quarta-feira, 31 de maio de 2017

A REFORMA DA PREVIDÊNCIA...? SIM, MAS.




Sim. mas não antes se receba os bilhões de reais de massas falidas, da JBS e de Bancos...e estancar a sangria na Previdência!  Caso isso não seja feito, dentro de mais uns 10 anos tudo terá que ser feito de novo, principalmente pelas gordas aposentadorias que pega aos governadores e políticos que ao fim de mandato sempre se aposentam com valores astronômicos.!

Talvez a CPI aprovada pelo senador Paulo Paim (que parece mais orelha de freira "sabe-se que ela existe, mas ninguém a vê") fosse a solução do impasse! Depois era só manter a cobrança! Se uma pessoa física não pode dever porque é cobrada, por que 
o mesmo não acontece com a JBS,  bancos como Bradesco, CEF e as empresas como Volks e outros devedores sem maior importância econômica, além  de outras empresas com maior porte, não ocorre o mesmo?

Devido às dividas a receber pela Previdência Social, sou contra a aprovação de;qualquer Reforma na Previdência. Ela continuará deficitária como antes no "Quartel de Abrantes", como se costuma dizer nesses casos que continuarão igual e mais cedo ou mais tarde outra reforma precisara novamente ser feita. Se receber tudo que lhe deve, a Previdência Social será superavitária e não será preciso qualquer reforma, pelo menos por enquanto, sem receber o que é devido.


Um comentário:

  1. Walmor Zimermann31 de maio de 2017 13:49

    Caro amigo Carlos Costa. "Reformar" , sim! Mas que primeiramente comecem por "cima", governadores que se "aposetam", com ans anos de mandato, com seis vezes mais que o teto máiximo da Previdencia Social, é IMORAL! Juizes que recebem "auxlio moradia", cujo valores chegam a serem iguais ao teto maximo da Previdência Social, - até parece que estamos sendo repetivos - pode ser "direito adiquirido, mas não é ético. Pergunto: o trabalhador que ganha salário mínino, - 937, reais - recebe auxilio moradia? Não recebe... Este é Brasil das disparidades, dos absurdos... Se a "Reforma" da Previdencia, não começar pelos que ganham "muito"; mas a principio, vai atingir tão somente os que ganham "pouco"... Há afirmações, - se isto passar - que se um segurado do INSS, ganhar 2.500 reais, e falecer a viuva receberia tão somente a metade da pensão... Abraços e breve recuperação. Um abraço amigo.

    ResponderExcluir