segunda-feira, 27 de outubro de 2014

DILMA E AÉCIO PRECISAM COMEÇAR A TRABALHAR!


Como escreveu a escritora Marta Medeiros, o Brasil acordou eufórico pela vitória de Dilma Rousseff, reeleita para mais quatro anos e triste porque o país exigia mudanças estruturais, propostas por Aécio Neves. Em meio a toda a dor, a democracia venceu, mas o ex-quase-futuro ministro da Justiça de Aécio Neves, Joaquim Barbosa, teria publicado pelas redes sociais uma NOTA DE FALECIMENTO dizendo que o Brasil vai continuar mantendo uma classe de pessoas que vivem a custa do país, recebendo programas sociais, sem nenhuma perspectiva de alcançar o mercado de trabalho. No mínimo causa estranheza essa publicação porque o candidato derrotado também garantiu que continuaria com os programas sociais de transferência de renda do Governo do PT. Ou seria só mais um desprezo ao sistema democrático de Joaquim Barbosa que julgou os envolvidos no processo do Mensalão dito do PT, mas que envolviam também vários outros partidos, além do Partido dos Trabalhadores? Talvez, o ex-presidente do STF devesse ter postado Nota de Falecimento contra os 37 milhões de eleitores desiludidos e que se abstiveram ou que votaram brancos e ou simplesmente anularam seus votos, porque isso representaria uma insatisfação total contra o processo eleitoral ou teria sido um recado claro que a Reforma Política, discutida há 20 anos no Congresso Nacional, deve ser imediatamente aprovada. Ela sempre é barrada, remendada ou usado um jeitinho brasileiro porque envolve diretamente os interesses de deputados e senadores!

É...o Brasil acordou dolorido da luta travada no octódromo. Os candidatos agora precisam juntar os cacos que restaram do país, colá-los e reconstruí-lo mais forte e com as mudanças nas áreas política, fiscal, tributária, educacional, enfim, estrutural para que a estagnada economia possa crescer e gerar empregos. A condenável, sob todos os aspectos, invasão e destruição do prédio da Revista Veja, foi um atentado contra a liberdade de expressão, defendida por todos os jornalistas como também foi condenável o que a revista publicou contra Dilma e Lula, sem uma averiguação mais cautelosa. Mas no discurso de apaziguamento da nação, que amanheceu dividida e dolorida, deu para ouvir manifestantes gritando slogans contra a Rede Globo de Televisão que teria sido tendenciosa e parcial nos debates promovidos, permitindo não debates sem ideias e propostas, mas agressões pessoais e meias verdades anunciadas. Fica uma pergunta: será que a Rede Globo vai querer transmitir os futuros debates de candidatos, diretamente da arena do UFC, como  transmitiu a luta de José Aldo Júnior, contra um desafiante americano, com muitos de golpes baixos, dedos nos olhos e um juiz impassivo, achando tudo normal! O lutador do Amazonas conseguiu manter-se pela sétima vez, campeão da UFC, por unanimidade. Terminou a luta, porém, cheio de hematomas e um corte no supercílio, cheio de sangue!

Há erros, falhas e ajustes que precisam ser feitos na democracia brasileira, mas não se pode negar que foi uma das disputas presidenciais de mais baixo nível da história, com muitas acusações e leviandades, mas venceu a democracia e a vontade dos eleitores. Famílias se dividiram, pessoas se atacavam pelas redes sociais, usada pela primeira vez na disputa. Era como se fosse a luta da vida delas que estivesse em jogo – e era mesmo! Serão mais quatro anos para o PT cumprir as reformas que prometeu durante os embates e debates e melhorar sua posição perante os eleitores. O PT corre o risco de não emplacar mais um novo candidato do partido, caso não cumpra o que prometeu que faria com uma reeleição, mesmo apertada!

O escritor Fausto Arruda, do blog  “Nova Democracia” (http://www.anovademocracia.com.br/no-113/4826-so-uma-grande-desordem-pode-criar-uma-nova-grande-ordem) descrevendo as sociedades de classes antagônicas, garantiu que “é o caráter de classe do Estado que expressa a ordem vigente de dominação de determinada ou determinadas classes” e concluiu que só uma “grande desordem pode criar uma nova grande ordem”. A desordem já ocorreu. A ordem precisa vir agora!

Denúncias de corrupções foram feitas, , garantias de combate firme também, mas elas  só aparecem nos processos eleitorais. Depois desaparecem como se nunca tivessem sido feitas. Só que as denúncias deveriam ocorrer por ser uma obrigação de todos os políticos. No rastro de pólvora das denúncias, surgiu a da lista de políticos beneficiados com recursos desfiados da Petrobras e divulgadas pelo seu ex-diretor, Paulo Roberto Costa. Nela constam nomes de políticos de diversos partidos, inclusive alguns do Amazonas, ainda com mandatos, que teriam sido beneficiados com o esquema de caixa 2 da Estatal. 

