terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

O VESTIDO VERMELHO QUE "BOLERAVA"...!


Em seu aniversário, dentro e um vestido vermelho, Cacilda Bezerra bailava um bolero gostoso cantado por Mustafa Said e sua diva Goreth Almeida. Minha prima bailava e rodopiava lindamente como se fosse um beija flor, indo e voltando com muita graça, suavidade e beleza. Além de mim, observavam seus movimentos, uma piscina, duas botijas de gás ligadas a um fogão em um canto da casa, as comidas que seriam servidas logo mais e um bolo sem velas. Ela parecia um beija-flor flutuando no ar.

Os movimentos me lembravam da época em que de frequentava o bar Zero Grau, no bairro de São Jorge, onde “bolerava” a também cantora e proprietária Fátima Silva, com sua voz firme da cantora Alcione, a “Marron”. Ao retornar para a mesa, minha esposa que bailava um tipo de dança “cansa puta”, sem muita firmeza ou leveza nos paços. Trabalhava na minha adolescência e não tive tempo de aprender a dançar, nem agora como aposentado, poderei tentar aprender.  Não tenho mais equilíbrio depois das cirurgias no cérebro.


Tive que me abster dos pensamentos gostosos do passado de bolerista medíocre, para me focar no bailado da minha prima. O amigo que conduzia e a fazia rodopiar com tanta beleza e leveza para um lado e para o outro, não era o garçom que dançava com as clientes no bar Zero Grau, mas também já devia ter frequentado o mesmo local. Terminou tudo em um grande carnaval na casa de Cacilda Bezerra, observado por alguns momentos por mim, seus convidados, a piscina, um fogão em um canto, as comidas na mesa, o bolo em outro canto e, o mais incrível, tudo estava decorado de vermelho em sua casa, menos os balões que recebiam a todos no portão de sua casa, que eram na cor azul claro. O resto era tudo vermelho, inclusive o vestido da maioria das pessoas que se fizeram presentes ao local.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

CARNAVAL DA ILUSÃO...!


O BLOCO DA CORRUPÇÃO desfilará na Avenida da Corrupção, passará pelas Ruas da Propina,  da Licitação Viciada, e terminará o desfile na “Delação Premiada”. O bloco será liderado pelo presidente Michel Temer e, nele,  estarão os oito ministros que já eram investigados na Operação Lava Jato quando foram nomeados e receberam foro privilegiado. Também estarão no bloco, como convidados especiais, Enrique Eduardo Alves, no Turismo, e Geddel Vieira Lima, na Secretaria de Governo e Moreira Franco, da Aviação. O eleitor-palhaço que acreditava que teria um Brasil com um Governo sério, ético, respeitoso e comprometido com o bem da coletividade e se enganou, mas ficará na arquibancada vendo o bloco passar, vaiando ou aplaudindo-o. O bloco  contará com a ilustre presença do ex-governador corrupto do RJ, Sérgio Cabral,  sua esposa Adriana Ancelmo e mais Moreira Franco e Eliseu Padilha, que pediu licença do cargo de Ministro, depois de denunciado, alegando doença. Como será obrigatório o uso da faixa com os dizeres “os trouxas que me aplaudam; ou vaiem, mas não fiquem sem fazer nada!” poucos expectadores ficarão indiferentes ao triste e macabro desfile.

Como convidado especial cobrando uma propina altíssima pela presença, se lhe pararem adiantado, comandando a bateria, estará o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, para sorrir e confirmar que teve coragem de abrir o processo de impedimento contra Dilma Rousseff e tirá-la do cargo, mesmo com 140 deputados “comprados” pelo caixa 2 do PMDB, denunciado pelo assessor preso de Michel Temer que, agora diz não saber quem seria José Yunes, seu ex-aluno, que diz fora usado como “mula” pelo Ministro Eliseu Padilha em 2014, com a participação de Lúcio Funaro, a quem foram entregues os “documentos” eram propina para Caixa 2  do PMDB. Agora, seria apenas uma visagem?  

Devido às denúncias de Caixa 2 da Odebrecht, envolvendo o PMDB, o presidente da República Michel Temer teve dificuldades para nomear seu novo ministro da Justiça em substituição a Alexandre de Moraes, que fora nomeado Ministro do STF no lugar do relator da Lava Jato, Teori Zavascki, que falecera em trágico acidente.  A escolha recaiu sobre Osmar Serráglio, um dos maiores aliados de Eduardo Cunha na presidência da Câmara. Será que não haveria outro nome melhor para indicar, como o do ministro amazonense do STJ Mauro Luiz Campbell Marques? Osmar Serráglio já declarou que não faltará dinheiro e nem apoio à Operação Lava Jato, iniciada com a prisão do doleiro Alberto Yousseff em Brasília, em posto de lava jato e já descobriu grandes desvios na Petrobras com doação de propinas para caixa 2  para pelo menos 26 dos atuais 37 partidos registrados no STE, todos investigados pelo STF.


Chega de tanta denúncia de corrupção contra políticos que aparentavam ser um “poço de honestidade”. Com Sérgio Cabral e Adriana Alcelmo presos, conclui-se que a família que desvia dinheiro público permanecerá unida, mesmo que na prisão!

sábado, 25 de fevereiro de 2017

LAMENTO DE DOR...


Como se fosse um lamento de dor,
Um tucano pulava de galho em galho e cantava
Triste, sofrido, insistente e pertinente!
Como à senhora
Maria “Dos Anjos” Barros Jacob,
(Esposa do engenheiro Itaúna Jacob).
Também falecera a floresta primária
Que ele dividia pacificamente com outros pássaros!
Não foi o viúvo quem a construiu!
Mas, foram outros os engenheiros,
Topógrafos e tratores que a destruíram!

Só sei que vi e ouvi o tucano  
Cantando de galho em galho!
.
Comemorando talvez feliz  a chegada
Do espírito da “Dos Anjos” no céu!!
(Ou seria lamentando a perda de sua floresta?)
Ou seriam pelos dois motivos ou por nenhum deles?

Não sei!

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

EXIJA SEUS DIREITOS, COMO?


Em se tratando de política nada o que parece ser, o é de verdade!

