terça-feira, 21 de abril de 2015

CASAMENTO E INFIDELIDADE!



Casamento é um contrato social de interesses e objetivos comuns  com o propósito de perpetuar, desenvolver e transferir de pai para filho a raça e de realizar seus propósitos e objetivos conquistados ou não durante suas vidas” (CARLOS COSTA)


O casamento e a infidelidade caminham de braços dados com a vida moderna, cheia de tecnologias, possibilidades e virtualidades, com mais mentiras do que verdades! O casamento é uma procuração passada em branco a um advogado, sem regras e impedimentos: mesmo sem poder, o advogado pode usá-la para fazer o que quiser, embora não deva; mas faz. A procuração pode ser revogado, na a infidelidade já fora consumada. O homem é mais infiel do que a mulher! Infidelidade é é uma tentação da carne!

Casamento é como se fosse a ultrapassagem de um carro em alta pela esquerda e você se afastando um pouco a direita. Ao cruzar, quem está no volante, por curiosidade, dá uma espiadinha com o rabo do olho e deixa-o passar, sem retirar a atenção do volante para não derrapar e nem sair da pista. O carro passará e você seguirá tranquilamente seu caminho na velocidade recomendada na pista. Viver a dois, sem casar, por quaisquer que sejam os motivos ou as razões, o casal se anulará e sofrerá porque a desconfiança sempre se fará presente entre ambos. Casar, nem sempre é o melhor caminho para seguirem juntos, mas Deus os abençoará, e, abençoados, serão felizes ou infelizes, não para sempre porque o  “para sempre” não existe na vida moderna de muita velocidade e pouca confiança, consideração e respeito. Vivam felizes até que a primeira briga os separe a primeira pela traição ou o divórcio. A infidelidade, ao contrário, é a derrapagem na pista com um carro bonito  que passa ao seu lado, ultrapassa-o e você corre mais só para ver quem foi. Depois, se encanta e derrapa em seus planos!

A infidelidade, geralmente é do homem; mas nem sempre. Ela pode se dar por vários motivos ou razões: ou porque a mulher foi submissa demais ao companheiro; ou expansiva, ou outros problemas que se interligaram causando desgaste na relação. Nem um extremo e nem outro será salutar para se viver a dois porque em ambos os casos, conflitos surgirão inevitavelmente. Em toda relação, deve existir uma pitada de tempero que pode ser o ciúme moderado, mas que não pode e nem deve ferir o companheiro com palavras e agressões verbais. O ciúme moderado serve para dar  tempero na relação. Ambos podem concorrer para a infidelidade ou porque faltou ou sobrou excesso de tempero na relação. Tudo demais enjoa. Tudo de menos aborrece. Sal demais faz mal, faz mal. Sal de menos deixa sem sabor a comida. Tudo tem que ser no grau certo. Nem demais e nem de menos.

Assim é a relação a dois. 

A independência financeira pode ser uma justificativa para se viver sozinho? Não! Ninguém é uma ilha no meio de um oceano que nunca vá precisar de nada. Todos precisaremos de um ombro amigo no qual poderemos nos apoiar, desabafar, xingar e perdoar em seguida, cedo ou tarde porque isso é o que faz uma relação dá certo. Não existe relação perfeita; mas, aparentemente perfeita. A aparência social também importa muito para se viver em uma sociedade cada vez mais egoísta e individual. Mas, ninguém é totalmente feliz ou infeliz porque sempre existirá uma cobrança. Se  for moderada, será ótima; exagerada, horrível se tornará. Nenhum ciúme possessivo é, foi ou será  solução para qualquer tipo de conflito entre casais, mas também nenhuma permissividade excessiva na relação a dois será salutar;  nem mais, nem menos.  Essa é a receita para relações felizes e a solução de qualquer conflito familiar. Se um fala, o outro se cala, escuta, reflete e responde depois. Se um grita mais do que o outro, saia de perto e preserve sua relação. Mas a infidelidade sempre rondará sua relação, mesmo quando ela se apresenta perfeita. Desconfie: há algo errado no casal, porque não existe homem fiel, mas já vi e sei de mulheres que se anulam por um homem e se deixam desvalorizar.

