quarta-feira, 9 de julho de 2014

A SELEÇÃO FOI GOLEADA; A VIDA CONTINUA!


Foi só um jogo que acabou em goleada contra a Seleção brasileira, mas não foi uma vida que acabou, porque ela está apenas  está começando, com novos capítulos ainda mais emocionantes e ridículos ao mesmo tempo: as eleições de outubro e o melhor programa de humor da TV brasileira começará no horário eleitoral gratuito!

A vida continua. Com um pouco menos eufórica, é verdade, mas hilária porque vamos ter o início do Horário Eleitoral Gratuito na TV e no rádio, aumentando a  responsabilidade dos eleitores que terão que escolher entre candidatos os seus excepcionais representantes, que andam raros ultimamente, sejam eles de quais partidos forem entre os  que se apresentarem para disputar a receber votos nas urnas. Dentre os que apresentarão como elegíveis, existirão bons e maus candidatos, uns  com  fichas limpas , outros com fichas mais sujas do que pau de galinheiro, mas se dirão “limpinhos” e o eleitor terá que escolher e ficar com os melhores!

Sim, a vida continuará mais triste pela derrota de 7 X 1 da Seleção brasileira para a seleção da Alemanha, mas as ilações políticas pelas redes sociais já são inúmeras, como a tristeza da presidente Dilma lamentando que a popularidade começará a cair, o personagem filósofo Ioda, que tinha respostas para tudo, vestindo a camisa da seleção e sem explicação para justificar nada. Uma outra de marcar opções e perguntando com bom humor qual o maior massacre imposto pelos alemães: ( ) negros, ( ) Judeus ( ) Ciganos e já marcado (X)Seleção Brasileira...enfim. Mas poucas pessoas lembram do pensamento de Rodrigo Mese, que define muito bem o sentimento de frustração dos brasileiros diante da humilhação sobre a bipolaridade da vida e, principalmente, a de todos os futebolistas fanáticos: de um momento para o outro. a vida passou da euforia extrema à tristeza e decepção geral! Agora, buscam explicar e culpar alguém pelo apagão da Seleção do Brasil, mas não tem explicação, nem tem culpado, só os torcedores que não se aceitam na derrota e lamentam porque agora, no máximo, o time do Brasil poderá ficar no máximo em terceiro lugar. Mas não esperem muito porque de novo Rodrigo Mese pode acertar em sua definição da polaridade da vida!

Mas a vida não acabou e as cidades que sediaram os jogos da Copa do Mundo receberam investimentos em várias áreas, os resultados só começarão a aparecer em um futuro próximo, mas o povo consciente e responsável não pode se descuidar porque o Brasil anda para frente e para trás, como se fosse um automóvel empurrado para pegar no “tranco”, na subida de uma ladeira!.

Enquanto isso, a ZFM contabiliza os resultados fantásticos em sua economia. Só que esses resultados econômicos, devem ser vistos com calma e preocupação porque a verdadeira identidade econômica da Região não é ficar com pires na mão em gabinetes dos deputados federais em Brasília, pedindo a prorrogação desse modelo, e, sim, aproveitar os novos 50 anos do modelo que lhe restarão e investir em pesquisas para desenvolver um polo biotecnológico porque o modelo ZFM não será perpétuo,  nem perene ou “imexível” como disse o ex-Ministro Magri, que ocupava a pasta do Trabalho do Governo  Collor.

Tudo pode acontecer no apagar das luzes do Planalto Central e, como no pensamento de Rodrigo Mese, o Amazonas pode ter sua economia de hoje levada da extrema euforia, saindo à temerária tristeza e um novo apagão geral, como ocorreu com a seleção brasileira na derrota para a Alemanha.

Mas vamos falar do jogo, para dizer outra coisa: as eleições!

Depois da copa, começará o horário eleitoral gratuito e, proporcional as bobagens que muitos falam e gravam sem ao menos saber ler os textos que seus assessores preparam para serem lidos, também aumentará nossa responsabilidade para escolher bons candidatos, de qualquer que venha a ser o partido porque em todos tem bons e péssimos candidatos uma vez que os partidos escolhem e apresentam quem eles querem, mesmo com fichas sujas, mais sujas do que pau de galinheiro, sem muita qualificação, sem muitos conhecimentos, só porque pretendem se dar bem.

A esses todos, os eleitores precisam ficar atentos porque como postei hoje nas redes sociais facebook e wahtsapps: a diferença social que existe é resultado direto da indiferença que temos diante dos problemas que podem ser mudados pelas nossas atitudes.

Atitudes responsáveis, acrescento agora.



3 comentários:

  1. E Alyson Ribeiro9 de julho de 2014 15:35


    Carlos da Costa, gostei muito do seu texto! De fato, o próximo capítulo da vida de todos os brasileiros representará o melhor momento de expressar o patriotismo. Talvez mais decepções ainda estarão por vir.

    ResponderExcluir

  2. Boa tarde carlos da costa. Um belo texto, com articulação equilibrada. Perder a Copa não o fim do mundo. A luta continua. Quanto as eleições, os melhores candidatos são os que vem da esquerda. Desde que me entendo por um ser político, os parlamentares da direita sempre votaram no congresso contra os trabalhadores. Sempre acompanhava esses votos através do DIAP. Um um abraço.

    ResponderExcluir
  3. João Batista/MG (joba cicle)10 de julho de 2014 06:21


    A nossa vida continua,

    Assim seja.....

    ResponderExcluir