terça-feira, 4 de julho de 2017

"PRISÃO NECESSÁRIA"


A denúncia da JBS e a intimidade com o presidente Michel Temer de Joesley Batista, a linguagem chula usada pelo empresário na gravação sem o presidente saber, a prisão do ex-ministro Gedel Vieira Lima, o anuncio do nome do relator da Comissão de Ética, o advogado do RJ,  Sérgio Zsweiter,  considerado independente, técnico e ex-presidente da OAB/RJ por dois mandatos pelo PMDB, que analisará o pedido que autorizará ou não a abertura de processo de cassação do chefe da nação pelo Supremo Tribunal Federal -STF estão enfraquecendo cada vez mais o Governo de MICHEL TEMER. Os governantes foram bem aceitos pela oposição receberam bem o nome escolhido. Contudo, os palacianos ficaram apreensivos porque queriam outro nome.

O deputado Marun disse que não conseguirão derrubar o presidente Temer, apesar da troca de "emendas" por votos. Costa Neto, condenado no "Mensalão" e Paulo Maluff, também condenado por corrupção, foram recebidos por Michel Temer, que deseja e trabalhar para desqualificar as gravações da JBS, considerá-las ilegais.

O fato do partido de sustentação ao Governo que deixar de comparecer a um jantar oferecido por Temer aos seus aliados acendeu a luz "vermelha" de perigo no Governo que tem pressa em votar o pedido de cassação de mandato de seu governo. Começou a trocar por votos considerados incertos, deputados e senadores com votos certos que exercem cargos de Ministros no Governo Temer! Isso era comum no período do bi partidarismo da ARENA e MDB.

Rodrigo Rocha Loure, ex-deputado federal preso viajou de Brasília à Goiânia só para receber tornozeleira eletrônica em outro Estado vizinho. Já são tantos os presos da operação Lava Jato condenados pelo juiz Sérgio Moro e soltos e soltos depois em outras entendimentos do mesmo processo, usando-as, que estão faltando "tonozeleira " na Capital Federal e tudo indica que houve interferência e pedido do presidente Temer ao "interlocutor" preso em flagrante portando 500 em uma mala.

E ainda há quem continua afirmando que o "GOVERNO DOS PTrealhas" fez isso e fez aquilo. E agora, o que dizer do PMDB depois de tantas denúncias de corrupção contra ele!

Mudou o Governo, mas não mudaram os métodos praticados! Precisa se mudar a prática política primeiro para existir moralidade pública.  Um governo que entrou pela porta dos fundos no .palácio do planalto não poderia terminar bem! 

A prisão do mais próximos dos ex-ministros, Gedel Vieira Lima, preso por interferir nas apurações de quando ele exerceu a gerencia de pessoa jurídica da CEF era "necessária" porque estava sondando a esposa de Lúcio Funaro, preso por corrupção.


Um comentário:

  1. Salazar de Souza4 de julho de 2017 20:20

    A justiça está cada vez mais complexa

    ResponderExcluir