e, em nosso último encontro casual, o vi com o rosto muito vermelho, notando que alguma coisa não estava bem com ele.

Mas com  um sorriso sempre escancarado no rosto, gritei “Cagá”! Ele olhou, me procurou no meio de pessoas, veio pro meu lado e nos cumprimentamos. Notei o Carlos Garcia um pouco abatido, mas longe de mim estaria pensar que houvesse alguma doença que o estivesse corroendo o coração.

Agora, porém, ele faleceu e não terei mais ninguém para chamar de “Cagá” porque ele era único e sempre será.

Aliás, companheiro Carlos Garcia, conversando com meu amigo da antiga também, o Garcia Neto,  pelo facebook, dei uma ratada e escrevi
“Carlos Garcia”. Depois, me toquei e corrigi, dei-lhe a desculpa de que tinha confundido o nome de Garcia Neto com o seu nome, Carlos Garcia, dois amigos queridos que  eu tenho. Hoje você se foi, companheiro Garcia! Por que não me avisou que iria partir? Ah, não deu tempo!

Seria minha falha momentânea de troca de nomes, um aviso que meu amigo “Cagá”, estaria mal e partiria? Pode ter sido, mas não convivo com esse tipo de superstição, no entanto poderia ter sido exatamente um aviso que Deus estava me dando de que o levaria!

Essa troca de nomes aconteceu na quinta-feira e o companheiro faleceu na sexta-feira. É. Era, sim, um aviso de Deus, dizendo-me que tiraria meu amigo de minha companhia.

Vá em paz, amigo. N’algum dia nos encontraremos onde você estiver.
Estou vendo seu sorriso sempre largo me dizendo que tentou, mas não conseguiu me avisar que iria habitar em nova morada! Não faz mal: ainda vamos nos encontrar de novo!

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

"URUANA ESTÁ DE LUTO": MATARAM GABRIELLY

Comentários: http://carloscostajornalismo.blogspot.com.br/2012/10/uruana-esta-de-luto-mataram-gabrielly.html

“URUANA ESTÁ DE LUTO”: MATARAM GABRIELLY!

Gabrielly, você poderia ter crescido e sido uma pessoa muito séria, honesta em seu meio profissional, perfeccionista e capaz de mergulhar de cabeça em tudo, um pouco aborrecida também...Mas quem saberá quem poderia ter sido a Gabrielly Carolina Rocha Dias, de apenas 10 anos de idade, assassinada barbaramente na cidade de Uruana, município do Vale do São Patrício, em Goiás, com uma população com pouco mais de 13 mil habitantes? Ninguém saberá por que ela foi assassinada!

Logo na terra do escritor, Dhiogo José Caetano, premiadíssimo por  lutar contra a pedofilia, também historiador e professor, isso fora ocorrer? Sua morte, Gabrielly, também deixou o Dhiogo triste, abalado e revoltado. Mas, o que poderia ter sido Gabrielly, se tivesse a oportunidade de crescer, entrar em uma faculdade e constituir família? Mas ela se foi covardemente assassinada!

Gabrielle,  acho que você nem viveu o suficiente para saber que seu nome era de origem francesa e que você poderia ter tido uma ligação muito forte com o setor de saúde, mas que também poderia ter sido impaciente e apressada, e, isso talvez tenha lhe causado a decisão de procurar a filha de seu algoz, Carlos José Moreira, 45 anos, para entregar-lhe um cachorro encontrado na rua, que a mãe de Gabrielly, Rosana Dias da Rocha, não aceitara para criar em casa! Talvez Gabrielly fosse ser uma médica veterinária! Talvez, mas quem vai saber agora?

Gabrielle fora assassinada com duas facadas no corpo, a última no coração, depois que se recusou a sentar em um sofá e namorar o algoz. Não satisfeito, Carlos José Moreira enrolou seu corpo inerte e inocente em um saco de açúcar, depois em um saco preto de lixo, como se fosse um luto e o deixou jogado em meio a um canavial. Preso, confessou friamente o crime e a população da pequena e pacata cidade do interior de Goiás lhe tocou fogo na casa que ardeu como poderia ter ardido perigosamente a pequena Gabrielle, ainda com tantos sonhos a realizar, se tivesse aceitado, mesmo que com o uso da força, os intentos animalescos de Carlos José.

Gabrielle, vá em paz porque o filho mais ilustre de seu pequeno e agora triste município, que tem por padroeiro São Sebastião, ganhou mais um prêmio por seu trabalho em defesa de criança inocente como você com a crônica O NOSSO CORPO PODE SER PERTENÇA DE QUEM ABUSOS TECE, na qual afirma que: (também) “Fui obrigado a fazer coisas que nem eu mesmo sabia o que era. Mas dentro de mim, sabia que era algo errado...”. Ah, Gabrielly, você morreu também por não aceitar fazer  “algo errado”



quarta-feira, 24 de outubro de 2012

MINISTÉRIO ADA, UM DOCE MISTÉRIO!




O Ministério ADA é um doce mistério a ser desvendado!

Formado pelos irmãos de sangue Alfredo, Darla e Albano, com três vozes diferentes, mas que formam uma só, é um grupo maravilhoso de música para Deus!  Mais não é simplesmente por isso que o Ministério ADA é ótimo. Existem também, as primeiras letras de nomes dos irmãos, Alfredo, Darla e Albano que, também forma a palavra “Ministério A Deus Adoramos”- ADA. Eis o primeiro mistério já desvendado.

Como se só isso não bastasse, existe também muito amor entre os irmãos e um talento musical surpreendente para a interpretação de músicas em louvor a Deus. Sua música encanta a todos que a escutam e nos faz viajar pelas suas vozes, segurando em nossas mãos e nos conduzindo por um som harmônico, agradável e surpreendente belo! Mais um mistério desvendado!

Alfredo, Darla e Albano surpreenderam a mim e a todos os que assistiram ao show musical no Ginásio do Colégio Literrarus, na sexta-feira quando a noite já se fazia tarde e o dia ainda não estava dando o ar de suas luzes do sol, cantando músicas de seu terceiro CD. Mas para quê tanta pressa? Se ao final, todos seriam recompensados com músicas maravilhosas, ternas, perfeitas em suas letras, magníficas em suas interpretações e emocionantes em alguns momentos! Outro mistério, enfim, revelado!

Ouvindo-os, viajava em suas vozes de graves e agudos, imaginando os três cantando uma Opera para Deus, como se fosse uma única voz, mesmo que divididas em três. As três vozes são geniais! Cantar só para mim, o Grupo ADA? Mistério que só cabia em minha imaginação de sonhador!

Fechava os olhos para ouvi-los em separado e conseguia visualizá-los interpretando as músicas só para mim, como se fosse a um concerto exclusivo. Viajava! Que egoísmo o meu? Mais um mistério que não pretendo revelar!

O Ministério ADA também é um mistério! Alfredo é tenor. Darla é soprano. Albano e barítono! As três vozes juntas formam uma melodia maravilhosa, arrebatadora, fascinante e inspiradora. Vale à pena conferir esses talentos que cantam e encantam pelo Amazonas, o Brasil e o Mundo. Esse Mistério acontecerá, em breve!

O Ministério ADA é um mistério maravilhoso para ser desvendado porque primeiro a cantar foi Alfredo, depois Darla se incorporou ao irmão e o último foi o barítono Albano. Hoje, os três formam uma só voz e uma só voz que canta para Deus e encanta para os homens de Deus!  Como três vozes díspares conseguem formar uma só voz, com tanta harmonia e beleza. Os irmãos dizem que só Deus explicará esse último mistério!