segunda-feira, 4 de julho de 2016

CARTA PARA LEIA LACERDA! (“ao Invés de registrar a vida dos outros, eu registro a minha”)


Sua postagem na linha do tempo do facebook, se questionando por que as pessoas queriam  saber a razão de você se fotografava tanto, com a resposta  - “ao invés de registrar a vida dos outros, eu registro a minha” – deixou-me confuso e pensativo. É Leia Lacerda, para que você está certa, mas em parte, apenas.

Nunca esqueça que todo narcisismo em excesso  é prejudicial ao mundo que lhe cerca.  Você não é uma ilha isolada. Cuide de registrar-se em sua própria vida, mas não se esqueça que nada gira só em torno de você, mas do coletivo, da vida como um todo. A noite e o dia nascem para todos.    Muitos não os percebem porque ou dormem durante a noite ou trabalham durante o dia em escritórios com luzes artificiais e não veem qualquer beleza além do que lhes já parece belo. Nunca se esqueça disso, Leia Lacerda!

Em princípio, confesso,  que achei seu comentário, meio voltado para si mesma, mas refletindo um pouco mais, percebi que as pessoas se preocupam mesmo, muito com a vida dos outros e esquecem de suas próprias vidas, com virtudes e defeitos, como fotos coloridas ou em preto e branco que se  desbotam pelo tempo!  Lembre-se sempre, que todo bom navegador não  reclama do vento forte; mas o usa a seu favor, direcionando as velas e para chegar mais rápido ao destino desejado e fazer uma foto perfeita. Assim é a vida, que vai passando como se fosse uma foto e ficando também desbotada pelo tempo! Para que registrar e se preocupar mais com mais com a vida dos outros do que com a sua própria?! Se você estiver feliz, fará as outras pessoas a sua volta  igualmente felizes, bastando estar feliz consigo mesma e distribuir isso com os outros! Sempre teremos um vento forte soprando contra  nós ou uma foto ficando desbotada pelo tempo.  Nem o tempo e nem a foto devem ser ignorados totalmente, mas sê-los usados como meta para alcançarmos mais rapidamente o que pretendemos, antes que a foto fique desbotada.  A vida é perfeita. Nós é que a complicamos demais, buscando coisas onde elas não existem!

Lembre-se que sempre antes de empreender a qualquer meta traçada, ou tirar uma foto de si mesma, a qualquer instante de amadurecimento cronológico, pode e deve traçar um mapa, elaborar  um projeto, definir objetivos claros e lutar para realizá-los. Se for apenas fazer uma foto pelo celular, ótimo. Sei que você conseguirá. Porém, saiba que nem todos os objetos e metas  serão conseguidos, como àquela foto perfeita. Nem tudo será alcançado como deseja. Mas tente iniciar e concluir uma boa parte deles. Se conseguir mais de 50% do que projetou, já terá sido uma foto perfeita,  uma vitória para você e para o mundo! Nunca se deixe abater pelos tropeços que dará pelo caminho em busca de seus objetivos de uma foto perfeita.  Eles serão muitos e nem todas as suas fotos ficarão boas! Use os tropeços e as fotos ruins que fizer como alavanca para chegar sempre mais longe e alcançar suas metas completamente. Caminhe sempre mais rápido rumo ao que pretende alcançar, como se fosse para uma bela foto. Também nunca se alcançará 100% de tudo o que desejar!

Não queira ser sempre o centro da foto e das atenções. Se contente em ser o centro de suas próprias atenções porque a vida é bela e ingrata e devemos registrá-la a cada momento. O tempo corre muito rápido, nunca será possível a uma pessoa se declarar realizado em tudo o que projetou, mas pode se sentir realizado com uma simples foto mesmo as  mal enquadradas, desfocadas, porque isso faz parte da vida humana. Fique contente com as conquistas que tiver alcançado e agrada a quem quer que seja por tê-las conseguido.  Eu agradeço a Deus por me permitir viver a 16 anos, infectado por bactérias hospitalares incuráveis e tomando remédios fortes todos os dias.

Quando se traça um objetivo, meta e entendemos que tudo o que for conseguido de bom ou de ruim durante a vida que Deus nos deu para vivê-la aperfeiçoando-a a cada instante, pode se voltar contra nós, tomamos posse de nosso próprio destino em nosso próprio destino.  As coisas que nos pareciam ter sabor amargo em um primeiro momento, se  tornarão doces por completo o que lhe parecia  ruim! Se for bom o resultado, terá sido por mérito próprio. Se for ruim, não significa que você fracassou ou que deva desistir de seus propósitos. Terá  sido apenas  um pequeno tropeço ou percalço em seu caminho.  Mas não desista nunca!. Tente outra vez. Tentar, acertar ou errar vem de uma mesma decisão: a vontade de não desistir.

Sem meta, propósito, objetivo e um vento forte a nos conduzir rumo a um porto seguro, corremos o risco de nos perder pelos tortuosos e difíceis caminhos da vida. Ninguém nasceu para ser infeliz. Nós próprios, construímos ou destruímos a nossa felicidade.  Deus nos deu o livro arbítrio para escolher o melhor caminho, mas infelizmente temos a mania de escolher sempre o mais longo, o mais difícil, nos perdemos pelo caminho mais curto e fácil  e talvez nunca venhamos a alcançar  um porto seguro para dizer para si mesmo:  “Cheguei, onde queria!”


A vida é ótima. Nós é que a dificultamos demais, Leia Lacerda! Continue se registrando em fotos seus momentos, mas nunca esqueça que o mundo gira em torno de todos coletivamente!  Boas fotos, leitora!

6 comentários:

  1. Realmente a vida é ótima nós é que a dificultamos de mais.

    ResponderExcluir
  2. Pérola Berna de te Maria Odoye5 de julho de 2016 03:45

    Muito bom, jornalista Carlos Costa. Boa resposta e para quem gosta de fotos...

    ResponderExcluir
  3. Muitas Verdades estão presentes

    ResponderExcluir
  4. Pela Maria Braga odoye5 de julho de 2016 04:00

    Interessante...

    ResponderExcluir
  5. Sarah D A Linch/Escritora5 de julho de 2016 10:32

    Amigo, amei essa sua crônica

    ResponderExcluir
  6. Parabéns, lindo como tudo que vc escreve!

    ResponderExcluir