sexta-feira, 19 de abril de 2019

REVOGADA A CONTROVERTIDA DECISÃO DO STF! (Jornalista e Senador PLÍNIO VALÉRIO(PSDB/Am)

A controvertida decisão do Ministro Alexandre de Morais, do STF, de impor censura aos ao blog “O Antagonista” e à Revista “Crusoé” baseado na Lei de Segurança Nacional, considerada autoritária demais até por alguns ex-ministros como Ayres Brito e ministros da própria corte como Celso de Mello e, ainda, determinou busca e apreensão de provas que ameaçariam o presidente da do STF Dias Tofolli, foi finalmente revogada pelo próprio ministro que a concedeu. A decisão causou euforia entre alguns membros e apoiadores de Bolsonaro e reacendeu os debates e caminhos que devem ser seguidos por quem se sentir prejudicado por publicações da imprensa, via judicial. Quem não está preparado para receber críticas não entra para carreiras que deem visibilidade e estejam sujeitos à críticas.  


No campo jurídico, foi interpretada como arbitrária e um advogado amazonense e ex-juiz do trabalho chegou a garantir que o Ministro teria tirado a toga da Justiça e teria vestido a toga do arbítrio, na decisão do STF ou compartilhamento da delação premiada de Marcelo Oderechet. Nas “postagens” censuradas pelo Ministro Alexandre de Moraes, tidas como “feck news” contra o presidente da Corte, Dias Tofoli. O protesto e à censura pela publicação matéria “o amigo do amigo do meu pai” mereceu protesto também do jornalista e senador Plínio Valério (PSDB/AM). No caso do “o amigo do amigo do meu pai” era Marcelo Odebrechet, fundador do Grupo, que corrompeu em vários países, visando garantir seus próprios interesses imediatos ou futuros.


A decisão de censura aos veículos de comunicação, agradou aos seguidores de Jair Messias Bolsonoro e alguns chegaram a dizer que o Exército já havia cercado o prédio do Congresso e até ao do STF porque todos seriam  "farinha de um mesmo saco" como definiu e chegando a desejar que o STF fosse dissolvido, porque estaria “todo contaminado que nenhum deles escaparia” neste momento e desejou "ver o cabo e o soldado" cercando o prédio da STF e o fechando, como dissera o deputado estadual Eduardo Bolsonaro,(PSL/RJ) em palestra em uma Escola. Depois da péssima repercussão negativa na mídia, o parlamentar reconhecera que teria demais durante sua palestra e pediu desculpas. Ficou o medo, porém!Sinais claros têm sido ao Brasil caminha rápido à uma nova ditadura! Deus queira que não aconteça. Vivi essa fase de 64/82 como aluno, “foca” e como jornalista em A NOTÍCIA. Alunos eram de sala de aula para prestar “esclarecimentos" à Censura da Polícia Federal. Alguns voltavam à sala e continuavam assistindo as aulas; outros, desistiam do curso!


Nas aulas de Estudos de Problemas Brasileiros, ministradas geralmente por militares do extinto SNI e não gostava do que as assisti-las. Tinha medo e alguns professores provocavam aos alunos, para se posicionarem sobre “problemas brasileiros”: o maior problema era a falta de democracia no país, com eleições diretas para presidente, governadores e prefeitos. Antes de 82, os governadores e prefeitos eram nomeados pelo Governo Militar, que os nomeava. Alguns eram competentes; outros, nem tanto mas eram filiados à ARENA O sistema de crédito para se passar de uma disciplina à outra, fora implantada pelo então ministro da Educação, general Golbery do Couto e Silva. Pretendia conseguir o não surgimento de lideranças estudantis, nas faculdades. O sistema de crédito que existe até hoje.


No momento mais delicado da democracia brasileira pesa muito a presença do Ministro da Justiça Sérgio Moro na composição do Governo Federal, tendo aberto não de uma carreira sólida na magistratura federal e que condenara à prisão o ex-presidente da República Luís Inácio Lula da Silva por crime de corrupção!  O Brasil Deus queira que não siga o tortuoso caminho tortuoso e negro da censura, do vandalismo nas escolas e do desrespeito aos professores!

Como ensinou uma procuradora federal da Republica, “nenhum juiz pode determinar diligências porque ele viola o nosso sistema, que é o sistema acusatório, onde há a separação das funções de investigar, acusar, defender e julgar. O que é o contrário do sistema inquisitório, que remonta os tempos da inquisição”, de forma didática, numa verdadeira aula que precisava ter sido assistida pelo menos o ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes. 

Agora, quem indenizará os prejuízos das duas postagens censuradas pela “ditadura da toga”?  Acho que ninguém, porque são inatingíveis financeiramente os Ministros do STF!




4 comentários:

  1. Flávio Wilker Candido19 de abril de 2019 12:50

    Vomitou

    ResponderExcluir
  2. Não podem desaparecer... Dias Tofolli é Alexandre Moraes, tem que ser cassados se não renunciarem

    ResponderExcluir
  3. Bosco Exmerum,,/,posta19 de abril de 2019 13:28

    Pois é!
    Já não era sem tempo

    ResponderExcluir
  4. destituir todo o supremo tribunal federal

    ResponderExcluir