quarta-feira, 2 de março de 2016

MUDANÇA SOCIAL, JÁ!


Mudança social, já. Não mudança de Governo pelo impeachment, mas pelo voto democrático e livre dos eleitores “cabestrados” pelas promessas políticas que nunca são totalmente cumpridas.

Desarmados, eu e minha esposa Yara Queiroz, entramos em um Supermercado em Manaus, (como poderia ter sido em qualquer parte do país),  para realizar as compras do mês. Tínhamos certeza que ao passá-las no caixa, seríamos assaltados. Fomos mesmo! Com dedos no teclado da máquina registradora.  Na aquisição de 103 itens e um valor de R$ 655,53 deixamos só de impostos R$ 176,93. Ainda bem que soubemos quanto pagamos de impostos, menos-mal porque felizmente a Lei 12.741/12, aprovada e sancionada pela presidente Dilma Rousseff, no dia 8 de dezembro de 2012. Essa nasceu com o objetivo de informar ao cidadão o quanto representa a parcela de tributos que paga em cada compra realizada. Ela está sendo cumprida. Mas do que adianta, se o povo continua apático! Se não existisse essa lei que considero cidadã e transparente, nem saberíamos o quanto tínhamos deixado nas compras feitas. 

O Governo Federal continua sustentando o poço sem fundo, com um orçamento mal distribuído, por falta de planejamento. A educação é medida em quantidade e não em qualidade. A segurança pública é contada por estatística e não por qualidade de serviço prestado ao povo com bons e treinados policiais. A habitação popular  continua sendo um horror. A saúde sempre foi pela hora da morte em qualidade e o povo os brasileiros estão fartos de tudo, inclusive de paciência pela ausência de médicos, remédios, equipamentos básicos, hospitais, remédios, escolas superfaturados e pagos, mas que não existem. Desvio na merenda escolar já é quase corriqueiros e outros desvios feitos pelos prefeitos e por alguns deputados federais, inclusive o que se alvora honestíssimo e nega tudo e não permite que julguem o pedido de cassação de seu mandato e alguns senadores. Saneamento básico nem se fala porque um pequeno mosquito que se reproduz em locais de água parada está matando, sequelando e destruindo o Brasil!

A falta de vergonha na cara de alguns políticos impregnou o Brasil e todos se dizem q inocentes, inclusive o que tem um pedido de afastamento do cargo tramitando desde outubro de 2015, na Comissão de Ética Câmara Federal, sem ética e sem moral para julgá-lo. Quem deveria dar bom exemplo não o dá! Então, como cobrar que o eleitor seja honesto em seu voto? Impossível! Toda mudança social firme e duradoura começa pela base e sempre se deu de baixo para cima: mudando o comportamento social das pessoas da cidade; depois, se mudando o Governo, seja lá qual o partido que for.. Nunca li ou tomei conhecimento que algum país que tenha mudado trocando um presidente da República pelo impeachment. A Educação sim, é o caminho para a mudança. Mas a educação continua sendo medida por gráficos quantitativos e não qualitativos. Hoje, diploma-se analfabetos funcionais de terceiro grau, que não sabem escrever um ditado corretamente. Fica muito difícil e pesada qualquer mudança social na sua estrutura piramidal!

Como o governo federal do Brasil é um excepcional arrecadador, mas um péssimo distribuidor de benefícios em serviços públicos pelos valores exorbitantes de impostos pagos pelos contribuintes! Contudo para cumprir e cobrir o rombo do orçamento público, ele defende e já conta em seu orçamento para 2016, com a arrecadação da verba gerada pela recriação da CPMF. Agora em forma de imposto por quatro anos. Esse novo imposto já foi aprovado na Câmara Federal, representante fos Estados e encontrará resistência no Senado, representante da Nação. Os governadores pressionaram suas bancadas e conseguiram ficar com uma parte do novo Imposto criado. Mas a Nação não o deseja o seu retorno, porque ela já foi derrotado uma vez no Senado. A brilhante ideia do então Ministro da Saúde, Adib Jatene do Governo FHC estava sendo desviada para cobrir parte do orçamento público e quase nada era investido na saúde, uma precípua finalidade para a qual foi criada a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira, que atingia a todos, indistintamente. Por isso a saúde em vários Estados do Brasil está um completo caos.

Será que o Senado ressuscitará esse defunto que não foi bem enterrado? Poderá até fazê-lo, mas o Brasil não quer esse novo imposto! Já paga imposto demais, alguns em cascata, dentro da cadeia produtiva. Nas ruas, os protestos, passeatas e outras manifestações são claras contra isso. Em tempo não muito distante, placas de outdoors ornamentaram a praça da Matriz, com os nomes de todos os deputados federais e senadores que tinham votado contra os interesses maiores da Nação, mas não adiantou de nada porque continuaram sendo eleitos.  A estrutura da pirâmide social do Brasil precisa mudar, mas não será a simples mudança de um partido, de um governo, que se conseguirá a mudança como se fosse em um passe de mágica. A moral dos brasileiros precisa ser toda reconstruída para se mudar o país e suas estruturas! Isso só acontecerá via educação e levará, pelo menos, alguns anos para se ver na prática essas mudanças.  

Não se muda um valor social simplesmente se trocando um partido por outro. Isso ajuda psicologicamente sim, mas não resolve todos os problemas que estão na sociedade que vota e elege os políticos e não só políticos eleitos! Escolher bem os representantes é o que interessa, o resto não tem pressa, como dizia o personagem Paulo Cintura, da Escolinha do Professor Raimundo, de saudosa memória!

6 comentários:

  1. essa é nossa Realidade infelismente e pagaaaaa ou pagaaaaa pro PT

    ResponderExcluir
  2. Muito boa mesmo sua crônica! O termo "A saúde está pela hora da morte"

    ResponderExcluir
  3. Marilton Severiamo2 de março de 2016 08:57

    tens razão, assim penso.

    ResponderExcluir
  4. Luiz Castro/deputado estadual no AM2 de março de 2016 09:01

    Concordo, Carlos.

    ResponderExcluir
  5. super temático o Carlos Costa

    ResponderExcluir
  6. O Professor não tem tempo nem estrutura para estudar

    ResponderExcluir