terça-feira, 13 de dezembro de 2016

REFLEXÕES SOBRE O TEMPO!



Que tempo estranho é esse que não se vê, mas cobra um tempo que ele próprio não nos permite que  tenhamos? Que tempo estranho é esse que cobra compromissos marcados, horários marcados em agenda, nunca envelhece e sempre se mantém novo com um “ano novo”?

Por que o mesmo não acontece com os seres humanos, com pessoas se renovando a cada fim de ano? Ontem, comemoramos felizes 1º de janeiro de 2016 e dentro de mais alguns dias,  esse tempo invisível nos apresentará  felizes ou não, o dia  1º de janeiro de 2017!  Por que isso não ocorre o com todos os seres humanos: se renovar sempre, não envelhecer?  O tempo é cruel demais:  ele voa e cobra pressa de todos! Com isso,  correremos um sério risco de sermos engolidos por esse tempo maluco, apressado e guloso que ninguém vê! Se isso vier a acontecer, seremos nós todos os próprios e únicos culpados por que  não tivemos tempo para nada:  o tempo passou de forma invisível a nossa frente e nós é que não o vimos em sua invisível presença temporal!

Parei de contar o tempo!  Só o percebo quando vejo meu filho, que ontem o conheci feliz  no exame ultrassom na barriga da mãe e hoje já está com 18 anos. Será que envelheci 18 anos também? Não sinto qualquer velhice,  mas estou ficando cada dia mais frágil!. Seria esse um sintoma de que envelheci junto com meu filho? Com certeza! Será que meu filho cuidará de mim no futuro? Não tenho certeza? Será que serei colocado em um asilo? Também não sei! Será que todos envelhecerão? Com certeza! Contudo, não existe um ser  velho ou um ser novo! Todos serão velhos ou novos.  O que  envelhece é o corpo;   não o espírito! O que importa será que o corpo envelheça, mas o espírito se mantenha jovem!

O tempo para mim só deve ser contado como se fosse uma subida até o número 50 de uma escada. Depois disso, mesmo com toda a evolução da biologia da ciência humana, começamos a contar o resto da descida da escada. Na descida se deveria em  sentido negativo de menos um, menos dois até que a morte nos alcance e tudo se encerre de vez e passarmos a viver na companhia de Deus: do pó viemos e para o pó voltaremos! Os  ricos, de classe média ou de classe baixa.  Façamos a diferença a cada dia. Isso é o que nos tornará diferentes um dos outros e dos outros animais. O tempo além de nos permitir viver, só constrói saudades e destrói lembranças que nunca mais voltarão porque se perderam no tempo!

Esse tempo invisível me consome e consumirá a todos.  Só o perceberemos quando faltar tempo para vivermos e falta-nos tempo.


Estranho, muito estranho esse tempo que nos rouba tempo,  nos escraviza e, ao mesmo tempo em um tempo  inexistente. Ah, se voltasse à juventude! Viveria meu tempo exatamente igual como tenho vivido até hoje, talvez me desviando de pedradas que recebi pelo caminho. Levaria para minha nova vida, a experiência que a vida me deu, que o tempo me ensinou, que o tempo me cobrou, que o tempo me roubou...mas viveria!

9 comentários:

  1. É, meu amigo Carlos; quando os percalços da vida são amenos, não conseguem destruir a escalada feliz dos degraus que vencemos e nos remete a escalar os próximos com mais disposição e muita energia. É o nosso cotidiano, de felicidade plena ou não, está aí para vivermos.

    ResponderExcluir
  2. Muito boas suas reflexões sobre o tempo!

    ResponderExcluir
  3. Lindo texto!!! P/ mim falou tudo!!!

    ResponderExcluir
  4. Palmas meu pensador. Linda reflexao sobre o tempo. É isso mesmo!

    ResponderExcluir
  5. Darone Hilgemgerguer/Poetisa13 de dezembro de 2016 16:40

    Não adianta brigar contra o tempo. Ele ė o senhor absoluto que rege todos os movimentos. Feliz de quem sabe aproveitar o tempo e viver conforme suas regras e conformidades.

    ResponderExcluir
  6. Margarida Barral/Portugal14 de dezembro de 2016 05:35

    Lindo texto.
    Beijo do Além-Mar

    ResponderExcluir
  7. Que lindo
    Tenho que voltar a ter prazer na vida e vive lá com gosto saborear cada dor alegria e tristeza isso é estar viva e se sentir grata com Todos certeza

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  9. Ó Messias Ó Mwssias14 de janeiro de 2017 10:37

    O tempo não existe, ele é atemporal!

    ResponderExcluir