quarta-feira, 29 de junho de 2016

NÃO ME ENSINARAM...



Que o amor ainda resiste entre
A fronteira da realidade e da ilusão,
Do álcool, fumaça e estupidez!
Renascendo sempre entre  pedras que
Deslizam ao sabor das verdades que incomodam!
Construímos juntos
A vida que vivemos
A rotina, o  álcool, a  fumaça a estupidez ou
A morte pode nos separar!
Também o amor a dois se equivale a sofrer  e chorar!
A vida não me ensinou nada disso.
Sou feliz, apesar dos percalços:
Encontrei meu oposto e meu contrário,
O pêndulo que balança para um lado e para o outro

E me leva para onde quer ao sabor do tempo! 

10 comentários:

  1. Muito lindo!
    Gostei e parabéns meu amigo

    ResponderExcluir
  2. Pérola Maria Bensabath Oiye29 de junho de 2016 08:29

    Bela poética, Jornalista Carlos Costa.

    ResponderExcluir
  3. Ana Carvalhosa/Portugal29 de junho de 2016 09:10

    Maravilhoso poema e muito profundo também.

    ResponderExcluir
  4. Muito bom...
    Carlos

    ResponderExcluir
  5. Ruínaltina Morais Pires/Assistente Sicual29 de junho de 2016 10:43

    Lindo Carlos.
    Abraço p vc e a Yara

    ResponderExcluir
  6. Índio do Brasil D'Urso Jacob29 de junho de 2016 10:50

    Palmas, muito lindo e perfeita a descrição do que possa ser o amor!
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  7. Olinda Aparecida Bassa Franco29 de junho de 2016 14:10

    Que lindo!

    ResponderExcluir
  8. Eu sou feliz pq creio q a felicidade é um estado de espirito.
    Linda sua poesia Carlos Costa.

    ResponderExcluir
  9. ola,Amigo Carlos,é bom viver na ilusao das nossas escolas brasileiras,um poema é vida,nada mais.Parabens!

    ResponderExcluir