sexta-feira, 19 de junho de 2015

VENEZUELA NÃO É UMA DEMOCRACIA!


Nicolás Maduro amadureceu demais, caiu da árvore “hugo chavez” e começou a feder nas filas dos supermercados desabastecidos, farmácias sem remédios, açougues sem carne e nada mais é democrático na República Bolivariana na Venezuela, criada pelo seu antecessor Hugo Chavez, de quem herdou o revanchismo contra qualquer ideia contrária. Embora digam que é uma democracia, nada se parece com o que existia no mandato presidencial de Carlos Andres Pérez, depois do falecido coronel Hugo Chavez ter assumido o poder. 

Talvez os senadores da oposição do Brasil que foram conhecer e conversar de perto os senadores oposicionistas presos por ordem do presidente Nicolás Maduro, não  tenham seguido avistá-los na prisão porque foram recebidos com hostilidade, passaram só 6 horas na República Bolivariana, mas tiveram tempo suficiente para perceber que lá como cá, existe um fanatismo exacerbado e irracional em favor da doutrina criada pelo presidente falecido e continuada pelo seu sucessor, que era seu vice. No Brasil, o “Lulismo”, teve prosseguimento com o Governo de Dilma Rousseff.

Na Venezuela de Carlos Andrez Pérez havia regime democrático, a economia era pujante com seu petróleo e havia problemas como em todos os países existem, mas podia-se se ir e vir livremente, com poucas restrições em rodovias, para deslocamentos entre as “ciudad”, principalmente por quem estivesse desempregado, que deveria receber ordem de um juiz para se deslocar em busca de trabalho em outra “ciudad”. Hoje, não existe democracia plena no país vizinho. Ou é a favor de Nicolás Maduro ou não se lhe pode fazer oposição de ideias porque é logo preso e dizem que estava a serviço dos Estados Unidos, alvo preferido dos ataques de Hugo Chavez, quando fora presidente. 

Se não existe uma ditadura, não sei o que seria hoje o regime bolivariano e nem definir o que realmente ocorre pós-Hugo Chavez, porque lá não existe possibilidade de oposição. Nocolás Maduro conseguiu destruir o país de tantas belezas naturais em suas praias belíssimas, petróleo abundante em Maracaíbo e outras belezas. Como jornalista, cobri em 1982 tentativa de golpe militar do coronel Hugo Chavez contra o presidente eleito Carlos Andrez Péres, e registrei tudo o que vi na crônica EU ESTAVA LÁ – diário de um jornalista (Morte de Hugo Chavez) (Comentários no link do blog http://carloscostajornalismo.blogspot.com.br/2013/03/eu-estava-ladiario-de-um-jornalista.html) Depois disso, tudo mudou e nada mais é como fora antes 

Recebidos com hostilidades, o que ocorreu com os senadores da oposição do Brasil foi uma vergonha. Se foi orquestrado ou não o movimento,  não sei dizer. Mas sei que a autorização para a visita demororou a ser concedida pelo governo venezuelano até que os senadores decidiriam que iriam em aviões comerciais, que não poderiam ser desviados, Nicolás Maduro autorizou a entrada no espaço aéreo venezuelano do avião da FAB. Lá, sem o apoio do embaixador do Brasil ou batedores do Governo, os fanáticos “nicolalistas”, sucessores do “chavismo”, bateram com as mãos no vidro do carro da comitiva que transportava os senadores em missão oficial, depois bloquearam a estrada que os levariam  rumo ao encontro dos senadores oposicionistas presos e tiveram que retornar ao Brasil e justificaram que estava em obras. Mas por que não foram por outro caminho? Será que teriam decido fazer a obra na  via que dá à prisão de propósito? São perguntas que ficarão sem respostas, mas que é tudo nebuloso e estranho, não tenho dúvidas que sim!

As seis horas de permanência no país vizinho, contudo, foram suficientes para perceber que lá como cá, o fanatismo é o mesmo a favor de um presidente que se elegeu às custas do presidente Hugo Chavez que reformou a Constituição para permanecer indefinidamente no Poder. No Brasil, felizmente, os políticos aprovaram o fim da reeleição para todos os cargos majoritários, mantiveram o financiamento privado de campanha, os senadores sem votos, as coligações e conseguiram derrubar a maioridade penal para crimes hediondos, proposta do senador oposicionista Aluísio Nunes Ferreira, que integrou a comitiva, antes derrotada pelos políticos. 

Tem alguma coisa fedendo muito na Venezuela e talvez seja resquício da República Bolivariana de Hugo Chavez, que Nicolás Maduro está dando prosseguimento, mesmo que mandando encarcerar seus adversários oposicionistas. O Brasil terá muito o que explicar a partir de agora, quando defender intransigentemente o governo praticado no país vizinho. Ah, isso, vai!

3 comentários:

  1. O que e quando os senadores americanos vieram aqui no Brasil para falar com nossos presos políticos. Se viessem seriam recebidos como os nossos senadores o foram na Venezuela. Se a Venezuela é ou não democracia é um problema do povo venezuelano. Nada de interferência.
    Vamos aprofundar em nossas reflexões, ideias e pontos de vistas.

    ResponderExcluir
  2. É preciso que o povo tome consciência de que é preciso que haja alternância de governo. Gostei muito! Bjs

    ResponderExcluir
  3. Cezar Valadares/jornalista19 de junho de 2015 20:12

    Realmente não sei o que esse pessoal do PT, tem na cabeça!!! Aff... estão sem identidade política, depois de tanta corrupção, e se misturam com esse vagaba maduro!!!

    ResponderExcluir