segunda-feira, 24 de outubro de 2016

347 ANOS DE MANAUS, COM DUAS VERGONHAS HISTÓRICAS!


Enquanto os dois candidatos a administrar a cidade de Manaus discutem só sobre a questão da falta ou não de água servida na casa de uma catadora, hoje, dia 24 de outubro de 2016, a capital do Amazonas completa 347 anos de existência. Terá  sobre  o bolo da festa,  duas vergonhas históricas: o  porto de embarque, desembarque de passageiros, cargas e mercadorias construído no século XVII quando o Amazonas entrou no cenário econômico mundial e tinha população tinha menos de 80 mil habitantes. A outra vergonha é a sua Estação Rodoviária “Clóvis Bevilácqua”,  inaugurada  em 1980, em pleno século XX, pelo então prefeito da cidade, José Fernandes de Oliveira, para uma população de 633.383 e a capital se ligava por estrada   aos municípios de Itacoatiara e Manacapuru e não para ox seus atuais 2.523.90 habitantes do século XXI e ligada à Região Metropolitana, formado pelos municípios  como Novo Ayrão, Presidente Figueiredo, Careiro-Castanho, Rio Preto da Eva e Iranduba. Temos muito pouco a comemorar. Os candidatos Artur Neto e Marcelo Ramos não discutem coisas que se quer ouvir e se perdem em um tentar dizer que o outro é mentiroso. Enquanto isso ocorre, Manaus, capital da Zona Franca,  continua sendo uma capital-ilha cercada de problemas sociais e estruturais por todos os lados.

Em frente pelo belíssimo, majestoso, restaurando e imponente mercado municipal Adolpho Lisboa,  reinando absoluto e olhando para o caótico transito que não anda na Avenida Lourenço Braga.  Manaus,  como quase todos os municípios do Amazonas, nasceu de costas para o Rio. O mercado    olhando para a balbúrdia do trânsito com caminhões estacionados de um lado e do outro da Avenida e, ao fim da Avenida Djalma Batista, resiste ao tempo a também  precaríssima Estação Rodoviária  de Manaus, pior do que muitas estações de ônibus  T-1, T2, T3, T4 e T5, com uma homenagem ao jurista, historiador e filósofo, ex-promotor público,  membro da Assembleia Constituinte do Ceará, Secretário de Estado, consultor jurídico do Ministério do Exterior e um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras e, ainda,  membro do Instituto Histórico e Geográfico, Clóvis Bevilácqua.  A Estação, também é uma das piores e mais precárias e pobres do Brasil, não sendo digna de um pujante e Polo Industrial de Manaus. Mas não sobre a vida desse cientista positivista seguidor de Spencer, Heackel e August Conte, que desejo escrever, Também não é sobre a Revista de Estudos Livres, dirigida por Teófilo Braga, na qual ele escrevia.  

É sobre o aniversário de Manaus, que já teve um prefeito que virou  Ministro dos Transportes, mas também nada fez para resolver a imagem e a impressão para da no Porto ou na Rodoviária. O Ministro pelo Amazonas, liberou recursos para a construção de portos para atracação de barcos regionais e descargas de mercadorias para diversos municípios, mas o porto de Manaus só mereceu enterrar recursos públicos com revitalizações, modernizações, sem resolver o seu maior problema: o estacionamento de caminhos para carregar e descarregar mercadorias para os comerciantes dos municípios, sem vagas para estacionamento de portadores de necessidades especiais, mas com muitos espaços demarcados e para táxis, táxis carga, moto táxi etc, de um lado e do outro da pista!

Manaus, capital do Amazonas, é o centro financeiro, corporativo e econômico da Região Norte e está localizada na confluência dos Rios Negros e Solimões é também,  a cidade mais populosa do Amazonas a sétima do Brasil  e a  131ª mais populosa do mundo , representando 1,22% da população brasileira, sendo, ainda, a mais populosa do Norte do Brasil. Pertencia à Espanha até o século XVII, segundo o historiador, professor da UFAM e amazonólogo, Samuel Benchimol em sua obra “Os Deserdados de Tordesilhas”. A ocupação do Amazonas,  começou a partir de 1637 quando o navegador Pedro Teixeira, partiu de Quietos no Peru e tomou posse em nome da Coroa Portuguesa,  segundo registra a história. Na área da Manaus Moderna, ao lado do vergonhoso e deprimente porto de desembarque de carga e passageiros, olhando para o caótico trânsito, reina também o porto do “roadway”, para a exportação do Látex, pelos ingleses  sobre boias que acompanham o movimento das águas,  usado para a exportação da borracha, único e primeiro produto que criou um ciclo econômico no Amazonas. Ele também olha triste para o caótico trânsito da Rua e os dois candidatos a administrar Manaus nos próximos quatro anos, ficam  discutindo quem mente mais, quem engana e quem   não tudo o que prometeu fazer durante a campanha!   


