terça-feira, 19 de julho de 2016

TEMPO VIVIDO OU "TEMPO PERDIDO"? (À leitora Sonia Charamitara)

                                        
Como garante a composição da música  “Tempo Perdido”,  gravada pelo grupo “Legião Urbano”, com brilhante e emblemática composição do excepcional intérprete da vida urbana Renato Russo,  “todos os dias quando acordo, não tenho mais o tempo que passou”, também não tenho muito tempo e nem tenho todo o tempo do mundo, porque  “todos os dias  antes de dormir”, nada esqueço e só lembro  do tempo bom que vivi no tempo de adolescente na comunidade do Varre-Vento querido, no Município Amazonense de Itacoatiara. Decido “sempre seguir em frente/Não temos tempo a perder”. Mas sei que não tenho mais  muito tempo para viver.  Quando acordo pela manhã, já terei vivido um dia a menos e me faltará um dia  a menos para continuar vivendo, matando um leão por dia, como sempre me dizia o empresário Francisco Saldanha Bezerra.

Não tenho um “suor sagrado”,  Se tenho,  “é mais belo que esse sangue amargo” e também “tão mais sério e selvagem”  do que imaginam que possa ser a força e fé na vida que me persegue e eu a persigo. Enfrento meus próprios medos “selvagens”. “Veja o sol dessa manhã tão cinza/A tempestade que chega...” não me permitindo ler os livros que recebo de amigos,  Gosto de lê-los, mesmo usando um óculos 8,5 graus e sem visão periférica. Os livros que leio me fazem viajar com prazer em suas narrativas. Mas  sei que terei  pouco tempo para viver .  Já  não faço meu próprio tempo como fizera antes com  o curso de “Administração do Tempo”, na Universidade de Brasília.  Continuo, agora, só com  a missão sagrada de  escrever o que sinto e gosto para apreciação e crítica dos leitores pelas redes sociais. “Então me abraça forte/Me diz mais uma vez que já estamos/Distantes de tudo...” . Como escrevi, já não faço mais meu próprio tempo.  Meu tempo que já passou é agora, o hoje, o já! “A tempestade que chega, já não é mais “da cor dos teus olhos/Castanhos”  distantes de tudo, principalmente dos problemas  “todos os dias quando acordo”. 


“Não tenho medo do escuro”.  No passado, já vivi no escuro, aprendi à luz de lamparina, mas “o que foi escondido é o que se escondeu/E o que foi prometido/...(alguém) prometeu” e  não cumpriu. “Não tenho medo do escuro/Mas deixe as luzes acesas agora” porque não quero voltar a viver de novo na escuridão de tudo! Não sou mais tão jovem. Será que vivi um tempo perdido ou não deixei de viver e me perdi no tempo que me engoliu completamente?



12 comentários:

  1. Sonia Charmitara/SP19 de julho de 2016 12:54

    Lindoo texto

    ResponderExcluir
  2. Vivendo e não deixar ser Vivido porque Viver é Compartilhar Momentos e Oportunidades......

    ResponderExcluir
  3. Amigo vc ainda viverá muito, segundo populares, a gente só vai qdo acaba nossa missão, e a voz do povo é a voz de Deus! Agradeça a cada manhã qdo acorda, porque abriu os olhos p essa vida linda apesar das pedras no caminho....

    ResponderExcluir
  4. Amigo vc ainda viverá muito, segundo populares, a gente só vai qdo acaba nossa missão, e a voz do povo é a voz de Deus! Agradeça a cada manhã qdo acorda, porque abriu os olhos p essa vida linda apesar das pedras no caminho...

    ResponderExcluir
  5. Crônica pra Drummond nenhum botar defeito! Abraços, carlos!

    ResponderExcluir
  6. José Coelho Maciel19 de julho de 2016 18:02

    Carlos, sem deixar de fazer o que fazes, entrega a direção do teu destino a Deus e mantêm a tua fé inabalada nele que é quem decide tudo até o momento do encantamento que nunca sabemos, mesmo que queiramos, o dia e a hora que essa nave vai aportar. jm

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Graça Guerereito/Natal20 de julho de 2016 03:53

      Bom dia Carlos Costa ! Que lindo ! Oque você escreveu aqui sobre você, me imocinei mesmo! Todos nos temos nossos vales e todos nos um dia vamos também passar, tem uns que passam, tem outros que ficam pra sempre. Obrigada pela sua memoria amável e que ela seja uma constante em todos os seus dias!! Bom dia .

      Excluir
  7. Marilene Aboache Dantaa20 de julho de 2016 07:45

    “Não tenho medo do escuro”. No passado, já vivi no escuro, aprendi à luz de lamparina, mas “o que foi escondido é o que se escondeu/E o que foi prometido/...(alguém) prometeu” e não cumpriu. “Não tenho medo do escuro/Mas deixe as luzes acesas agora” porque não quero voltar a viver de novo na escuridão de tudo! Não sou mais tão jovem. Será que vivi um tempo perdido ou não deixei de viver e me perdi no tempo que me engoliu completamente?

    Eu tabém Carlos .Aprendi no escuro.Na lamparina e no candeeiro.
    Tinha medo do escuro pq os adultos me faziam medo.
    Mas a luz do saber superou meu medo.
    Pois eu queria ler livros e mais livros.
    Concerteza vc não viveu um tempo perdido e nem tão pouco deixou de viver.
    Vc é um exemplo de vida pra muita gente.
    Hoje estive no CECOM.
    Fui tomar minhas duas injeções doloridas.
    Agradeço a Deus.Pela coragem de viver e suportar essas dores.
    Que ela causa.
    Eu não deixei de viver por isso.
    Sou corajosa.Mas a situação de vida me fez ser corajosa.
    Amigo vc é um fenômeno.
    AMEII VOU COMPARTILHAR.

    ResponderExcluir
  8. Dr. Augusto Fachín Terán Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Educação e Ensino de Ciências na20 de julho de 2016 13:32

    Prezado Carlos, linda reflexao para iniciar este maravilhoso dia com chuva em Manaus, lembrando o som da queda dos frutos no Igapo. Tenha um excelente dia.

    ResponderExcluir
  9. Raimunda Gil Schaeken20 de julho de 2016 13:58

    Obrigada, amigo, pelo texto; que Deus o abençoe sempre. Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  10. Sábias palavras do nosso querido Carlos Costa. Lindo texto.

    ResponderExcluir
  11. Sábias palavras do nosso querido Carlos Costa. Lindo texto.

    ResponderExcluir