Tudo é um jogo de xadrez. No tabuleiro, cada peça mexida no é uma estratégia milimetricamente pensada para enganar sobre o que se esconde nos bastidores  das políticas individuais e nunca nos interesses coletivos. Tudo é feito de forma calculada nos mínimos detalhes, pensando no que poderá ocorrer depois.

Estou falando da política no Amazonas, da greve dos rodoviários e do aumento de 15,15% no valor da passagem concedida pelo prefeito Artur Neto, que subirá a partir de sábado de R$ 3,30 para  R$ 3,80, maior do que o índice da inflação medida pelo INPC. Durante a campanha eleitoral, o prefeito entrou em ônibus,  desafiou decisões judiciais, posou para as câmeras rasgando os aumentos da Justiça.  Aliou-se ao seu maior adversário, o senador Eduardo Braga, a quem chamava de ladrão do Amazonas, aceitou como vice Marcos Rotta, um crítico quando concedia reajuste. Reeleito e com a ajuda do “exigidor de direitos”  concedeu reajuste de tarifa.
              
Marcos Rotta, vinda para o Amazonas como garoto propaganda da campanha vencedora de Amazonino Mendes para o Governo do Amazonas, entrou em política e  fez campanha  usando o seu programa de TV, “Exija seus Direitos”  criticando todo e  qualquer aumento concedido no preço das passagens e criticando a péssima qualidade dos coletivos. Era pedra e virou vidro e quem defenderá, agora,  os direitos dos pobres que não têm mais como exigir seus direitos? 

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

VIVER É CORRER RISCOS! (Ivo Lima Brasil/Claudiana Alves/Alagadiço/Bahia)


"A vida passa, efêmera e vazia, é um adiamento eterno que se espera, numa eterna esperança que se adia".  RAUL LEONI – POETA BRASILEIRO)


Depois que se nasce, a vida nos faz percorrer uma estrada cheia de longas retas  e com  curvas perigosas;  as duas são importantes: nas retas vida passa rápido demais e quase não aproveitamos nada nada de bom que ela nos oferece porque não teremos a oportunidade de perceber as suas belezas Nas curvas, com o carro mais lento, poderemos  observar e apreciar melhor as coisas boas da vida: uma folha que cai, um som que nos zumbido do vento com as palavras de Deus, sentir o perfume exalado do mato, enfim...

Durante a longa viagem, sofreremos algumas derrapagens. Elas servirão para nos lembrar dos perigos das retas longas e nos fazer  ter mais atenção para tudo.  Se as derrapagens que sofremos não forem bem assimiladas,  novas  continuarão sendo quase inevitáveis e muitas fatais. Contudo, se aprendermos os avisos de Deus com as primeiras, outras poderão ser evitadas!


Ainda seguindo pela estrada da vida de muitos obstáculos, a vida nos oferecerá também estradas vicinais ou novos caminhos Ao entrar neles, podem até ser melhores ou se viver e experiências e novas aventuras.  Nem todas, porem, terminarão bem. Porém, só saberemos o resultado, se entrarmos nele. A nova estrada também poderá ser o caminho sem retorno, sem volta e terminar em um abismo! Cuidado!!!

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

(DES)CONSTRUÇÃO...em edição E-BOOK (poesias)


O livro (DES)Construção, de poesias de estreia na literatura Amazonense, LANÇADO EM 1978, no salão de espelhos do Atlético Rio Negro Club, em Manaus, na época da censura militar, está disponível para ser baixado de graça, para todos os que quiserem entender como era feito o uso de palavras de duplo sentido, falando de uma coisa para criticar outra diferente.
 
Comecei a escrever o livro aos 17 anos, quando cursava Magistério no Instituto de Educação do Amazonas. Ao lança-lo, tinha passado no vestibular para comunicação, fiquei desempregado e atuava como "foca" (aprendiz) em A NOTÍCIA, jornal que não existe mais e onde iniciei minha carreira como repórter depois de formado em 1982!


Podem baixa-lo e comenta-lo se quiserem:
ACESSE: WWW.TODASASLETRAS.COM E BAIXE O LIVRO (DES)CONSTRUÇÃO DO ESCRITOR AMAZONENSE CARLOS COSTA

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

NÃO DESISTA DE VOCÊ (NÃO DESISTA DE VOCÊ...! (Claudiana Alves, de Alagadiço/BA)

Quando as luzes do horizonte se aparagem e não consiga ver mais o final do túnel ou deixar de apreciar a beleza da lua, das estrelas, não será seu fim. Só não deixe de acreditar em você mesmo e começar tudo de novo. Deus não criou o mundo em um só dia.  Nada foi mais difícil na terra do que a vida de Cristo.  “Deus não dá aos seus filhos, uma cruz mais pesada do que ele possa carregar?”. É real! Um de seus filhos que recebeu sua cruz e a achou pesada demais. A cada vez que parava  para descansar a cortava um pouco! Ao chegar ao seu  primeiro obstáculo, a cruz cortada ficou pequena e ele não pode usá-la para atravessar seu primeiro precipício!

Se várias portas ou janelas se fecharem à sua volta, sempre lhe restará uma fresta para  olhar e ver que o mundo é tão  difícil quando lhe parece e nem tão complicado como você o sente.  No meio das pedras existirá uma rosa para fornecer perfume de graça, uma folha se desprenderá da árvore no outono. Renascerá, Contudo, na primeira chuva e voltará a ser verde, recuperando as folhas desprendidas. As que cairão ao chão no outono, serão adubo e farão rebrotar mais árvores. Portanto, mesmo que você não veja saída, acredite em você e nunca desista de seus sonhos, metas e planos. Eles podem até lhe parecerem  difíceis ou impossíveis de serem realizados. Nada é impossível e haverá, em qualquer lugar, um alguém que desejará o seu melhor, sempre e aplaudirá seu sucesso ou lamentará seu fracasso! Todos nós nascemos nus e seremos sepultados com roupas!

