terça-feira, 3 de novembro de 2015

A SECA NO AMAZONAS E NO RIO SÃO FRANCISCO!



Depois da cheia excessiva em seus rios Negro e Solimões e a decretação do Estado de Calamidade Pública, os municípios do interior Amazonas voltaram a ter decretado Estado de Calamidade Pública, Agora, pelo motivo inverso: a seca, que expôs o lado mais triste e perverso de seres humanos, o de descartar lixo que nos igarapés, rios, oceanos, contaminando suas águas, matando os peixes e toda a vida que depende delas para existir. Depois, cobram providências dos municípios que também precisam de ajuda, em forma de consciência, cidadania e civilidade para não terem que recolher TVs, sofás, sapatos, geladeiras e outros objetos de seus leitos! O cenário é preocupante vergonhoso, também, mas não ocorre só no Amazonas. O Rio São Francisco, o mais importante do Nordeste, sofre do mesmo comportamento irracional do ser humano! 

O desbravador solitário Lu Marini,  pousou e decolou com seu paramotor do leito seco do Rio, carinhosamente chamado de “O Velho Chico”. A reportagem exibida em capítulos também agonizantes no programa Fantástico, da Rede Globo. Parece que da forma que fizeram com o Rio que banha o Nordeste e expôs o que está ocorrendo nos quase 3 quilômetros de sua extensão, também fizeram com os Rios Negro e Solimões, no Amazonas. Mata vida e a esperança de todos os que dependem de suas águas para sobrevivência. Lu Marini, deixou no ar uma pergunta intrigante e bem racional para ser digerida, analisada e talvez sem que mereç uma resposta plausível: “como será feita a transposição de suas águas do Rio São Francisco se já existe água para correr pelos seus canais artificias?”, resultado de ação humana, com investimentos públicos são do PAC! No Amazonas, que começou a chover no dia 2 de novembro e pode ter iniciado o inverno de 6 meses, mas o “Velho Chico” se encontra agonizante! O Rio São Francisco não é o maior em extensão ou em volume de água: o Rio Solimões, continua sendo. Mas até quando? Não sei!


Se não existe mais água também nos Rios Negro e Solimões, é porque alguma coisa está errada com a ação do homem sobre a natureza, que lhe produz consequências inimagináveis. Muitos foram contra a execução da transposição das águas do Rio São Francisco e talvez estivessem certos. O fenômeno de cheias e secas é um processo natural que está sendo agravada ano após ano.


Adolescente, na comunidade de “Varre-Vento”, do município amazonense de Itacoatiara, do alto do barranco observava no horizonte de meus olhos, observava o sol engolido pelo Rio Solimões e esperava que suas águas borbulhassem. Minha frustração era não ver que minha imaginação de adolescente sendo frustrada. Agora, depois de estudos e saberes adquiridos em Escolas e dua graduações universitárias em instituições públicas, sei que o sol quente também contribui, não é o único responsável por tudo. A cheia ocorre dos Rios decorre do degelo nos Andes e agravado agora por dois fenômenos que não existiam na minha adolescência: o “El Nino” e a “La Nina”. Será que eles estariam tanta raiva da humanidade e sentiriam tanta sede ao ponto de aquecerem o sol e depois beberem toda a água do rio para matar suas sedes, provocando as secas? Não acredito! Ou seria o homem com sua ganância de lucro que está poluindo tudo e descartando o lixo nos igarapés, que terminam indo para rios, mares, oceanos e matando todas as formas de vida! Nunca saberei a resposta porque estou para completar meu “Laborium Vita” e vivererei em algum lugar em minha morada eterna.

Por que será que eles não existiam na minha adolescência e hoje possuem tanta sede, ao ponto de fazerem secar as águas dos Rios Negros e Solimões, em Manaus e do Rio São Francisco, nos 5 Estados do Nordeste? 

Não sei a resposta, mas desconfio de quem possa ser a total responsabilidade:  o ser humano que é desumano demais com a natureza que lhe alimenta!



8 comentários:

  1. Concordo plenamente querido! A natureza apenas dá sinais de revolta, pelos desmandos do ser humano para com ela. Beijos

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pela partilha e oportunidade de conhecer, meu amigo

    ResponderExcluir
  3. É realmente impressionante a ignorância e a falta de cuidado com a natureza,mesmo nos locais onde seres humanos estão sofrendo as consequências de sua falta de civismo.Abraço de além-MAR.

    ResponderExcluir
  4. Walmor Zimerman/Parana3 de novembro de 2015 11:52

    Amigo virtual Carlos Costa, gosto de ler suas crônicas, são bem escritas e nos fazem refletir. Porém, também temos que levar em conta o seguinte: a ciência afirma que nosso Planeta tem 4b.700m. de anos... Não deixa de ser um "organismo vivo", em perenes mutações. Nos primórdios havia somente um continente, no decorrer de milhões de anos foram se "separando", numa prova inequívoca que havia e há um Planejamento Divino, na criação e perpetuação das múltiplas formas de vida... Quanto as mudança climáticas, não há um consenso dos próprios cientistas, uns querem atribuir a ação do homem, com advento da era industrial, e os fenômenos que ocorriam sistematicamente antes? Concluo, pelo menos de minha parte, que o nosso "saber" é limitado, diante da complexidade destas questões ambientais; acredito, que o lado de "lá" não nos deixará órfãos e no momento preciso, -se for ocaso - há de "interferir" para que sejam mudados estes paradigmas... Fique em paz, e peço desculpa pelas nossas conjecturas... Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Não sabia que já estava tão grave na Amazonia. Veja minha resenha "E por falar em fim do mundo" (28/1/15) e como J.H. Rosny-Ainè foi presciente. Abraços

    ResponderExcluir
  6. Rita Cortez/Prof. de SS da UFB3 de novembro de 2015 13:16

    Como sempre um conteúdo excelente.

    ResponderExcluir
  7. a humanidade não ten visão do perigo da seca para o futuro niguem sobre vivi sen agua

    ResponderExcluir
  8. João Batista Filho/BH9 de novembro de 2015 11:48

    Pois é Carlos, A natureza está cobrando dos homens o estrago que fizeram e continuam fazendo nela...

    ResponderExcluir