18 comentários:

  1. Adriano Queiroz Sobrinho21 de abril de 2015 12:06

    Sacrifício e abdicar de certas liberdades.

    ResponderExcluir
  2. Ananias Alves Cruz21 de abril de 2015 12:10

    Acabei de compartilhar com o título: Para refletir...!!

    ResponderExcluir
  3. Maria Hirschi/Suiça21 de abril de 2015 12:30

    Pura verdade!

    ResponderExcluir
  4. Muito bom. Reflete toda minha vida!

    ResponderExcluir
  5. Jack Sembrani/psicóloga21 de abril de 2015 13:31

    Excelente texto

    ResponderExcluir
  6. Eu sou a favor do diálogo e no casamento não é diferente

    ResponderExcluir
  7. Você foi preciso em suas afirmações , gostei do texto , vou compartilhar , eu acredito que muitas pessoas erram por desconhecerem alguns detalhes !

    ResponderExcluir
  8. Amigo gostei do texto postado
    Parabéns pelo trabalho. .

    ResponderExcluir
  9. Lendo a crônica do meu amigo Carlos Costa INFIDELIDADE E CASAMENTO, resolvi sintetizar o meu comentário, Casamento comunicar a sociedade que houve uma união nos dias atuais as mulheres são independentes e com isso elas não são submissas ao seu companheiro,labutam, se divertem e até convidam o marido para sair, se aceitar o convite ótimo par perfeito, se ele (a)não aceitar ela sai se diverte depois retornando ao lar isto é de como acordo com o parceiro, vale resalvar que nos anos 70,era bem diferente pois a mulher era totalmente dependende do marido. Quanto a Infidelidade, faço a
    seguinte
    análise :Os
    homens ,eles para cometerem a traição eles pensam nas consequências, não generalizando, existem mulheres, que agem pelo momento, pela atração enfim cometem o ato de sedução, pelo simples prazer!

    mulheres

    ResponderExcluir
  10. Luiz Castro/deputado21 de abril de 2015 16:11

    Até porque não se trata de um equilíbrio estático...Mas de um processo permanente...uma busca incessante até o final

    ResponderExcluir
  11. É a pura das verdades! Adorei ler sua crônica O meu abraço amigo

    ResponderExcluir
  12. Mamma Mia!
    Que crônica absolutamente genial! Bravo, Carlos! Você é um cronista de mão cheia! um abraço de urso!

    ResponderExcluir
  13. Confesso que achei superficial a sua abordagem sobre o tema CASAMENTO E INFIDELIDADE, pois em sua abordagem quanto às causas ou razões da infidelidade não ficou evidente a razão maior e primordial do ser humano ser infiel: sua visão egocêntrica do mundo e das pessoas. Aliás, esta é a razão de todo pecado.

    ResponderExcluir
  14. BOA NOITE QUERIDO AMIGO VERDADE ABRAÇO!!!

    ResponderExcluir
  15. Maria Simplesmente22 de abril de 2015 03:04

    Olá amigo. Bom dia. Gostei do texto, e concordo plenamente no que lá está escrito. Não entendo é porque mo enviou. Chau. Beijinho para si,

    ResponderExcluir
  16. Perfeitíssima sua visão sobre o tema!
    Nada a contestar.
    Abração, meu amigo!
    Adelaide Reys

    ResponderExcluir
  17. CONCEIÇÃO GOMES24 de abril de 2015 17:04

    Tenho cá a minha teoria caseira sobre a questão. A infidelidade para mim, está em todas as pequenas ou grandes inabilidades que acontecem no cotidiano. A traição, essa de pular a cerca, é o clímax de todas as outras infidelidades. A desqualificação sistemática do outro, mata a harmonia e gera a indiferença. Desqualificar o outro, é também uma infidelidade.

    ResponderExcluir
  18. Edivan Farias (Portal Amazônia)24 de abril de 2015 17:08

    Achei muito interessante.: As tecnologias: As ultrapassagens
    Parabéns.: Muito interessante. As curvas....

    ResponderExcluir