Quando uma estrela deixar de brilhar no céu, outras brilharão em seu lugar, quando o sol se põe no horizonte, a lua nascerá para todos, queiram ou não. É a dádiva de Deus que se faz presente em tudo. A vida nunca foi e jamais será fácil, mas é possível vive-la, desde que acredite em seus sonhos, mesmo os que lhes pareçam utópicos. Com eles, você caminhará em busca de alcança-los. Persevere, se ajude, mude, procure alternativas e conseguirá. Se não der por um caminho, mude a rota,  planos,  ideais e desejos.  Nunca, porém, desista de você!  Nada acontece ao acaso e para tudo existe uma explicação. Até para a morte.  A ajuda pode na vida por vias tortas,  vinda de qualquer maneira, de qualquer lugar, mas nada fica sem justificativa ou sem explicação. A felicidade está dentro de nós mesmos. Deus nos fez perfeitos. O homem, sua ganância pelo  TER INDIVIDUAL e não o SER COLETIVO, foi o que  nos tornou imperfeitos.

Contudo, para tudo, sempre haverá uma saída, com disciplina, determinação, luta e coragem para mudar. Basta não deixar apagar a luz de seu horizonte com o primeiro vento. Se apagar, Deus a acenderá de novo e quantas vezes for preciso, mas acredite sempre em você e só em você!

domingo, 19 de fevereiro de 2017

CAMINHANDO...


Caminhei sobre as estrelas,
Entorpecido de amor,
Tropecei na lua cheia com a qual queria presenteá-la,
Cai ao chão,
Machuquei-me um pouco. 
Logo passou.
Nada senti,
Nada doeu além do coração,
(Nada dói no corpo quando se tem certeza de se ser amado)!
Eu tenho!

sábado, 18 de fevereiro de 2017

NECESSIDADE, ROUBO OU FALTA DE CIDADANIA?


O “Portal do Rodoviário” (https://www.youtube.com/watch?v=sXyTEwkpyAg) mostra saques de cargas em caminhões que tombam nas precárias rodovias do Brasil, praticados por pessoas que o roubam sem se preocupar com nada ou ninguém. Em um caso em particular, mostra um caminhoneiro preso nas ferragens e precisando de ajuda, em Eunápolis, enquanto pessoas carentes e não carentes saqueavam toda a carga do caminhão sem se preocupar com a vida do caminhoneiro. Depois que o motorista fora socorrido, os populares voltaram a saquear o resto da carga do caminhão. Durante os saques,  quase uma tragédia maior poderia ter acontecido. Contudo, nenhum saqueador foi preso e nem fez “devolução premiada” como ocorreu no Estado de  Vitória.  Pessoas identificadas pelas câmeras das lojas furtadas, devolvem voluntariamente a mercadoria roubada, em troca de redução de pena! Esse comportamento antissocial, individualista e do EU SOZINHO, ocorreria necessidade ou  seria por puro roubo, mesmo?  Exemplos que não deveriam ser seguidos existem de sobra em parte da classe política mandatária do Brasil

- É a necessidade, disse o namorado da minha enteada ao ver a população saqueando o carregamento de óleo de um caminhão que tombara em Goiânia. “Não é! É a falta de caráter e de cidadania que está contaminando  parte da população brasileira,”  respondi. Como não houve tréplica  os dois passamos a olhar à TV que exibia o noticiário do caminhão sendo saqueado em Goiânia. A sociedade brasileira está se contaminando com os péssimos exemplos vindos dos políticos que comandam o Brasil, a maioria envolvida em delações de propinas da Odebrecht, inclusive o presidente da República que teria recebido propina quando era deputado federal por São Paulo, em uma negociata para o arrendamento do Porto de Santos, por cujo Estado foi eleito..

No “Portal do Rodoviário” o que não faltam são vídeos mostrando saques em caminhões tombados nas estradas do Brasil.  Outro exemplo de caminhão carregado com frangos que tombara  na BR-364, entre Barroso Barbacena, em MG e  3,5 toneladas de frango foram saqueadas por pessoas que passavam pelo local, também é mostrado.

O que estaria ocorrendo com a sociedade coletiva? Estaria ela sendo influenciada pelas delações premiadas dos executivos da Odebrecht e estariam invertendo tudo, fazendo “devolução premiada”, só depois de descobertos por câmeras das lojas que roubaram, em troca de redução de pena, também? Estaria a sociedade se aproveitando dos exemplos de muitos e péssimos políticos e passou a saquear  até cervejas, frangos, remédios, pneus  e eletrodomésticos e todo e qualquer de caminhão que tomba?  Essa inversão de valores, lembrou-me do caso há muitos anos de um navio da “Petrobras” que dera pane em frente a  Manacapuru, no Amazonas,  quando  o município enfrentava um racionamento de energia por falta de diesel e o saquearam o que faltava no município, porque o navio  “estava de bubuía” - termo regional o mesmo que define à deriva ou sem ninguém vigiando. Esse fato inusitado está registrado na conclusão da investigação de um renomado advogado da empresa na época. Ele foi destacado para o precário município só para investigar o sumiço do diesel. Usou o termo e concluiu que não havia crime a ser  aparado porque o “navio estava de bubuia”, sem querer saber o que significaria o termo significaria na linguagem “caboblês”!

O roubo de cargas em caminhões tombados nas estradas seria fruto apenas de curiosidade, diversão coletiva ou idiotismo? Certamente seria o pior exemplo que poderia ser repassado pelos políticos que comandam o Brasil! Ah, está explicado...

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

IMUNIDADE OU IMPUNIDADE PARLAMENTAR?:



 “Em uma democracia, a política é um gênero de primeira necessidade”. Contudo, a  corrupção, sonegação, lavagem de dinheiro passou a ser a espantosa regra” a modificaram e  “o errado virou a regra e todo mundo passou a operar nessa regra”, garantiu o Ministro Luiz Alberto Barroso em palestra  e propôs ao STF restringir a imunidade parlamentar ao estrito desempenho de suas atribuições ou para atos praticados em função dela.

O advogado e deputado pelo MDB do Amazonas, Francisco Guedes de Queiroz também sempre dizia que um dia a “imunidade parlamentar” seria confundida e se transformaria em “impunidade parlamentar”.  A política e a democracia se uniram a um caminharam juntas e se transformaram em um “indutor da criminalidade”, como garantiu o ministro do STF. Barroso advoga a separação entre Imunidade Parlamentar da Impunidade do Parlamentar.  As duas coisas tem andado lado a lado ultimamente e a “imunidade” deveria ser aplicada só para pronunciamentos feitos em plenário ou em razão dele, como defende o Ministro do STF.  

