terça-feira, 30 de outubro de 2012

FRALDAS DE PANO, UM LINDO BALÉ AO SOL!




Um lindo e perfeito balé de fraldas de pano dançando ao sol e conversando com o vento!

Era assim que eu via as fraldas brancas de algodão, lavadas com sabão Cutia, e lançadas ao sol para secar em varais, com pregadores de roupa que pareciam cabeças de pessoas presas às cordas!

Como não é possível atribuir a uma só pessoa o invento da fralda descartável, pois foi resultado de um somatório de pequenas melhorias e, como isso também não é relevante na crônica, deixarei de informar que nos anos 40 nos Estados Unidos ocorreu uma escassez de algodão devido à guerra.

Também nada escreverei que foi na Suécia que surgiu a primeira fralda descartável no mundo, e que também na mesma década e semana, nos Estados Unidos, Marion Donovan inventou uma capa impermeável para proteger a fralda da saída de líquidos, resultado de urina e fezes feitas pelas crianças, porque isso também não relevante.

Como também nada direi que as primeiras fraldas foram produzidas com restos de cortinas de banho e, que em seu interior, eram colocados panos convencionais de algodão que, se tornavam lindas e colocadas para “quarar” ao sol, produziam efeito de bandeirolas brancas com um efeito de paz, balançando ao sol! Achava lindo aquele balé frenético de panos dançando ao sol e ao vento.


Via aquilo com olhos arregalados de menino que tinha pressa em crescer para frequentar filmes impróprios para menores de 12, 14, 16 e de 18 anos, e quando passei a frequentá-los, eram apenas filmes de violência e não tinham nada demais! Os impróprios para menores de 18 anos, também não tinham nada demais!

Havia os chamados “ladrões de roupas” ou de “galinhas”, que entravam nos quintais das casas sem muro e levavam tudo o que podiam roubar. Mas para quê os ladrões levavam as fraldas de pano, que mais pareciam bandeiras brancas, em minha imaginação de adolescente sonhador? Será que os ladrões as levavam para colocá-las em suas crianças? Nunca haverei de saber! Ah!

Ah, mas como era lindo ver um balé de fraldas brancas balançando ao vento, pedindo paz para não morrerem tão rapidamente com o advento das fraudas descartáveis, que tiraram toda essa beleza e romantismo no balé que existia nas fraldas de pano!

Ah, isso era lindo demais!


16 comentários:

  1. Adorei Carlos,desde o que você disse que não diria ao "quarar"...Meus filhos usaram fraldas de tecido e vi mts bandeirinhas brancas no varal,além de uma forma especial de dobrar ensinada pelas freiras no Real Hospital Português onde nasceu minha filha!!!Só faltou dizer qual ano do lançamento das descartáveis...Gosto mt do que escreve!!Bjs na alma!!!

    ResponderExcluir
  2. Olá, Carlos! Teu texto é deliciosamente lindo... daqueles que a gente lê devagarinho, como se estivesse tomando uma xícara de café bem fresquinho. Mas olha, apesar de eu não ter filhos, acho que você só acha lindas as fraldas de algodão porque nunca precisou lavá-las... rsrsrs... as descartáveis são bem mais práticas... eu via minha cunhada lavando as fraldas de minha sobrinha, e nossa!...

    ResponderExcluir
  3. Bem, Carlos, adoro ler-te, principalmente em crônicas inusitadas como esta. Só você mesmo para transformar as já aposentadas fraldas de pano, em tão belo texto. Texto este que trouxe-me algumas recordações de infância. Lembro-me que, quando criança minha pendurava as fraldas dos meus irmãos no varal. Eram tantas que, tomavam quase todo o pequeno varal de casa. Panos brancos, pendurados, balançando ao vento,avisando que, naquela casa uma nova vida chegara. Parabéns pelo seu texto. Digo mais uma vez, é um prazer tê-lo como amigo. E você sabe muito bem, sou seu fã... Abraços! Marc Souz

    ResponderExcluir
  4. Alô Caro amigo Carlos Costa!.... Mui belo! parece até um poema!...E o é sem duvidas! Bela descrição do balé das fraldas!.... Há coisas nesta curta nossa vida que nos fica para a eternidade a nos embalar o pensamento, os sonhos e as ilusões de menino!.. Vem a idade adulta e nos rouba esses devaneios como se nunca eles tivessem feito parte de nossa existência!... Um abraço e paz a vc!.... tchau!....fui....

    ResponderExcluir
  5. Esse ballet era muito bonito,mas só em poesia.Agora elas ainda são usadas pelos bebés porque eles adoram dormir com elas encostadinhas à carinha. E vivam as fraldas descartáveis!...

    ResponderExcluir
  6. Oi Carlos,
    Como me lembro delas, pois ajudei a criar meus 3 irmãos que tem pelo menos 10 anos de diferença na idade e assim meus pais me punham para lavar e passar as fraldas dos meus irmãos e tinha que ser pregadas uma a uma , com os prendedores de madeira... saudades daqueles tempos, hoje em dia tem maes que nunca viram estas fraldas.....

    ResponderExcluir
  7. Keyla Maria Oliveira Silva Bobo, mas me levou às lágrimas... Amigo, esse texto me deu uma ins-pira-ção enorme pra escrever! Vou compartilhar, é tão bom trocar figurinhas com meus geniais amigos, especialmente com vc!

    ResponderExcluir

  8. Carlos Coutinho Vivendo e aprendendo com o amigo, Carlos Costa. Que beleza o texto!

    ResponderExcluir
  9. Muito bom!!!!
    Engraçado como você tão longe teve uma infância tão igual a minha. Não é interessante esse Brasilzão? Eu muitas vezes ajudei a lavar as fraldas do meu irmão caçula que é quase 9 anos mais novo que eu, imagina!!!!! Hoje minha avó que me convocava para esse trabalho ( minha mãe dava aula e não tinha a tal licença maternidade), seria processada, por "exploração de trabalho infantil"...KKKKKKKKKKKKKKKK!!!!!
    Abs
    Celina Camposé.

    ResponderExcluir
  10. O cheirinho de amaciante confort espalhavam no ar.
    Saudades disso

    ResponderExcluir
  11. Na época os bebês nao tinham Saudades disso

    ResponderExcluir
  12. Há 32 anos passados, ainda sinto saudade das fraudes de pano, lençoiszinhos. Eu mesma estampava manualmente os lençóis em cores diferentes.Tinha muito cuidado ao lava-los. Costuma coloca-lo anil na água para que ficassem bem alvinhos. Todos meus 05 filhos tiveram o prazer de usa-los fraldas brancas de pano. Essas e tantas outras recordações estão guardados em meu relicário chamado:" coração de Mãe!" Boa noite amigo. Forte abraço.

    ResponderExcluir
  13. FRALDAS DE PANO,UM LINDO BALÉ AO SOL!.


    LINDOOOOOOO AMEIIIIIIIII

    ResponderExcluir
  14. QUI LINDO ISSO

    ResponderExcluir
  15. Amo sus crônicas meu amigo

    ResponderExcluir
  16. Fernando/Itacoatiara4 de março de 2016 02:37

    Amei essa crônica. Compartilhei com seus contatos!

    ResponderExcluir