sexta-feira, 22 de abril de 2016

DESLIZANDO NAS ESTRELAS...


De uma para outra,
(umas cadentes; outras caducas!)
Deslizo-as, sem medo de cair!
Vejo daqui do alto o que quase ninguém quer vê:
Um brilho intenso vindo de algum lugar que não é do sol!
Pulo de uma para outra estrela como se fosse
Uma criança boba e inocente, mas feliz!
Com a idade e a saúde não muito boa
Sinto e percebo o horizonte indo se afastando de mim!
Por entre meus dedos!
Ah, entendi: agora, estou dentro da vida,  chamada de estrela real
Como se fosse a mais uma ilha quase deserta:
Rodeado de hipocrisia por todos os lados!
Sou apenas um nada que pensa e escreve o que deseja!


12 comentários:

  1. Wilysson Rodrigues22 de abril de 2016 16:00

    Muito bom

    ResponderExcluir
  2. Carlos.
    Sempre fenomenal.

    ResponderExcluir
  3. Palmas. Belíssimo!

    ResponderExcluir
  4. Bacana! Boa noite! Abraço

    ResponderExcluir
  5. Parabéns talento e trabalho

    ResponderExcluir
  6. Gostei. Parabéns!

    ResponderExcluir
  7. Linda poesia!

    ResponderExcluir
  8. João Luis de Oliveira23 de abril de 2016 20:34


    Poeta Carlos Costa; nas mãos de um poeta , uma papel e uma caneta é pura tentação, enxerga longe, vê maravilhas aí desperta a imaginação;um ponto de luz é vida, por aí ja deu partida, já saiu da escuridão abçs.

    ResponderExcluir
  9. Teu passeio pelas estrelas,amigo, é leve e lindo. Maravilha que somente um poeta tem olhos para ver. Obrigada por dividir tuas visões.

    ResponderExcluir
  10. Teu passeio pelas estrelas,amigo, é leve e lindo. Maravilha que somente um poeta tem olhos para ver. Obrigada por dividir tuas visões.

    ResponderExcluir
  11. Linda poesia Carlos parabéns.

    ResponderExcluir