O advogado e deputado estadual pelo MDB do Amazonas, Francisco Guedes de Queiroz, também defenderia em livro a mesma ideia.  Faleceu antes que terminasse a obra.  Durante vários Governos Militares, o advogado e parlamentar combativo e combatido pelo regime de exceção, já percebia que mais cedo ou mais tarde, as duas coisas se confundiriam e virariam uma coisa só. Ao ouvir o ministro do STF defendendo o mesmo pensamento do parlamentar amazonense já falecido, comentei com minha esposa Yara Queiroz, filha do parlamentar da oposição.

Nas várias oportunidades que os deputados federais Ulisses Guimarães e Pedro Simon, visitavam Manaus, o convidavam para ser candidato a deputado federal. Francisco Queiroz recusou a todos os convites porque dizia que não saberia viver longe de seus familiares, de sua esposa já falecida Maria Luiza de Souza Queiroz e de seu círculo de amigos do Amazonas. Dos filhos que o casal deixou, dois são advogados, uma é assistente social, outra, que exerceu a sua chefia de gabinete quando foi presidente da ALE-Amazonas,  é mãe de um advogado e outro é professor particular de informática.  

Para o Ministro do STF, uma das razões para a banalização da corrupção seria a impunidade ou a quase total certeza dela.  Os parlamentares que roubam, desviam, destroem a moral de toda a sociedade coletiva, possuem “imunidade parlamentar” que lhes dada nas urnas pelos eleitores. Essa é a razão garanto que todos nós coletivamente somos responsáveis pelos políticos sem muita qualidade e com muito dinheiro de corrupção que elegemos a cada quatro anos!

A imunidade parlamentar se transformou em impunidade parlamentar como já dizia no passado o deputado estadual pelo MDB do Amazonas.  É por isso que parte da classe política atual está tão desacreditada.


quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

O "CAJU" DA ODEBRECHT RETIROU A "PEC DA INDECÊNCIA"!

Com 29 assinaturas, duas a mais do que as necessárias, o senador Romero Jucá (PMDB-RR), solicitou a retirada da tramitação da “PEC DA INDECÊNCIA” nas palavras do senador do Amapá, Randolph Rodrigues, do Amapá. Se aprovada, a PEC blindaria de processos, todos os membros na linha sucessória da presidência da República. A proposta de Emenda à Constituição, mereceu  péssima repercussão  nas redes sociais.  Por que o senador “Caju”, como era conhecido no esquema de corrupção da empresa Odebrecht, não apresentou uma PEC para tratar os dependentes químicos presos e soltos da sociedade carente? Teria uma melhor aceitação na opinião publica.

Contudo, envolvido em diversos inquéritos investigativos no STF, com pretensões de ser o próximo presidente da Câmara, depois que perdeu seu posto de Ministro Chefe da Casa Civil, depois da primeira denúncia de corrupção contra, pediu exoneração do cargo e virou líder do Governo Michel Temer no Congresso. Ele apresentou a PEC DA INDEDÊNCIA,  que o blindaria também porque todos os crimes apurados, inclusive contra o Senador Eunício Oliveira, ocorreram antes de assumir a presidência da Casa. O mais beneficiado, contudo, seria o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que responde a vários inquéritos no STF por práticas de corrupção ocorridas antes que assumisse a presidência da Câmara.

O PEC DA INDECÊNCIA, foi retirada, mas o senador Romero Jucá para os eleitores de Roraima e senador Caju para o esquema de propina da Odebrecht, nada declarou. Contudo, todos os caminhos indicam o provável caminho da indecência que seria praticada: blindaria o senador Eunicio Oliveira (PMDB-CE). O mais beneficiado seria o presidente da Câmara, deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ), o primeiro na linha sucessória, porque  receberia –a mesma imunidade dada ao presidente da República e poderia substituí-lo em caso de viagem. O Supremo Tribunal Federal já  decidiu que nenhum dos membros denunciados no STF podem assumir a presidência da República, em caso de viagem a trabalho do presidente Michel Temer ao exterior. E os presidentes da Câmara e do Senado e o próprio presidente Temer,  já respondem a processos de investigações no STF.

Diante do recuo da blindagem do senador “Caju”, como ficará a sucessão presidencial no caso de uma viagem do presidente Michel Temer ao exterior?. O presidente Michel Temer, também sendo investigado e processado no STF e no STE por possível envolvimento em propaganda irregular durante a campanha ao lado de Dilma Rousseff, disse que escolherá para seu novo ministro da Justiça uma pessoa não envolvida em política.



quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

SÓ PARA CONTRARIAR!


Só para contrariar essa máxima de Eráclito de Éfeso, o Governo Federal mudou de comando, mas continua quase tudo igual como fora antes: enfrenta resistência, ações judiciais, tentativa de blindagem do Ministro, mais de 30 delações premiadas citando  nome de políticos, indicação do ministro  da Justiça Alexandre de Moraes para assumir o STF no lugar  do falecido Teori Zavascki, relator da “Lava Jato”.

O filósofo pré-socrático, Erálito de Éfeso pronunciou essa frase emblemática e verdadeira até os dias de hoje: “Ninguém pode entrar duas vezes no mesmo rio, pois quando nele se entra novamente, não se encontra as mesmas águas, e o próprio ser já se modificou. Assim, tudo é regido pela dialética, a tensão e o revezamento dos opostos. Portanto, o real é sempre fruto da mudança, ou seja, do combate entre os contrários”. ´(Pai da dialética  Hērákleitos ho Ephésios  (O Obscuro) (535 a. C e 475 a. C.) Trazendo essa frase para o Brasil de hoje, “ninguém será ministro duas vezes” do Governo Temer, depois de ser denunciado na “Operação Lava Jato”, a menos que no final do processo venha a ser absolvido das denúncias.

