domingo, 18 de novembro de 2012

CALLs CENTERs CONTINUAM ENGANANDO CONSUMIDORES!





Para fugir das pesadas multas impostas pela portaria que disciplinou o tempo máximo de atendimento aos consumidores, os Call Center criarem uma nova modalidade para continuar enganando os consumidores: o atendimento imediato e eletrônico das ligações ao primeiro chamado, informando que “Sua ligação é muito importante para nós. Por favor, aguarde. Estamos transferindo sua ligação para um de nossos  atendentes”, o que leva até 30 minutos de espera, principalmente no telefone  0800 de contato da empresa Amazonas Energia. E, ao final, geralmente, o cliente interessado não recebe uma resposta satisfatória, muito menos a solução de seu problema, mas fica sabendo tudo sobre a “Eletrobrás” e seus serviços.

Essa nova maneira de burlar a portaria do Ministério da Justiça, implantada pelas operadoras de Call Center, está irritando ainda mais os usuários dos serviços de energia elétrica, telefonia, TV por assinatura, planos de saúde, aviação civil, empresas de ônibus, bancos e cartões de crédito fiscalizados pelo Banco Central, mas evitam a multa porque provam que o atendimento está sendo feito até em menos tempo do que o determinado.  

Uma coisa é o atendimento no tempo exigido, outra coisa é a solução do problema em um tempo no mínimo razoável de 10, 15 ou 20 minutos, mas isso a portaria do Ministério da Justiça não previu e o abuso recomeçou. Depois da transferência eletrônica para o “atendente”, é feito o pedido, o nome e o assunto que deseja resolver e depois dizer que “lamenta”,porque geralmente, a informação pedida “não consta no meu sistema e nada posso fazer.”

Essa é uma forma velada de enganar os órgãos de fiscalização ligados ao Ministério da Justiça.  Com a falha na portaria, por não ter estabelecido um tempo entre o atendimento eletrônico e “um de nossos atendentes”, para uma resposta, mesmo que negativa, os Call Centers continuarão burlando a portaria, enganando os órgãos de fiscalização e não poderão ser multados.

A portaria do Ministério da Justiça precisa urgentemente ser revista, reformulada e estabelecido tempo entre o atendimento eletrônico imediato e o “atendente” conversar com o interessado. Se isso não for feito, os abusos continuarão sendo praticados pelos Call Centers, infelizmente.

2 comentários:

  1. Renato Azevedo de Azvedo21 de novembro de 2012 10:12

    Amigo Carlos isso para mim não me causa espanto nossos parlamentares criam leis todo santo dia e estas na grande maioria não são levadas a risca. basta ver a "lei seca" que é uma piada! A pergunta que fica no ar é: será que as leis são feitas assim por imcompetência ou por má fé?

    ResponderExcluir
  2. Boa-noite, Carlos!
    É preciso ser tolerante para "aguentar" a chatice de uma espera para uma informação, uma marcação de exame, uma reclamação... A gravação (masculina ou feminina) que dá as boas-vindas é sempre de uma voz mansa demais e, como você cita no seu texto, fala da empresa, dos bons serviços ... É uma encheção de saco. No final, cansada, ouvido doendo, chateada porque não conseguiu nada, ainda nos sugerem que dê uma nota para o grau de satisfação do atendimento... Ufa! Adorei seu blog. Parabéns! Abraço, Valéria S. Dantas Lopes

    ResponderExcluir