sexta-feira, 5 de agosto de 2016

A ROSA, O TEMPO E A VIDA...! (reescrita, repontuada e reposicionada no blog para Yara Marilia, nos 15 anos de casados, em 2 de agosto de 2012)


quinta-feira, 2 de agosto de 20 
A rosa, o tempo e a vida se fundem em uma coisa só!

Mas o tempo faz brotar o perfume da rosa, lentamente, arrancado de suas pétalas. Os espinhos e transformando-a em coisa indefinida, indefesa e triste  diante da implacável rotina de um casal. Mesmo assim, ainda prefiro sentir o perfume da rosa em vida, depositadas sob meu corpo, em cima de meu caixão do que depois de morto inerte,que o tempo destruirá também!

Nos quinze anos de vida em comum, o cristal foi se quebrando aos poucos. Remendamos com as esperanças que nos restaram, mas a cola está sendo fraca.  De vez em quando um novo pedaço se esvai...pelas inquietudes de nossos temperamentos fortes, as desconfianças que restaram de um passado que não se repete mais!

Embora o cristal esteja com fissuras e, a rosa com seu corte penso que ainda exala um perfume. Também, os erros do passado embora sejam sempre ingratos e nos perseguindo pelo resto da vida, ainda me resta esperança...Mas, hoje não há espaço para tristeza. Alegrias ainda nos sobram, como quando  a reencontrei dentro de um vestido amarelo, na cantina da Faculdade, cursando biblioteconomia. Logo a perdi para o seu Curso de Direito! Deixei de vê-la no lanche, onde sempre nos encontrávamos.

Não era um desconhecido para você. Nem você era para mim. Conversamos rapidamente: você tinha que voltar para o seu curso de biblioteconomia e eu para a sala do curso de serviço social. Estávamos diferentes, mas continuávamos os mesmos. As pedras que enfrentamos na vida nos produziram dores e nos fizeram sofrer pelos caminhos que trilhamos...Mas resistimos e nos reencontramos.

Decidimos nos casar. No início, tudo foi maravilhoso! Depois, começaram a aparecer os defeitos e as provações.  Cometemos pequenos deslizes (mais meus do que de você), superados pela força do amor. Restou-nos, ao final, um amor forte e verdadeiro, às vezes, fragilizado, porém. Unimos novamente nossos cacos, reconstruímos nossos pedaços e formamos novo vaso de cristal. Seguimos em frente e hoje completamos 15 anos de casados.

Eu errei; você errou, mas o perfume da rosa continuou expelindo sobre nós o perfume da gratidão, do perdão e um sentimento mais forte, surgiu: o amor puro e verdadeiro, perfumado pela rosa e pelo tempo!  Não foi fácil vivermos quinze anos juntos, mas sabíamos que seria difícil a convivência por todo esse tempo, como está sendo...mas pelo menos estamos recebendo o perfume das flores que nos restaram e não das dores que semeamos pelos nossos caminhos.


Construídos pelo amor, mesmo regado pelo ciúme e alimentado pela esperança. 

4 comentários:

  1. Linda crônica poética do seu amor

    ResponderExcluir
  2. Luiz Castro/Deputado Estadual6 de agosto de 2016 03:50

    Que bom.

    ResponderExcluir
  3. Rômulo Sena/jornalists6 de agosto de 2016 06:02

    Ser fiel um ao outro ilustra um compromisso que vai além de simplesmente estarem juntos.
    Significa ser a única pessoa com quem o outro pode contar, ser seu melhor amigo, compartilhar a vida nos níveis mais profundos e íntimos, dando um ao outro a permissão de não precisar ser perfeito!

    ResponderExcluir
  4. Ola Carlos,nada é perfeito mais o respeito mutuo,traz a felicidade.

    ResponderExcluir