Além dos Ministros que já pediram exoneração de seus cargos, diversos outros também estão envolvidos e deverão ser denunciados na “Operação Lava Jato”, que apura o maior esquema de corrupção que já existiu no Brasil. Moreira Franco, foi blindado pelo STF com a nomeação de Temer, exatamente igual como a ex-presidente Dilma Rousseff tentara fazer com seu padrinho político Luiz Inácio Lula da Silva, nomeando-o para comandar a Casa Civil. Onde se esconderam os movimentos “Vêm para a Rua”? “Impeachment, já”?  Se forem denunciados, será que o presidente constitucionalista por formação, Michel Temer, os afastará de seus cargos?

Para piorar ainda mais as coisas, a Comissão de Ética da Casa presidida por Edison Lobão, que marcou para o 21 de fevereiro a data da sabatina do Ministro da Justiça para o cargo vago, é formada por vários membros que poderão a vir ser investigado pelo Ministro sabatinado Alexandre de Moraes, que também assumirá a relatoria dos processos. Estranhamente, nenhum deles se julgou suspeito até agora! Mas será que terão moral e isenção  para fazê-lo? Eis a questão central!


Se o presidente do Brasil, Michel Temer cumprir sua promessa de exonerar todo e qualquer ministro condenado no STF e todos os recursos transitados em julgado, será que sobrará algum Ministro no comando do país? 

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

BRIGA DE RATO E GATO EM SC!


A crise da PM/ES, em Santa Catarina, com mulheres  desarmadas e unidas vencendo a estrutura de um Estado,  virou briga de um gato que come  tudo o que e gasta mal e o os ratos - com todo respeito à corporação PM -, que nada tem para comer, nem as migalhas do queijo. Eles estão com fome e precisam de bons salários para viver, como todas as outras atividades de Estado do Brasil, que ganham mal e são cheias de “penduricalhos” que engordam os seus salários iniciais de carreira.. No meio da briga, disfarçam a greve com as mulheres se fazendo escudos humanos “impedindo os maridos de deixarem os quarteis”.  A população, diante dessa briga, fica impotente, assustada e refém dos bandidos. Na outra ponta, está  um Governo impotente, com uma economia em frangalhos, pagando salários acima do teto constitucional e todos perdem. A “greve” que se trata de uma transgressão policial militar, continua, mas está perdendo o fôlego, Domingo à noite, anunciam um acordo para o fim na greve. Na segunda-feira; não  foi cumprido!

Enquanto as mulheres dos policiais impedem os maridos de sair e patrulhar às ruas,  o procurador do Ministério Público em Santa Catarina, recebeu em março de 2016, 10 vezes mais do que o teto constitucional, um juiz aposentado recebeu  de R$ 184 e  99% dos membros do Ministério Público, recebem acima do teto constitucional. dos 2.725 salários pagos  até setembro, 2.698, ultrapassaram o valor do teto, com títulos variados por terem caráter indenizatórios, não incidem sobre o teto, em forma de “penduricalhos” que engordam os salários de várias categorias de servidores públicos no Brasil.  Talvez, por isso, não sobre dinheiro para pagar aos policiais militares de forma condizente. Os promotores e procuradores de Santa Catarina recebem R$47.193,99, o que significa R$ 13.4 mil acima do teto constitucional, segundo revelações do Portal G1 da Rede Globo.

Acordo firmado e anunciado no domingo fracassou na segunda.  As mulheres dos policiais não teriam sido ouvidas no processo de negociação e, unidas continuaram nas portas dos quarteis impedindo aos policiais militares saírem às ruas. Nessa luta do gato guloso e o rato assustado, tem alguém por trás, fomentando e financiando o movimento que durou mais do que a população esperava. Se justas ou não as reivindicações, é o que menos importa. Eu acho que são porque ninguém é relógio para trabalhar de graça. Contudo, o livre e sagrado constitucional direito de ir e vir da população, não está lhe sendo assegurado. Ela está refém dentro de suas casas e os bandidos estão soltos nas ruas, comandando, mandando e dizendo o que pode ou não pode ser feito no Estado.  É uma inversão total de valores na sociedade do Estado de Bem-Estar Social existente desde o século XIX, quando o homem deixou o seu estado de barbárie para viver em sociedade, com o Estado regendo suas vidas.

As mulheres continuam sendo usadas como escudos humanos dos PMs. Eles querem receber o que os gatos gulosos comeram dos ratos assustados desejavam receber e não receberam. Um ditado antigo diz que  saco vazio não fica em pé. O ditado é próprio para esse momento de horror que vive a população da terra do tenista aposentado Gustavo “Guga” Kuerten, no Fama da ATP e da professora municipal de Içara, Pedrinha Philippi.  

Um acordo deve ser honrado antes que o pior aconteça e o Brasil volte a ser uma ditadura militar, com censura dos meios de comunicação?  Quantas mortes mais terão que ocorrer na terra do maior tenista brasileiro de todos os tempos, campeão de tênis e número 1 do mundo, representando e orgulhando o Brasil?

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

O TEMPO E O NADA!


Se o tudo existe, o nada também existe dentro da dualidade da vida. Para que exista uma coisa, tem que existir necessariamente outra ao contrário. Contudo, como deixei de contar a passagem do tempo, saibam que hoje fiquei apenas um ano mais chato, rabugento para com meu trabalho, além, exigente e experiente para comigo mesmo. Porém, não vi o tempo invisível passar, o senti apenas no corpo. Na mente, não!

Se observarem um par de óculos 8,5 graus transportando um corpo de 71 quilos, andando lento, olhando com seus olhos auxiliares, levantando-o para deixa-lo saibam que sou eu, caminhando lento dentro das verdes áreas do Condomínio,  olhando tudo, inclusive os periquitos, elogiando o que entendo como correto para ser elogiado e criticando e apontando soluções para  o que entendo estar errado e que precisa mudar para uma boa e correta administração condominial, na condição de presidente do Conselho Fiscal do Condomínio. O tempo me amadureceu e amadureceram os valores éticos, morais, administrativos e conceituais que já possuía.  Não me mudou em nada além da idade contada em 365 dias do ano!