Não há quase nada a comemorar no aniversário de hoje. Artur Neto foi padrinho de casamento de  Marcelo Ramos  e, juntos, desaguarão suas mágoas políticas e se encontrarão mais tarde para firmar interesses políticos  e se declararão amigos de novo, como se não houvesse passado de acusações de parte a parte. Definitivamente, em política não existe amigo,  inimigo ou aliado. Só interesses que se unem e se separaram para enganar os eleitores com promessas que não cumprirão em seu todo. Nos programas de baixarias, os dois candidatos nada falam sobre os problemas estruturais e históricos da cidade, que causam vergonha no dia de seu aniversário! 

19 comentários:

  1. Se 50% da população do estado mora em Manaus eu acho que o estado deveria fazer bem mais por Manaus isso não só agora mais desde sempre

    ResponderExcluir
  2. Que história e que lição !!!

    ResponderExcluir
  3. Rui Eliandro Sa Valente24 de outubro de 2016 05:18

    Parabéns, amigo Carlos Costa. Belíssimo e oportuno texto. Valeu! Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Carlos muito bom!

    ResponderExcluir
  5. Carlos, bela crônica/crítica sobre o aniversário de Manaus. Se o prefeito não fizer o prometido em campanha para melhorar a cidade e seus habitantes tem realmente que tecer críticas para ver se o prefeito tomar o rumo certo da prosperidade e desenvolvimento. Parabéns e um abraço.

    ResponderExcluir
  6. E verdade Carlos Costa nossa cidade completa 374 anos. Era pra ser considerada c. Natal. Mas os nossos governantes. Deixaram virar bagunça. V. Um faz. V. Outro quebra.. E aja. Bilhões pra reforma. Parabéns Manaus milha terra querida. Deus me deu essa oportunidade de, ver todas as belezas naturais que Manaus tem. Obrigado. Amém um grande abraço pra Manaus.

    ResponderExcluir
  7. Pois é poeta sou um disco repetitivo de uma frase de Lord Acton : todo poder tende a corromper e o poder absoluta corrompe absolutamente.

    ResponderExcluir
  8. nasci no RS, moro em SP, mas sou amazonense de coração. Tudo isso me deixou muito, muito triste.

    ResponderExcluir
  9. Segundo o próprio Marcelo Ramos, o padrinho de seu casamento foi o Serafim Correia e não Artur Neto, ele era apnas convidado!

    ResponderExcluir
  10. VOCE FALOU TUDO !! DESSES HOMENS QUE SE BRIGA TANTO PELO PODER! ! MAA QUANDO TODOS ESTÃO NO PÓDIO, ESQUECEM DA PERIFERIA DE MANAUAS!!! ESSEZ CARAS PRECISAM ARREGAÇAR AS MANGAS PRA COLOCAR A NOSSO TÃO LINDA AMAZÓNIA! !!! EU AMO MINHA TERRA NATAL. EU ACHO QUW VIU ME CANDIDATAR PRA VE SE AMENIZA ESSES PROBLEMAS .KKK ELES TIRAM MUITO O NOSSO DINHEIRO QUE É DO POVO. BOA TARDE. GRAÇA GUERREIRO.

    ResponderExcluir
  11. Pois é meu amigo, vivemos esse quadro desolador e de uma certa foma inermes. O voto deixou de ser arma dos isentos faz tempo. Um artigo de denúncia com a propriedade dos jornalistas tradicionais. A essas hostes os cidadão devem as trincheiras do que ainda presta no Brasil como crítica válida. Parabéns. Meu abraço. Celso Felício Panza

    ResponderExcluir
  12. Chagas Thaumaturgo24 de outubro de 2016 18:48

    Parabéns a linda cidade e esse pessoal acolhedor

    ResponderExcluir
  13. Tomázia Tavares de Matos25 de outubro de 2016 08:12

    Excelente amigo!
    Meus aplausos !

    ResponderExcluir
  14. Maria Hirschi/Suiça25 de outubro de 2016 15:24

    Tanto faz Carlos.Manaus tem mais anos.E menos de memoria.Em um grupo oficial do IBC.Nao emcontro niguem do ano que estudei nessa constituicao.entao p mim nao é Errata,Manaus 347 ou 374? Nao faz diferenca.Os indios nao comtam e onde estao as freiras?Passaram uma borracha e apagaram os arquivos do Istituto Bejamin Constant?Onde estao!onde colocaram nossa mente.Para mim é igual 209 ou 307 anos Manaus,apagou nao so minha mente,mais meus sonhos,se eu pudesse votar para prefeito,nao votaria para nenhum.

    ResponderExcluir
  15. Será que eles conhecem a história do amazonas, de Manaus.???

    ResponderExcluir
  16. PAULO PEREIRA BATISTA27 de outubro de 2016 13:20

    Isso mesmo CARLOS.
    É lamentável a falta de visão, coerência e respeito com a coisa pública.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  17. Carrel Ypiranga Benevides28 de outubro de 2016 04:29

    Meus parabéns Carlos pelo artigo. É caboclo e verdadeiro.

    ResponderExcluir