terça-feira, 10 de janeiro de 2017

ODE A BEATRIZ LESSA,,,




Bheatriz Lessa, muitas coisas mudaram em nossas vidas desde 2010. Naquele ano,  a recebi pela primeira vez em um apartamento de 196 metros quadrados  para  entrevistar-me a pedida por sua professora de Historia Patty Ribeiro do Colégio da Polícia Militar, no qual você concluía o seu terceiro ano. Você estava muito nervosa e tímida quando a recebi, no “palacete aéreo”, como o chamou o poeta Jorge Tufic, entre um gole e outro de whisk e passando o lenço em seu vasto bigode, durante o aniversário da minha esposa!


Voltei a recebê-la em 2017, mas agora, para uma visita de saudades e recordações, em um apartamento de 96 metros quadrados entre cantos de pássaros.. Com a aposentadoria por invalidez em 2009 aos 49 anos e a queda no valor da renda de antes. Ao ouvir o canto dos pássaros, coisa que antes era só barulho de veículos na avenida Av. Efigênio Sales.  Sua mãe Marcia, disse-me “aqui você está bem melhor porque no outro não tinha todo esse verde e nem esse canto agradável de pássaro que vem de todos os lugares”.  Levantei e mostrei pela janela da cozinha, de onde vinha o canto de periquitos. Você fotografou um  deles que desde o dia 31 vem diariamente comer uvas na área técnica do apartamento no primeiro andar do Condomínio Mundi.

Exuperry estava certo quando escreveu: “você é responsável por aquilo que cativa”. Com uma rosa vermelha você me cativou porque me foi entregue  quando você e sua mãe foram me visitar no leito do hospital Nilton Lins, da Unimed, em 2011. O autor de “O PEQUENO PRÍNCIPE" estava certo. Matei a saudade. Descontraída e sorridente,  novamente compareceu acompanhada de sua mãe, Márcia. Agora, não estava nervosa, nem com um discurso de estudante ensaiado para perguntar-me nada, como da primeira vez a recebi.  Falou dos seus sonhos de adolescente.  Todos  foram realizados com renúncia, êxito e determinação. Ao contrario do passado, estava sorridente e feliz. 

Está cursando o sétimo período de Direito na Universidade Federal do Amazonas. Terminou seu curso de controladora de voo na Escola de Especialista da Aeronáutica, em Guaratinguetá, SP e já trabalha na profissão no CINDCTA- Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo - IV, no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, em Manaus, na profissão que escolheu, Estou feliz, principalmente porque tenho certeza que em breve você  será também colega de profissão de minha esposa Yara Queiroz. Não pare de sonhar e realizar, Você também passou a ser uma grande inspiração para mim: sonhadora,  determinada e forte em suas decisões, como também fui no passado de jornaleiro à jornalista e assistente social!

Karl Max, ao explicar a teoria de transformação de uma sociedade, garantia que um “sonho que se sonha só é apenas um sonho, um sonho que se sonha junto é uma realidade”. E você agora, sonha junto com sua família, seu pai Oswaldo, sua mãe Márcia e sua irmã Bruna!


6 comentários:

  1. Mas amei, é isso mesmo que ocorreu, e sou muito agradecida pelo seu apoio e admiração.

    ResponderExcluir
  2. Pra mim é uma honra ser lembrada com tanto carinho, sua história de vida e seu trabalho também são grandes inspirações minhas. Obrigada

    ResponderExcluir
  3. Matia Hischi/Suiça10 de janeiro de 2017 19:32

    Essa cronica, me fez lembrar uma passagem pelo o deserto.

    ResponderExcluir
  4. Aí meu Deus que orgulho!!!!

    ResponderExcluir