Como jornalista, recebi e perdi prêmios. Perder ou ganhar faz parte da disputa. Em literatura, não pode haver empate.  Continuo o mesmo! Só mudei no humor a partir de 2006, quando perdi meu lóbulo responsável pelo riso e passei a viver com  duas infecções que se apossaram do meu cérebro. Porém, se tivesse que viver tudo de novo, mudaria poucas coisas e ajustaria outras, mas em nada mudaria a criticidade que mantenho com relação aos fatos sociais que observo, ao longo dos 57 anos de vida que completo todo ano, mesmo que não queira. Se bem ou mal vividos, pouco me importa saber por que a história marcará minha passagem e contará a história que vivi. Também teria concluído o curso de direito e depois concluiria os cursos de Comunicação Social e Serviço Social. Seria teórico social de novo e quanto ao que fiz, nada mudaria.



Obrigado de coração a todos os amigos que me parabenizaram,  antes que ficasse mais velho.  Destaco minha tia no RJ Maria Auxiliadora Costa, os membros da família, a esposa Yara Marília Queiroz,  Diniz Alexandre Pereira, o ex-presidente do CDL Amazonas a quem tive o orgulho de assessorar em sua profícua gestão ao lado do diretor de comunicação Paulo Monteiro, à poetisa sensível e maravilhosa Luiza De Marillac e tantos  outros não menos importantes, cujos nomes...foram tantas as paralelizações pelo facebook  e whatsapp. Destaco uma com orgulho o nome de Toinho Saoud, com quem tenho desavenças, mas nos entendemos, nos respeitamos, admiramo-nos mutuamente. 

sábado, 11 de fevereiro de 2017

ZFM 50 ANOS, PARA QUE SERVIRAM?



Os 50 anos do modelo de Zona Franca de Manaus serviram para quê, além de produzir uma ilha de riqueza cercada de miséria na periferia de Manaus? Quase nada!

Tirou o Amazonas e a Amazônia do isolamento em que vivia pós-Fastígio da Borracha ou “Ilusão do Fausto”  como afirma a professora  da Ufam, Edneia  Mascarenhas Dias. Também  criou  um “exército de reserva” mal remunerada e deixou a Floresta em pé,  mesmo à custa da miséria de seus verdadeiros guerreiros guardiões, os homens que vivem no seu interior, isolados, pobres e muitos deles sofrendo com a falta de políticas públicas que as alcancem. Vivem sem luz, água, sem arco e flechas como os índios do passado viviam, hoje quase extintos.

Depois do Governo José Lindoso e o também  já falecido superintendente da Suframa, Ruy Alberto Costa Lins, decidiram criar Leis e oferecer incentivos fiscais às indústrias de eletrônicos instaladas no Distrito Industrial, para que desenvolvessem novos projetos e investimentos no interior do Amazonas, aproveitando o potencial que já possuía, surgiram  projetos de Dendê, em Tefé, de Palmito, em São Gabriel da Cachoeira e, mais recentemente  o “Terceiro Ciclo”, no Governo Amazonino Mendes! Contudo, não a tirou totalmente do isolamento. A BR-174,  do Governo Militar, nunca chegou a ser concluída inteiramente em pouca coisa foi útil. Durante todo o período da ZFM, não usaram recursos para investir em pesquisas biotecnológicas e a solução cabocla idealizada por Jeovan Barbosa de ligar o município de Itacoatiara ao Estado do Pará e  ao resto do Brasil e do mundo por pontes, rodovias  encontra resistências políticas. A Superintendente da Suframa, Rebeca Garcia, agora sinaliza na busca de investir em pesquisas biotecnológicas e encontrar sua verdadeira vocação, como já ocorreu no passado.  

Logo no seu início da implantação de suas primeiras fábricas,  os jornais de Manaus diziam que a ZFM seria um modelo que poderia “ser desmontado e transportado em uma pasta para qualquer lugar” como se fosse um produto descartável, principalmente próximo do fim dos seus primeiros 30 anos previstos no decreto 288/67.  Contudo, a Federação da Indústria do Amazonas,  Associação Comercial do Amazonas e o Centro da Indústria do Amazonas, lideranças empresariais que existiam na época e eram fortes no Amazonas lutaram  e conseguiram, em 1997, que o Governo Militar  o prorrogasse por mais tempo. Depois, na Constituinte, o político amazonense Bernardo Cabral, incluiu outro tempo para que o modelo continuasse existindo e, no Governo Lula, a ZFM ganhou mais 50 anos de fôlego para  respirar e viver, mas sem investir em pesquisas e encontrar sua verdadeira vocação que está na sua biodiversidade.

50 anos depois, porém, a Zona Franca resiste e transformou a cidade de Manaus em uma ilha cercado de problemas sociais por todos os lados, fazendo surgir vários estudos científicos. Um dos que mais me marcaram como aluno de Serviço Social, foi à publicação de “Zona Franca de Manaus: os filhos da era Eletrônica, pesquisa realizada por Edila Arnaud Ferreira Moura et, alii, publicada pela Associação de Universidades Amazônicas, Universidade do Amazonas, Universidade Federal do Pará ( 1993, 141 páginas, integrante da série “A pobreza e o Meio Ambiente na Amazônia, vol 2), que contou com a participação do médico e pesquisador amazonense José Maria de Castro Santana. Na pesquisa, “se procurava apenas compreender a realidade das populações pobres da Amazônia e desnudar o fato de que as crianças são os seres mais afetados pelo impacto das visões desenvolvimentistas que se impuseram na região, nas últimas décadas”.



50 anos depois, quase nada mudou e em alguns itens sociais, até piorou, porque a Zona Franca não investe em pesquisas para se tornar independente e encontrar na sua biotecnologia abundante, seu único e verdadeiro modelo de desenvolvimento sem depender do Governo Federal com suas constantes e até abusivas medidas econômicas que, uma vez tomadas no calor dos debates políticos, afetam diretamente ao modelo de desenvolvimento do Estado.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

"SOCIEDADE DE BANDIDOS SOLTOS!


“Se precisarmos de polícia para sermos, (sic) honestos, somos uma sociedade de bandidos soltos”.