Constam na lista, os nomes dos deputados federais Henrique Oliveira, do SDD, que teria recebido 100 mil reais, eleito vice-governador na chapa do candidato José Melo, Rebecca Garcia (PP) com 250 mil reais, candidata derrotada a vice governadora na chapa do candidato Eduardo Braga, Pauderney Avelino  (DEM), que teria recebido com 250 mil reais e o da senadora do PC do B, Vanessa Grazziotin, que teria recebido 500 mil reais. Se é verdadeira a lista, os parlamentares citados precisam vir a público e confirmar, se explicar ou desmentir seus envolvimentos. Se forem honestos, precisam declarar em seus impostos de rendas os valores. Se a presidente reeleita Dilma Rousseff quiser mesmo fazer uma caçada à corrupção, deve começar mandando conferir se se todos os beneficiados citados na lista de Paulo Roberto Costa, vão declarar os valores recebidos do desvio em seus impostos de renda! Mecanismos de controle da corrupção o Governo possui, mas só os usa quando quer! 

A lista completa com os nomes de todos os políticos beneficiados está no endereço (https://www.facebook.com/carlos.costa.33/posts/850515648326437)

Se fizer isso, já terá sido um bom começo!

4 comentários:


  1. Sinceramente, eu não acredito que em quatro anos, qualquer um dos candidatos seja capaz de mudar o Brasil. O nosso país está em desordem faz mais de quinhentos anos. Um abraço. Não sou petista, não sou tucana ou qualquer coisa que o valha, portanto, o meu voto é e sempre será sacro. Eu não votei. Eu anulei sem dó nem piedade. Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. Olá Carlos,

    Mais uma vez você nos brindando com seus excelentes textos.
    Embora eu não tenha muito conhecimento do que está se passando na politica de seu estado, no demais endosso em gênero , numero e grau as suas palavras.
    Grande abraço

    ResponderExcluir
  3. \maria Celina Camposé28 de outubro de 2014 13:49

    Como viu o PT e seus correligionários, votaram contra; o que significa sim que vai continuar a ser usada como manobra para assombrar os mais pobres e mantê-los na dependência. Quanto ao Brasil dividido, também não foi dividido pelo PSDB, veja na minha página do facebook ou no Youtube, o que diz Marilena Chauí ( PT-SP) sobre a classe média, e o quanto o seu telespectador Lulla da Silva, aplaude e acha graça. Quem é a classe média hoje no Brasil? que eu saiba somos nós, trabalhadores ou aposentados que precisam continuar a trabalhar para manter o mínimo desejável padrão de vida, e que trabalhamos ou no caso dos aposentados devolvemos aos cofres públicos 4 meses de nosso salário,, sem nenhum retorno, pois não tem servido nem para tirar os miseráveis da miséria, que hoje mesmo vi no Jornal em uma estatística; que houve um aumento do número de pessoas desassistidas no Brasil. Hoje a noite você deve ver a mesma matéria no Jornal da TV que costuma ver.
    Sobre corrupção, há sim que investigar, ter liberdade de imprensa para denunciar, penso que em qualquer hora, pois as notícias e descobrimentos de falcatruas não escolhem dias para aparecer.
    Não me parece que a democracia venceu não, O Brasil do futuro, está nublado, com uma presidente que será investigada pelos EEUA, no caso Pasadena, mesmo tendo imunidade parlamentar no Brasil, e um ex-presidente, que se mostrou absolutamente amoral e indecente subindo em palanques, ofendendo e caluniando seu opositor sem nenhum comedimento. Um prefeito da maior metrópoli da América Latina, distribuindo outdoors pela cidade caluniando o adversário durante a noite, e foi assim que São Paulo amanheceu no dia da eleição. Quando Aécio agradece a votação que teve em São Paulo, ele não só fala no Estado como da cidade, que soube dar o troco pelo crime eleitoral cometido, e votou em massa nele.
    Sobre o vandalismo que houve na Editora Abril, só não vê quem não quer, de onde vieram os vandalos que acabaram com as passeatas pacíficas e ordeiras que começaram em julho/13, e o que é ainda pior, a presidente em seu Horário Eleitoral Gratuito na TV aparecer ao lado de um black-block investigado em São Paulo que disse abertamente que recebeu dinheiro da Petrobrás para organizar os "movimentos" que acabaram na morte de um jornalista da Band. Isso quando os Escândalos da Petrobrás nem estavam no noticiário, e ela estava em alta na Bolsa de Valores. Esta é a presidente que ganhou as eleições, esta é a ideologia dela e do Partido, e espero que Deus tenha pena de nós. Eu também estou de luto, pois como diziam meus avós, " tudo como era antes no quartel de Abrantes".
    Abração
    Celina

    ResponderExcluir
  4. Tuas cronicas sao excelente,Carlos.
    Nao entendo ate hoje,como temos de votar nos nossos politicos.Tenho medo nao fugir,apenas,tive oportunidade,que voces nao tem.
    Fiz igual o Ksthmandu,mais nunca esquecir de vcs ai no Brasil que aceitam somente duas opsoes.E ridicula,essa democracia.Nao vivo ai mais minhas raizes vivem, nao vou desistir,nunca.A vida continua.
    Maria Hirschi Botelho

    ResponderExcluir