quinta-feira, 4 de maio de 2017

UM PEITO QUE CHORA?




 Não sei se é um peito,
Ou um coração que choram juntos 
Um lamento de dor.
Igual ou mais doido que ouço do tucano
Na floresta primária (no Mundi).
Por não se sentir amada, rejeitada e, também, desejada
É de uma dor terrível,
(Que não gostaria de sentir)
Soluça e incomoda
No meio da noite,
Na solidão de seu casebre triste igual à noite


9 comentários:

  1. Caro amigo escritor Carlos Costa, quem eu sigo com muita honra! Percebo que você faz bom uso das horas de folga, haja vista esse excelente e belíssimo poema, que é, ao mesmo tempo, uma lida canção à vida. Parabéns por mais esse trabalho! O meu abraço com amizade e paz!

    ResponderExcluir
  2. Lucas Erli Ribeiro4 de maio de 2017 14:25

    simplesmente fenomenal!!
    Meu amigo e poeta Carlos Costa, que Deus continue adoçando teus lábios com palatai!!!

    ResponderExcluir
  3. Aplausos efetivos pela bela criação poética!

    ResponderExcluir
  4. Voce milita da crónica à poesia com a mesma maestria!

    ResponderExcluir
  5. Lindo , gostei

    ResponderExcluir
  6. Sonia Saramitara4 de maio de 2017 15:14

    Lindooooo!

    ResponderExcluir
  7. Perfeito. Triste tambem

    ResponderExcluir