De todas as frases que já li sobre a crise institucional, moral, ética e financeira no Estado de Vitória, que tem por capital o Espírito Santo, a do psicólogo e teólogo Sérgio Oliveira, foi uma das mais inteligentes, lúcidas e coerentes que já li nas redes sociais. Outros escritos sobre a mesma crise, como a de Alexandre Garcia, apresentam um Brasil antes de 64 e outras mais diretas, dizendo que em qualquer crise “chama o Exército que ele resolve”. Contudo, nesse momento, a presença do Exército no comando do Brasil, é desnecessária e poderia ser e ter uma atuação desastrada, em termos de megalomania institucional, com a imposição de novo período de censura militar e com a presença de federais nas redações dos meios de comunicação. O psicólogo, Sérgio Oliveira, com muita sensatez, se questiona sobre pessoas que se aproveitam de uma situação específica para também roubar mesmo sem serem ladrões, aumentando ainda mais a insegurança pública na linda capital e concluiu com razão que “se precisarmos de polícia para sermos, (sic) honestos, somos uma sociedade de bandidos soltos”.

O que o Brasil precisa é mais do que polícia: quer que os poderes executivo, legislativo e judiciário cumpram seus deveres e não se vendendo e vendendo sentenças para prender e soltar ninguém. Mas essa realidade está mudando, felizmente, mas não tão rapidamente quanto à sociedade deseja, porque continua podre e se vendendo também para candidatos populistas e endinheirados com dinheiro de corrupção, que fazem suas campanhas e depois, descobertos, anunciam que “minha campanha recebeu recursos legais e tudo foi declarado à Justiça Eleitoral e minhas contas foram todas aprovadas”, como se a fiscalização eleitoral tivesse o mesmo poder de investigação que a Polícia Federal tem. O mais comum é ler sobre notas fiscais falsas, só descobertas em perícias realizadas pela PF.


Alexandre Garcia, em sua crônica “Espírito Santo Nada” fala sobre as imagens dos saques praticada por bandidos “ainda não profissionais, chocam, mas não surpreendem”. Segundo Garcia, não precisaria ser adivinho para saber que o Brasil terminaria assim. Depois,  segue mais pelo lado político como se poderia esperar. O psicológico Sérgio Oliveira, porém, analisa a mesma crise moral, social e ético da sociedade coletiva pelo lado psicológico e chama a atenção para o fato de pessoas comuns “ainda não profissionais”, se envolverem em roubos de lojas e devolverem os produtos furtados  só depois  de descobertos e identificados pela polícia, nas câmeras existentes. O “arrependimento” não torna o roubo, desonestidade, falta de caráter, ética social, menos grave,  continuará sendo um roubo e, do mesmo modo, um crime de roubo!

O que falta à sociedade, também falta em políticos: compromisso com o coletivo, com o SER e não com o TER. Felizmente, está sendo resolvido, com atropelos, a crise moral coletiva da sociedade, mas continuará sendo difícil, muito difícil mesmo, se chegar a um nível aceitável de honestidade, porque o problema  da falta de moral, começa na pirâmide social e termina em que deveria ser e dar exemplos à sociedade que os elege: os políticos. Se a sociedade apodreceu, não poderia exigir que elegesse bons políticos para nos representarem. É lamentável que tudo que não presta se espalha como rastilho de pólvora na era das mídias sociais: o mesmo pode ocorrer também no Rio de Janeiro, também quebrado e com um governador Pezão e seu vice, Dornelles, cassados, com direito a recursos e ainda nos seus cargos. Será o caos e talvez o Exército assuma tudo de vez, já que está cumprindo sua  função de “Aparelho de Estado”, apagando incêndios em revoltas como a de Santa Catarina, rebeliões em presídios etc. A conclusão que chego é: onde o Estado se torna ausente, o Estado Paralelo se faz presente e se fortalece cada vez mais!


Está ficando muito perigosa a situação e parecendo com o clima que levou ao Golpe Militar de 64, mais agravado pela corrupção que envolve alguns políticos!

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

A VIDA QUE LEVO...!


Durmo

Ouvindo orquestra afinada de pássaros.
Acordo
Com matilhas desafinadas no Condomínio Mundi:

Essa é a vida que levo!
Um escravo do celular!
Que uso para anotar tudo e

Não podendo desligar!

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

QUANDO...


...o pensamento começa a voar:
O certo pasaará a ser errado;
o moral; será imoral,
A ética  virará besteira:
A honestidade será banalizada!
Depois, a bestialidade dominará tudo
E o caos social passará a ser visto por poucos:
Contudo, a escuridão intelectual se tornará prática comum!
A bestialidade coletiva será aceita,
A criticidade; considerada idiotice, cafonice, “besteirice...”

II


(o abismo e destruição moral tomará forma, invadirá  tudo
se tornará normal e natural junto com o resto.
O bom passará a ser ruim e o perfeito
Será imperfeito!)

sábado, 4 de fevereiro de 2017

INVERDADES E MEIAS VERDADES NAS REDES SOCIAIS!


“Compartilhe porque o Brasil inteiro precisa conhecer essa manobra aprovada na calada da noite...”. Esse é principal apelo de notícias mentirosas ou com meias verdades que circulam pelas redes sociais, para sensibilizar aos incautos úteis.  Notícias fantasiosas sem nexo, lógica entre causa e efeito e nem fonte confiável, hoje enganam mais do que conseguiam enganar no passado, sem redes sociais. Como jornalista, depois de concluído o curso de Assessoria de Comunicação Social Integrada no RJ e retornado para Manaus, e sendo considerado tarimbado por jornalistas mais jovens  por já  ter exercido os dois lados da mesma notícia, como Assessor de Imprensa e Editor Geral de Jornais ser considerado tarimbado, fazia  “balões de ensaios políticos” e “plantei notícias falsas” propositais para  .sentir no dia seguinte o que ocorreria na opinião pública e, no dia seguinte, orientar melhor com quem trabalhava.  Contudo, os tempos mudaram, as mentiras se sofisticaram e até leis já foram criadas e publicadas no “Diário Oficial da União” para parecer ainda mais verdadeiras e aumentar o apelo pelo compartilhamento. Foi assim que o prefeito Manoel Ribeiro conseguiu implantar a cobrança do Imposto Sobre Serviço em Manaus, quando era Editor Geral no Diário do Amazonas.

