segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

DA FAMA Á LAMA E VICE VERSA!


Enquanto Eike Funhrkem Batista da Silva, (Eike Batista), nascido em Governador Valadares, procurado foragido da Justiça e procurado pela Interpol,  retornou o Brasil e foi preso. Sereno e tranquilo, falando ao celular de vez em quando, talvez com seu advogado, ele elogiou a operação “Lava Jato”, disse que o Brasil está passado a limpo e que se ele fez alguma coisa errada, terá que paga, indo da fama à lama.

No final o juiz da vara de execuções penais do Amazonas, Luiz Carlos Valois, atendendo a decreto presidencial assinado por Michel Temer,  mandou soltar o ex-prefeito de Coari, Adail Pinheiro, que foi da lama à liberdade. Adail é nascido no município, foi preso por diversos crimes, entre eles alguns de pedofilia, mas ganhou a liberdade e seu advogado de defesa, fazendo o legítimo direito de “jus esperniendi”, garante que o ex-prefeito foi acusado injustamente e ganhou a fama de pedófilo sem sê-lo, mas apenas condenado por exploração sexual de menores. É uma sutil diferença técnica, mas faz toda a diferença dentro do direito penal.

Eike Batista foi da fama à lama com seus milhões de dólares contabilizados pela revista Forbes, em 2103. Manuel Adail Amaral Pinheiro, o Adail Pinheiro, fez o caminho inverso: foi da lama à liberdade, mas o ex-prefeito poderá voltar à prisão, porque ainda responde a 43 outros inquéritos no Tribunal de Justiça, entre eles alguns de pedofilia, investigados pela deputada federal Erika Kokai, formada em psicologia, que ouviu as vítimas de estupro no barco, em lanchas e os diálogos entre o ex-prefeito e seu então secretário de administração Adriano Salan. Ela promete não ficar quieta e o senador Magno Malta, presidente da Comissão Nacional que investigou pedofilia em todo o Brasil, também disse que não ficará.

Eike Batista e Adail Pinhiro passarão a ser dois arquivos vivos e, ao mesmo tempo, dois exemplos de que só poder, fama e  dinheiro  sem cultura,  são efêmeros. Andrade Netto, com quem trabalhei por mais de cinco anos em A NOTÍCIA, como repórter, dizia sempre:“a pessoa leva uma vida toda para construir uma reputação e em um segundo, pode ser destruída”.


A cultura transmitida será imortalizada. O corpo, a matéria e o próprio homem serão mortais, por mais que se tornem “imortais”. Só o que fizeram pelo bem da humanidade, ficará e será considerado imortal!

10 comentários:

  1. O Adail já tá "livre, leve e solto", o Eike, vai passar uns 5 anos preso, se passar, e sai com uns 200 milhões esperando ele...

    ResponderExcluir
  2. Sarath Dalva Agne Linche30 de janeiro de 2017 11:10

    isso mesmo.

    ResponderExcluir
  3. Maria Hirschi/Suiça30 de janeiro de 2017 11:39

    Nao podemos,comparar o Eike,com o Adail,nao acha?Nem sempre a corrupcao é para o mal do pais,ele estava abrindo a porta.E o outro fechando a porta.

    ResponderExcluir
  4. Marcelo Shell Shell30 de janeiro de 2017 11:55

    O que se faz, se logra....O que se planta, se colhe....A vida não malogra.

    ResponderExcluir
  5. Palmas, muito boa abordagem!

    ResponderExcluir
  6. Perfeito, amigo!
    Parabéns. É isso mesmo!

    ResponderExcluir
  7. Fabiano Nascimento30 de janeiro de 2017 17:56

    Ele não tem diploma, mas que é inteligente isso é. ..não é atoa que ele chegou a ser o 7 mais rico do mundo.

    ResponderExcluir
  8. Helena Mota de Oliveirs31 de janeiro de 2017 05:47

    A pseudo riqueza de Eike foi manipulada por balancetes fraudulentos, por isso, alcançou o sétimo lugar na Forbes! As dívidas são maiores que o atual patrimônio! A fraude dos balancetes prejudicaram a todos os acionistas, uma tragédia no mundo dos negócios, isso sem falar nos prejuízos ao nosso País e no envolvimento da corrupção política!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Achei incrível ele elogiar a Lava Jato. Sinal de que a corrupção é os desmandos do governo ultrapassaram todos os limites.

      Excluir
  9. Marcelo Shell Shell/Portugal19 de fevereiro de 2017 04:50

    O que se faz, se logra....O que se planta, se colhe....A vida não malogra.

    ResponderExcluir