No dia da reeleição de Dilma Rousseff, um áudio matando o doleiro Alberto Yousseff, durante um exame em um hospital, o que foi desmentida pela Polícia Federal do Paraná, onde estava preso, dando início à “Operação Lava Jato”, durante o processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff áudios anunciaram que os “vermelhos” estavam na fronteira  do Brasil, prontos para iniciar uma guerrilha para impedir o impedimento da presidente impopular, áudios de, supostos membros do Serviço Reservado do Exército, a PP2, pediam que a população do Brasil estocasse água, alimentos e remédios porque o país entraria em guerra, áudios de generais da reserva perguntavam pela Liberdade, que foi negada aos brasileiros durante sucessivos anos dos Governos Militares. Deram várias fazendas à Dilma Rousseff, no Pará, em nome de sua filha e contas secretas na Suíça teriam sido descobertas e insistentemente acusavam todos os simpatizantes, eleitores e membros do partido de PTrabalhas, etc.

De tudo que li de mentiras em redes sociais, uma delas foi uma suposta reforma da Lei Orgânica da Magistratura que beneficiaria filhos dos juízes e ministros em idade escolar até os 24 anos, depois  que o Ministro do STF Teori Zavascki,  já  havia convocado a senhora Marisa Letícia para depor, quando o viúvo Luiz Inácio Lula da Silva anunciou que os que os órgãos da primeira dama seriam doados, profissionais da área de saúde se manifestaram em redes sociais garantindo que ela seria alcóolatra, sugeriam que o cérebro fosse doado a ex-presidente do Brasil Dilma Rousseff e criaram uma tabela de idade para doação de cada órgão,  só que a Ex-primeira dama faleceu antes de completar seus 70 anos. Foi muita falta de respeito à esposa falecida do ex-presidente Lula.


As redes sociais, hoje no Brasil e no Mundo,  estão sendo usadas para o bem e para o mal, para fins sexuais e de chantagens virtuais, para extorquir incautos e também para promover encontros e protestos que mudam os rumos de um país, derrubam governo e fazem surgir piores ou melhores, como foi o caso do Brasil, que promoveu o impeachment de uma presidente eleita, que quis nomear um ex-presidente Lula para a Casa Civil. Não o fez porque  a população foi às ruas alegando que a nomeação de Lula seria para blindá-lo contra as investigações da Lava Jato. Contudo, o presidente Michel Temer, “promoveu” Moreira Franco e deu-lhe blindagem contra as mais de 30 acusações de executivos da Oderebrechet, que apura a Lava Jato.  Michel Temer, defendendo sua atitude, explicou que havia diferenças entre o que Dilma Rousseff queria fazer com Lula e fez com Moreira Franco, dando-lhe status de Ministro, blindando-o também. Agora, ele passa a ter fórum privilegiado e só poderá ser investigado pelo STF, como seria feito com o chefe da Casa Civil.  As redes sociais, agora  quase não  repercutiram esse fato, ninguém foi às ruas, como fizeram contra o Governo desgastado e impopular da ex-presidente Dilma Rousseff. Isso é difícil de entender, como uma situação mereceu revolta e repulsa da sociedade e outra exatamente igual, não passou de uma mera explicação da promoção e blindagem de Moreira Franco.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

HIPOCRISIA, APENAS!




Hipocrisia, apenas, é o que está sendo com a falsa sensação de segurança e de tranquilidade que as Forças Armadas impuseram aos presos!

Se fossem usar detectores de metais por tempo indeterminada em todas as revistas que realizassem nas prisões encontrariam armas, drogas e celulares. Contudo, serão por tempo determinado de 90 dias e somente resolverão problemas pontuais e não será a solução do problema principal: o livre comércio e consumo de drogas dentro das prisões, além de uso de celulares e redes sociais. Com o trabalho das Forças Armadas, haverá redução no número de rebeliões, aliviando a pressão, mas continuará sendo uma falsa sensação de solução dos problemas, ou hipocrisia, apenas. Depois do fim do trabalho das Forças Armadas, as facções retornarão com mais força e poder e outras medidas precisarão ser implantadas para matar a raiz do problema no complexo, dominado e explosivo sistema carcerário do Brasil. Hoje, as facções mandam e desmandam nos Estados que as obedecem sem demora e sem discussões: elas matam e degolaram pessoas em Manaus, Roraima, Natal, MG e outros Estados. Pode voltar a acontecer de novo!

O Brasil precisa urgentemente a Justiça optar pela aplicação de pena social destinada ao tratamento dos condenados dependentes de drogas e outros membros da sociedade mais carente, que também sofre do mesmo drama e não podem custear prolongados tratamentos em clínicas particulares. Com a ausência do Estado, os tratamentos de dependentes químicos estão sendo realizados, principalmente, por Igrejas Evangélicas. Os tratamentos para livrá-los do vício são demorados, caros e famílias mais carentes não podem custear. Se para que isso venha a ocorrer se for tiver que mudar Leis, Constituição e tudo o que for preciso, que se faça, inclusive mudando também os políticos que criam as leis. Enquanto a sociedade não mudar sua maneira de pensar, agir e votar, o problema prisional continuará existindo. Felizmente, o Brasil está mudando aos poucos, mas está!

Qualquer vício é uma doença adquirida depois do nascimento. Livremente ninguém admitirá que seja viciado e deseje voluntariamente e sem imposição legal, se livrar dele, a não ser por medida coercitiva de um juiz e controlada pelo Estado. Além disso, outras medidas precisam ser implantadas depois para manter o controle dos que forem tratados, como já existiu no passado em Manaus, com uma ala destinada a um hospital penitenciário. Isso deveria ocorrer em todo o Brasil, mas até em Manaus o hospital de custódia para detentos foi desativado e nunca mais nada ocorreu. Notícias do Governo anunciaram um hospital só para tratar dessa doença que está dizimando a juventude. Contudo, a SEMASH, secretaria municipal que cuida dos problemas, inclusive de viciados em drogas, continua enviando-os para clínicas particulares, mesmo com o hospital anunciado inaugurado e entregue.  Para cada caso será um caso a ser visto com olhar de estranhamento e preocupação porque a questão social da droga precisa ser enfrentada urgentemente, dentro e fora das prisões.


Hoje, a atuação das forças armadas nas prisões não passa de uma ação de enxugar gelo e fazer chover no que já está molhado. Depois, tudo voltará com mais força depois do fim do trabalho do Exército nas prisões.